A história e o futuro dos transportes

A história e o futuro dos transportes

Nossa civilização atual depende dos meios de transporte cada vez mais eficientes. Vivemos em grandes cidades, e precisamos nos deslocar muitos quilômetros diariamente. Seja com nossos carros ou usando meios de transporte coletivos, somos dependentes de formas de transporte para nos transportar por longas distâncias.

Hoje conseguimos chegar ao outro lado do mundo em questão de horas. Milhares de vôos acontecem diariamente em uma escala planejada e conhecida com antecedência.

Em grandes centros urbanos temos metrôs a disposição. Em algumas regiões existem trens de alta velocidade para nos levar de uma cidade a outra.

Para nossas mercadorias, dependemos de grandes navios capazes de carregar milhares de containers pelos oceanos.

Todas estas formas de transporte são rápidas, seguras e eficientes, apesar de boa parte delas ainda depender de combustíveis fósseis.

Mas você já parou para pensar em como era o transporte antigamente? Pela terra, água e ar, o transporte evolui rápido. Veja a evolução histórica com os principais desenvolvimentos e seus criadores (ou o local onde foram desenvolvidos):

1769: Barco a vapor (James Watt)

1804: Locomotiva a vapor (Richard Trevithick)

1820: Utilização do asfalto como revestimento, Europa

1821:Motor elétrico (Michael Faraday)

1832: Primeiro trem elétrico, New York-Harlem

1863: Primeiro metrô, Londres

1885: Automóvel (Karl Benz)

1903: Avião (aeroplano pelos irmãos Wright ou avião por Santos Dummond em 1906)

1921: Turbojato (Maxime Guillaume)

1969: Concorde

1978: GPS (Departamento de defesa americano)

1981: TGV, Linha Paris-Lion

1997: Carro híbrido, Toyota Prius

2060: 2,5 bilhões de carros?

Esta é a previsão, de que teremos 2 e meio bilhões de automóveis daqui 50 anos. Não sabemos ainda se eles serão elétricos e nem mesmo se terão a mesma forma dos automóveis que conhecemos hoje. Não basta olhar para o passado, é preciso ter um olho no futuro e estar atento ao que as pesquisas e os designers nos indicam que serão os meios de transporte do futuro.

Veja algumas ideias:

A moderna cidade de Dubai, nos Emirados Árabes, já escolheu os veículos que transportarão milhares de turistas e moradores. Apresentado durante a World Future Energy, o carrinho circulará por vias pré-determinadas e adota o sistema de PRT (Trânsito Rápido Personalizado).

Você concorda que a única coisa que os carros Off-Road, criados para andar em trilhas e desvendar a natureza, não têm é preocupação com ambiente? Gastando litros e litros de combustível e despejando CO2, eles não são ecológicos. A Fiat criou o 1° Off-Road completamente verde, o FCC, pois é movido por baterias.

A Peugeot sempre lança protótipos de carros futuristas. O Coro é mais um deles e com o formato em forma de bola poderia ser lançado na próxima Copa do Mundo, aqui no Brasil. Criado pelo japonês Yuji Fujimura, o carrinho leva dois passageiros e pode chegar ao mercado em várias cores.

A Audi lançou o desafio e os estudantes da Universidade de Munique, na Alemanha, criaram um dos prováveis carros do futuro da montadora. O Quattre contraria a tendência de carros cada vez menores e se transformou em uma nave futurista. Mesmo assim, não deixa de ser um Audi.

Uma filial da GM na china desenvolveu um automóvel candidato a rodar em nossas ruas no futuro. O EN-V tem espaço para dois passageiros, atinge a velocidade máxima de 40 Km/h e uma bateria de lithium-ion responsável pela movimentação de suas rodas. Elas ficam lado a lado bem no centro carro. Haja equilíbrio!

Olha a Peugeot aí de novo! O modelo 1001 Nimble está mais para cara de fantasma do Pac Man do que carro, mas não deixa de ser curioso. De acordo com o designer, Tiago Alves, o carrinho poderia andar em qualquer direção, por isso ele tem um para-brisa que permite uma visão de 360°. Ah tá!

O mercado da beleza é bilionário hoje em dia, então, imagine no futuro. Pensando nisso a Renault criou o Zoe, um protótipo de carro SPA. Ele filtra as impurezas do ar e não permite que elas sujem sua linda pele. Além disso, libera óleos calmantes para que você sempre seja paciente no trânsito.

A NASA também “viajou” longe e apresentou no evento American Helicopter Society o protótipo Puffin. Ele seria um avião para apenas uma pessoa, alimentado por energia elétrica e baterias recarregáveis. Com velocidade média de 240 Km/h e máxima de 480 Km/h ele é quase um míssil tripulado.

Chamado de EyeStop, o protótipo dos alunos do MIT, nos Estados Unidos, pretende dar novos rumos no ramo dos transportes públicos. A maior vantagem do EyeStop é gerar toda a energia que consome, por meio de células fotovoltaicas. Além disso, terá conexão com a internet. Agora todo mundo vai querer andar de ônibus.

Os famosos ônibus da cidade de Londres na Inglaterra também já ganharam projetos futuristas. O dono do projeto, Hugh Frost, acredita que está na hora de trocar os antigos e pré-históricos ônibus da cidade por modelos movidos à energia elétrica ou renovável.

O designer Chang Ting Jen deve ter cansado do trânsito caótico das cidades asiáticas e resolveu inventar a “bicibolsa”. O nome verdadeiro da invenção é Backpack Bicycle, tendo em vista que pode ser dobrada e colocada nas costas, pois pesa apenas 5,5 kg.

A Everglide tem a mesma idéia central da Backpack Bicycle, pois você também pode dobrá-la e levar seu meio de transporte nas costas. Porém, o que chama a atenção é a cesta localizada na parte de trás da bicicleta. Não lembra um carrinho de feira? Não seria má idéia.

O monociclo, famoso no mundo do circo, está nos planos da Honda. O U3-X é um projeto da empresa japonesa que têm planos de disponibilizá-los para a terceira idade do futuro, ou seja, nós.

A Honda, uma das gigantes do segmento de motocicletas, já deu as caras no mundo dos veículos futuristas. O triciclo 3R foi apresentado no Salão do Automóvel de Genebra e causou muito. Movido por baterias certamente o 3R será a Honda Biz do futuro.

As pirações da Honda ainda não acabaram, pois a moto Oree está ai para comprovar. Depois da 3R, a montadora japonesa apresentou o projeto da moto do futuro. Com propulsor elétrico ela carrega apenas uma pessoa em um banco bem desconfortável pelo jeito.

A Rad Bike pode ser chamada de Lambreta do século XXI. Porém, entre a Lambreta e a Rad Bike apenas a aparência combina. Ao contrário da moto (barulhenta e) famosa anos atrás, a Rad Bike é movida a energia elétrica, portanto não faz barulho e pode ser dobrada e escondida em qualquer cantinho.

É claro que os charmosos táxis não poderiam faltar em nossa seleção. O Robot Taxi é o sonho de consumo para aqueles que odeiam os taxistas simpáticos que ouvem aquelas músicas que você odeia. Para pedir um, ligue para a operadora, informe onde você está e em poucos minutos o táxi robô o leva para casa. De brinde, uma viagem em silêncio e sem conversa furada.

O Segway já é um velho conhecido do público, mas ainda sim continua a ser um provável candidato a transporte do futuro. Em cidades cada vez mais lotadas, ele é uma ótima opção de veículo para pessoas idosas ou com problemas de locomoção. Pena o preço, quase 4 mil euros. Melhor ir a pé.

Veja todas as imagens utilizadas acima em maior definição na galeria abaixo:

[nggallery id=23]

 

Com informações do Terra

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).