Alugar ou comprar?

Alugar ou comprar?

Em muitas situações o gestor encontra-se diante da seguinte pergunta: é mais vantajoso fabricar ou comprar pronto? Para muitas peças intermediárias ou matérias-primas manufaturadas esta questão é relevante. Com alguns equipamentos, uma questão semelhante se apresenta: alugar ou comprar a máquina? No artigo abaixo você verá o que deve ser levado em consideração no caso das empilhadeiras, escrito por William Nascimento, especialista no assunto.

Comprar ou alugar empilhadeiras? Eis a questão!

empilhadeiras: alugar ou comprar?Diariamente recebo dos clientes a seguinte pergunta e afirmações:

“William, o que é melhor para minha empresa, comprar ou alugar?”

“Há eu prefiro alugar, assim não me incomodo com nada.”

“Alugar nem pensar, é dinheiro colocado fora.”

Quem está certo? Qual a melhor opção para o cliente e qual é a realidade resumida em números?

Veja em exemplos:

Empilhadeira elétrica para 2000 kg, elevação de até 11 m, com duas baterias de 760 Ah e carregador de 120A

[table id=40 /]

 

Empilhadeira G.L.P Capacidade 2,5 ton, pneus pneumáticos, torre triplex

[table id=41 /]

 

É importante lembrar que se não houver o empenho na manutenção preventiva por uma empresa especializada e utilização de peças de qualidade o resultado vai “por água abaixo”. Por isso procure ter sempre um contrato que garanta a preservação dos seus equipamentos, assim a frota estará muito mais tempo disponível para operação, a depreciação do equipamento será mínima e as despesas com manutenções corretivas serão reduzidas.

Importante levar em consideração, que após o término do contrato de locação, quando o cliente devolver o equipamento ao locador terá que entregar no estado que recebeu, isso quer dizer “REFORMA já”. Então, ao alugar um equipamento o cliente paga ao locador a máquina, todas as manutenções necessárias e no fim do contrato além do retorno sobre o aluguel a locadora vende o equipamento usado para renovar a frota, não é um bom negócio?

Mas é claro que alugar tem suas vantagens e os principais motivos pelos quais muitas empresas alugam e não compram são:

1)     Péssimas experiências com frota própria, normalmente ocasionada por prestadores de serviços sem o mínimo de comprometimento.

2)     Falta de colaboradores e gestores que estejam dispostos a se preocupar com os cuidados que esses equipamentos exigem.

3)     Comodidade por parte do cliente, pois o locador é obrigado a deixar o equipamento sempre disponível, mesmo que às vezes não seja possível.

4)     Possibilidade para atender pequenos períodos, o que está cada vez mais difícil no segmento de equipamentos elétricos.

5)     Abatimento no IR.

E ATENÇÃO, manutenção preventiva não é só tirar o pó do equipamento, mas isso é assunto para outro artigo.

* Por William Nascimento, empresário especialista em equipamentos para movimentação de cargas, sócio da Movimak. (william@movimak.com.brtwitter: @willmovimak)

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • Fabricio Franciscon Luiz

    Willian boa tarde, nos dias de hoje ainda compensa ter uma empilhadeira para alugar?
    Estou interessado em adquirir uma e dipor para aluguel, o que você me diz?

  • Diego Lima

    Oi William, muito bom o texto.
    Estou estudando entrar nesse negócio de aluguel de máquinas, no caso com uma mini carregadeira. Fiquei com dúvida de como funciona a questão da manutenção da máquina nesses contratos de locação. O locador paga para uma empresa especializada que faça as manutenções preventivas, de acordo com o horímetro, e o locatário paga eventuais manutenções necessárias para que a máquina seja devolvida, ao final do contrato, nas mesmas condições que foi entregue. É isso mesmo?

    Mais uma coisa, essa realidade de preços de compra e aluguel, corresponde a que cidade/estado do Brasil?

    • Tudo bem Diego? Como você está começando, provavelmente não compensa ter uma equipe própria para fazer as manutenções. Então o caminho é você desenvolver um parceiro para executar as manutenções preventivas e corretivas. Ele poderá auxiliar em situações que ocorrer problemas na sua máquina por utilização incorreta, negligência do operador etc. Os custos de manutenção por desgaste devem ser por conta do locador. No caso das empilhadeiras podem ou não incluir pneus ou rodas. Na devolução do equipamento todos os defeitos que não forem por desgaste normal deverão ser negociados com o locatário. Os custos que mencionei são do RS, região metropolitana. Me manda seu e-mail, assim podemos trocar informações. Abraços.., William Nascimento… william@movimak.com.br

  • Berti, tudo bem? Tu tem toda razão ao lembrar da vida útil dos equipamentos, em operações severas sempre aconselho os cliente a substituírem a cada 4 anos, mas vejo muitas empresas operando com equipamentos da década de 90 e reclamando do desempenho delas. Renovação de frota é necessário principalmente para utilização das novas tecnologias. Quem bom que gostou do artigo, logo enviarei para o Leandro sobre manutenção preventiva.

    André, tudo bem? Adquirindo o equipamento com recursos próprios e á vista o resultado melhora a favor da aquisição. Tudo isso que relatei é baseado na minha experiência com clientes, sou locador porém não posso esconder a realidade do cliente. Mas o assunto é meio polemico mesmo, principalmente porque os locadores não gostam. Vi seu blog e achei bem bacana, parabéns.

    Abraços

    WILLIAM NASCIMENTO

  • Olá Leandro, tudo bem?

    Seguinte, eu acho que isso é muito relativo e está analise precisaria ser mais aprofundada!

    Precisa considerar também o comparativo de comprar a empilhadeira a vista e também o custo de oportunidade.

    Isso também deve ser considerado em carros, máquinas pesadas e etc.

    Tudo depende de muitos fatores.

    Dá uma olhada no meu blog que eu fiz um comparativo entre comprar ou alugar um carro.

    Att.,

    André Savi,

  • Berti

    Muito bom Leandro.

    Por 7 anos trabalhei com controle de estoque florestal, e os equipamentos eram locados, equipamentos de carga pesada. Há uma economia sim no caso de locação, mas o que "quebrava" o rendimento e a eficiência dos equipamentos, era suas manutenções preventivas. Sabemos que as manutenções funcionam conforme quando os horímetros das máquinas atingem a carga horária prevista para manutenção de cada ítem do equipamento (trocas de óleos, lubrificação, freios, motor, diferencial, hidráulica, etc) e o atraso, ou até mesmo o acúmulo destas manutenções, compromete em muito o equipamento, e agravando o problema. Sem contar em que determinadas empresas insistem em trabalhar com equipamentos com a vida útil de trabalho estourado, optando por aquele "da um jeito", "faz um remendo", " ajuste provisório", e o provisório se torna permanente, e no fim os custos se elevam. Manter a manutenção em dia, como disse Leandro, "não apenas tirar o pó", garante a durabilidade e eficiência operacional e mecânica do equipamento e operador.

    Parabéns pelo artigo Leandro, estamos eperando o próximo sobre manutenções preventivas.

    Abraço a todos