A ascensão da Classe C – classes sociais no Brasil

 

Existe uma atualização desta matéria em As classes sociais e a desigualdade no Brasil

distribuição de renda brasileira - classes sociaisHá algum tempo publiquei aqui no Logística Descomplicada a matéria O Brasil, suas classes sociais e a implicação na economia, e citei que com base em dados de 2008, a classificação de renda para a determinação das classes sociais, segungo a ABEP (Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa), estava assim dividida levando em consideração a Renda Total Familiar (por mês), considerando uma família de 4 pessoas:

- A1 com renda familiar acima de R$ 38.933,88

- A2 com renda até R$ 38.933,88

- B1 com renda de até R$ 26.254,92

- B2 com renda familiar até 13.917,44

- C1 com renda familiar até R$ 8.050,68

- C2 com renda de até 4.778,12

- D renda de até 2.905,04

- E com renda de até 1.939,88

Ainda Segundo a ABEP, o percentual de divisão por classes estava assim dividido:

- 1% da população brasileira pertencia à classe A1

- 4% pertenciam à classe A2

- 24% de brasileiros na classe social B

- Na Classe C tínhamos 43% dos brasileiros que seria a chamada “classe média”

- 25% de pessoas na classe D também conhecida como classe média baixa

- 3% que eram classificadas como classe E que são as pessoas mais pobres da lista

Nova pesquisa realizada pela FGV (Fundação Getúlio Vargas) nos mostra que a Classe Média brasileira, a nossa classe C, passou para 50,5% da população brasileira em 2009.

Segundo Marcelo Neri, do Centro de Políticas Sociais (CPS/FGV), e coordenador do estudo, os dados levantados significam que a nova classe média brasileira pode decidir uma eleição sozinha e passa a ser a classe com o maior número de consumidores.

O levantamento da FGV divide as classes econômicas de acordo com a renda domiciliar per capita, a partir dos dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios).

Os cálculos efetuados pela FGV, e agora divulgados, foram realizados utilizando a comparação entre os índices de Gini das últimas décadas.

O índice de Gini ou coeficiente de Gini, mede o grau de desigualdade existente na distribuição de indivíduos segundo a renda domiciliar per capita. Seu valor varia de 0, quando não há desigualdade (a renda de todos os indivíduos tem o mesmo valor), a 1, quando a desigualdade é máxima (apenas um indivíduo detém toda a renda da sociedade e a renda de todos os outros indivíduos é nula).

No Brasil, em 1960, o indicador somava 0,5367. Em 2007, era de 0,5546, e em 2009, de 0,5448. Segundo este indicador, a desigualdade na distribuição de renda no Brasil piorou nos últimos 50 anos.

O estudo da FGV, destaca no entanto que a desigualdade no Brasil permanece entre as dez maiores do mundo e que o país precisaria de 30 anos para atingir níveis semelhantes aos dos EUA.

Então, veja a tabela abaixo e descubra a qual classe social você pretence, baseado na renda familiar mensal:

- Classe E: até R$ 705,00

- Classe D: vai de R$ 706,00 a R$ 1.125,00

- Classe C: de R$ 1.126,00 a R$ 4.854,00

- Classe B: de R$ 4.855,00 a R$ 6.329,00

- Classe A: a partir de R$ 6.330,00

Para uma população estimada em 195 milhões de pessoas, significa que 98,5 milhões de brasileiros estão na Classe C.

 


Para manter-se sempre atualizado assine nossa newsletter ou nosso feed.
Curso de logística de baixo custo, online e com certificado? Clique e conheça!


Escrito Por : Ludmar Rodrigues Coelho é administrador de empresas e possui pós-graduações em MBA Executivo em gestão empresarial pela UFSC e MBA Executivo em Negócios Financeiros pela FGV-RJ.

em : terça-feira, 12 out, 2010


  • Jarlei

    Ludmar,

    Acrescento a isto o fato de que as migracoes de classe social, no Brasil, nos ultimos anos, nao tem sido permanente. Ou seja, ja tivemos migracoes para classe C em anos anteriores, que nao se mantiveram. O grande desafio eh migrar estas pessoas de classe e mante-las nesta nova situacao social, o que tem sido sazonal no Brasil – por um periodo de tempo, as pessoas sobem de classe, porem em periodos posteriores, ha um retorno a classe anterior (isto foi muito comentado em um programa na Globo News Painel).

    Entao, quando se projeta alguma acao de medio-longo prazo no Brasil (uma nova fabrica, produto, linha de investimento), este planejamento pode ficar comprometido no momento seguinte.

    Politicas de afirmacao social, que tem por base a Educacao, tem que ser permanentes e passar de governo para governo, isto sim ira tirar as pessoas da linha da pobreza e criar um ciclo virtuoso para o futuro.

  • Patrick

    Ludmar,

    atento que ha uma diferenca GIGANTE entre como eh contado as classes sociais pela FGV e pela ABEP. O da ABEP tem o nivel MUITO mais elevado.

    O erro esta aqui:

    "Então, veja a tabela abaixo e descubra a qual classe social você pretence, baseado na renda individual mensal:"

    Negativo. Pela FGV eh a renda FAMILIAR mensal. O da ABEP esta correto.

    O da FGV eh o mais usado, quando le artigos na exame por ex, esta eh a divisao que eles usam.

    Aqui retirado da wikipedia:

    de acordo a Fundação Getúlio Vargas, entretanto a avaliação ideal seria por bens disponíveis e não pela renda:

    Classe AB: renda domiciliar maior que R$4.807,00

    Classe C: renda domiciliar entre R$1.115,00 a R$4.806,00.

    Classe D: renda domiciliar entre R$768,00 a R$1.114,00.

    Classe E: renda domiciliar abaixo de R$768,00.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Classe_social

    Bem-vindo ao Brasil!

    • http://www.logisticadescomplicada.com/ Logística Des

      Patrick
      Você está correto e o Ludmar também estava. O erro foi meu ao editar o rascunho dele para publicação.
      O texto já está corrigido acima. Agradeço sua atenção e pelo aviso!

  • Johannes

    Olá.

    é só uma impressão minha ou existe uma colossal distorção nessa classificação das classes sociais brasileiras? A última pesquisa do BGN, apresentada na observador 2011 (http://www.cetelem.com.br/portal/Sobre_Cetelem/Observador.shtml), afirma que a classe C já é mais da metade da população brasileira. Classes D e E correspondem à 25% da população brasileira.

    Parece que estamos num país maravilhoso, perto de anos atrás: 75% da população já faz parte da classe média, ou superior!!

    Mas se olharmos com mais detalhe… a renda FAMILIAR MÉDIA da tal classe C é de 1388 reais. Oras, familiar… e MÉDIA (o que quer dizer que muita família vive com menos que isso).

    O que uma família faz com 1400 reais?

    Bom, supondo uma família de 5 pessoas: dá 280 reais por pessoa. Menos de 10 reais por dia. Será que isso é suficiente para alimentação, saúde, locomoção, moradia,…?? educação??

    Pelo meu entendimento, uma renda individual de 280 reais por pessoa não condiz com a realidade de "classe média".

    Fiz o seguinte pensamento: em qualquer cidade brasileira, um apartamento popular hoje está sendo vendido por no mínimo 80 mil reais. Poxa, 80 mil…. um financiamento pelo minha casa minha vida garante juros da ordem de 5% ao ano: cerca de 350 reais por mês (considerando um imóvel de 80 mil). Mas calmae… uma família com renda familiar de 1400 reais pode usar apenas 25% do salário para entrar num financiamento imobiliário: ou seja, só pode pagar 350 reais por mês no financiamento. Calmae, mas esse é justamente o valor dos juros!

    A dúvida é a seguinte: qual é a capacidade de compra da classe C brasileira?? com um salário médio familiar de 1400 reais, não dá para comprar imóvel NENHUM. Educação? passa longe… É isso que consideramos classe média? é esse o milagre econômico que estamos presenciando mesmo?

    • Alex

      Enquanto ninguém responde ao Johannes, deixem-me ver se consigo ler os números melhor do que ele…

      Johannes, quando você diz: "Mas se olharmos com mais detalhe… a renda FAMILIAR MÉDIA da tal classe C é de 1388 reais. Oras, familiar… e MÉDIA (o que quer dizer que muita família vive com menos que isso).". Isso vem de onde?

      No artigo, podemos ler: "Classe C: de R$ 1.126,00 a R$ 4.854,00", ou seja, não é uma MÉDIA, é um INTERVALO. Logo, "famílias" de um indivíduo ganharão R$ 1.126,00 e famílias mais numerosas ascenderão aos R$ 4.854,00. Ao meu ver, tá normal e as suas contas deixam de fazer sentido.

      • Raoni Nery

        Não alex. A media é uma familia pra 4 pessoas em todas as classes. A tabela nos informa que existem familias de 4 pessoas que ganham 1126 R$ e são consideradas classe média.

        Na verdade a melhor forma de calcular a classe das familias é pegar o valor por cabeça como o Johannes fez.

        Essa tabela é um engodo. Uma maquiagem mal produzida para parecer que o Brasil está otimo quando na realidade nao está

        A classe média REAL do Brasil tem uma renda por cabeça de algo em torno de no minimo entre 1.000 e 1600R$ por cabeça. O que daria condição de terem acesso a cultura, plano de saude moradia segurança , lazer e moradia digna.

        So que nosso governo fez o favor de transformar familias com renda nesse patamar em B1. algo que não representa de forma alguma a realidade do país.

        Quem tem filhos sem plano de saude estudando em colegio publico não é, nem nunca será a verdadeira classe média. Eles são pobres.

  • Raoni Nery

    Desde quando uma familia de 4 pessoas com média de renda de 2,500 R$ é classe média?????

    Só se agora ser pobre é ser média. Porque vamos aos calculos.

    Aluguel + condominio e IPTU = 1500

    Luz= 90

    Telefone + Internet e Tv= 240

    Colegio do filho = 500

    Compras mensais=500

    Gasolina= 300

    Pedagio=200

    Plano de Saude=600

    TOTAL= 3840,00

    Será que tá correto dizer que uma familia de 3 que ganha ao toto 2500 é classe média?

  • M Campelo

    E muitos ainda teimam que estamos passando por uma grande melhoria quanto à distribuição de renda no país, mesmo com este indicador GINI praticamente estável e o IDH deixando o país em 84a posição/2011. E tem mais: foi criada uma nova classe “C2″ pelo governo para justificar os 30 milhões que “chegaram” à classe “c”. Curioso é que as duas classes do grupo “C” estão com renda menor que em 2003, o que facilita (no papel) mudar de 10 para 30 milhões, por ex.

  • Juliane Porto

    ascensão é com S amigo e não com Ç. fica a dica !

    • http://www.logisticadescomplicada.com/ Leandro Callegari Coelho

       Obrigado, já ta corrigido!