Bicicletas como meio de transporte urbano

Bixi aluguel de bicicletasUma das tendências em logística urbana é a tentativa de descongestionar o tráfego de veículos no centro das cidades. A maneira mais tradicional de se alcançar este objetivo é oferecer meios de transportes públicos eficientes, seguros e confiáveis. Algumas cidades têm ido além, e encorajando os cidadãos a usarem bicicletas para ir ao trabalho e escola, com a construção de ciclovias ou faixas exclusivas para tal.

No Brasil algumas cidades implantaram sistemas de ciclovias pensando não somente na mobilidade urbana, mas na saúde pública, pois incentiva as pessoas a fazerem uma atividade física ao invés de usarem seus automóveis, além de contribuir para a diminuição do aquecimento global.

Ao redor do mundo, algumas cidades fizeram um passo a mais: implantaram um excelente sistema de aluguel de bicicletas. Conheça abaixo um pouco mais deste sistema, e imagine se algo parecido poderia fazer sucesso em sua cidade.

Em Montreal, a segunda maior cidade do Canadá com quase 4 milhões de habitantes em sua região metropolitana, a prefeitura implantou em maio de 2009 o sistema Bixi. Atualmente são mais de 5000 bicicletas disponíveis para locação em mais de 400 estações de auto-serviço. No centro da cidade e nos bairros próximos ao centro encontra-se uma estação a cada 2 quadras, com espaço para em média 20 bicicletas.

Bixi bicicletaCada estação tem os espaços onde as bicicletas ficam disponíveis (presas no suporte) além de um aparelho para pagamento e liberação da bicicleta. O pagamento é feito com cartão de crédito ou com passes anuais, ao custo de 78 dólares (praticamente o mesmo custo do passe de 1 mês do metrô/ônibus). Também é possível comprar passes válidos por 24 horas (excelente para turistas) ou por mês. Durante o inverno, quando há muita neve, o sistema não funciona e as estações são retiradas. Uma curiosidade interessante sobre a estação é que ela funciona a base de energia solar, com um pequeno painel instalado junto de cada uma delas, não necessitando ligaçõs elétricas externas. A comunicação para pagamento via cartão de crédito na máquina é feito sem fio, com a mesma tecnologia das máquinas usadas para pagamento de estacionamento urbano da cidade.

As bicicletas são feitas em uma única peça de alumínio, com todos os cabos/correntes protegidos para evitar vandalismo e diminuir as chances de avarias. Os pneus são especiais para tornar mais difícil um furo e nitrogênio é utilizado para manter a pressão constante.

Bixi aluguel de bicicleta em Montreal, CanadáO sistema Bixi foi exportado para outras cidades e outros países, e recentemente foi instalado em Londres na Inglaterra e assim como em Montreal a população utiliza bastante o sistema. Já existem também em cidades da Austrália, Estados Unidos e outras cidades do Canadá. As bicicletas ficam em pontos estratégicos: estações de metrô, ao lado de pontos de ônibus, pontos turísticos, universidades e grandes prédios comerciais. Mas nem só da disponibilidade de bicicletas se consegue o sucesso.

No Brasil, a cidade do Rio de Janeiro oferece um sistema com 190 bicicletas em 19 pontos espalhados em alguns bairros da cidade.

faixa exclusiva para bicicletasÉ preciso que a cidade esteja adaptada para a circulação das mesmas, com faixas exclusivas para os ciclistas e ciclovias nas grandes avenidas. Em Montreal, junto do sistema Bixi a cidade teve as grandes ruas pintadas com uma faixa para os ciclistas poderem desfrutar com tranquilidade e segurança em seus deslocamentos, como mostra a figura ao lado.

Como é a situação na sua cidade? Existem ciclovias e é seguro transitar de bicicleta? Deixe um comentário dizendo sua cidade e qual a situação dela, vamos comparar as diferentes regiões do Brasil.

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • Mário Luiz Pi

    Olá pessoal aqui em Curitiba a varias ciclovias interligando os parques a alguns dias a prefeitura inaugurou 4km de faixas exclusivas para bicicleta: Gostaria de saber o sistema de planejamento de outras cidades referente ao tema, e o nome de alguns livros que trata este tema.

  • Karla Gomes

    Segue para voce

  • Pingback: Um mega projeto de engenharia e logística – a Artéria Central de Boston « Logística Descomplicada()

  • Hoje vi uma cena inusitada, e imediatamente lembrei desse post. Numa ciclovia aqui em Montreal (Canada), havia um guarda de bicicleta, logo depois de uma curva onde tinha uma esquina. O sinal estava fechado para os pedestres/ciclistas, e aqueles que passavam o sinal vermelho davam de frente com o guarda, que mandava parar e estava distribuindo o que parecia ser multas! Achei engraçado e fiquei com pena dos coitados….

    Mas se é pra ter ciclovia organizada, com sinal verde para ter a preferência fazendo o trânsito de uma importante avenida da cidade parar, então é pra respeitar o sinal vermelho.

    Vou tentar me informar de quanto é a multa para este tipo de infração.

    Abraços!

  • Marcio

    Concordo que falta ciclovia e ciclo faixa…..mas se for ficar esperando a boa vontade do governo ….xiii….

    É possivel utilizar a bicicleta, estude a rota antes de sair….evite (se possivel) as avenidas muito movimentadas. Ande na mão certa, mantenha-se a direita, use capacete e dispositivos de iluminação (frontal e traseira)…Tome uma ducha rapida ao chegar no trabalho para tirar o suor…..Alternativas tem, basta o brasileiro parar de ser consumista, ostentar poder e luxo.

    Ps: Obvio que se vc mora longe do seu objetivo, ir de bicicleta fica complicado , o ideal seria o transporte coletivo , mas como é muito ruim acaba sendo obrigado a utilizar o carro…

  • Um dos maiores vilões do meio ambiente e do ecossistema hoje e o alto índice do consumismo humano. O homem moderno age como se a agressão a natureza fosse algo que facilmente se regenera, se repõe em questão de horas, dias. E é a partir disso que a sociedade hoje esta cada vez menos preocupada com o uso de energias renovaveis, que contribui para o não desenvolvimento do aquecimento global. Sou morador da cidade de Betim, a 30 km da capital Belo Horizonte. O próprio transporte público não possui vias que atendem sem transtorno a grande demanda de automóveis, o que descarta totalmente a existência de ciclovias nas ruas e avenidas da cidade. Os engarrafamentos são constantes, e há um grande índice de acidentes. É necessário uma nova reformulação logística tanto das vias públicas, quanto dos transportes públicos, onde se vêem muitas ações de imprudência e desrrespeito ao cidadão.

  • Eu moro em Feira de Santana Ba e aqui tem o sistema de ciclo via, apenas para diversão, porque nimguém se interessa pelo meio ambiente, andar de carro polui e é luxo, quem pensaria em andar de bicicleta com o objetivo de despoluir o meio ambiente?Se todos tivesse essa consciencia o mundo muda.

  • Luiz

    Infelizmente no Brasil a bicicleta ainda é vista como um brinquedo. Não há uma única cidade brasileira que tenha uma postura séria com relação à bicicleta, embora Sorocaba esteja nesse caminho. São Paulo não tem ciclovias e a CET sequer considera a bicicleta como veículo – isso logo em uma cidade que tem congestionamentos intermináveis e que, se quisesse, teria condições financeiras de implementar milhares de quilômetros de ciclovias em pouco tempo. Até NY e Los Angeles, templos sagrados dos automóveis, mudaram de postura radicalmente nos últimos anos e adotaram políticas de incentivo aos ciclistas e contra o transporte individual. Em Londres, famosa pelo péssimo clima, as ruas estão tomadas por ciclistas no verão ou inverno. Os urbanistas são unânimes em afirmar que os problemas do trânsito só são resolvidos com uma boa estrutura de transporte coletivo e o incentivo à mobilidade sustentável – leia-se bicicleta. Infelizmente, o Brasil está umas três décadas atrasado e ainda insiste em construir avenidas, pontes e viadutos, e ainda há quem acredite que isso resolverá o problema. Quem semeia avenidas, colhe congestionamentos!

  • Marcos Martins

    Eu moro no RJ, existem muitas ciclovias … sendo que este sistema existe somente nas areas nobres do RJ, como a Zona Sul. Aqui na Zona Norte muito mal temos asfalto bem cuidado, quanto mais ter ciclovias.

    Não só no RJ mas no Brasil inteiro, esta realidade ja existente em outros países ainda não chegou aqui, não com o esse objetivo. Aqui o objetivo é fazer para aparecer e não para produzir um bem para a socidade e o meio em que ela vive.

  • Max Vidal

    Olá,

    Infelizmente no Brasil esta realidade ainda está longe de acontecer. Se esta sistemática fosse analisada de forma correta, vários problemas urbanos hoje que enfrentamos seriam parcialmente corrigidos, tais como: grandes congestionamentos por conta da ineficiência do transporte público e com isto o cidadão tem que ir trabalhar em seu atomóvel particular; aquecimento global, pois com menos veículos e mais bicicletas teríamos menos emissão de poluentes; vida mais saudável para os brasileiros, pois cada vez mais nos aproximamos do rítimo frenético de trabalho nos norte-americanos e europeus e por conta deste fato, cada vez menos estamos nos disponibilizando a praticar atividades físicias.

    Bem estes são alguns pontos que o governo iria combater com adoção á esta tendência, sem considerar que iriamos resgatar a nossa estrutura de estradas (que por sinal, estão péssimas) remodelando elas para atenderem esta demanda.

    È um tema estremamente interessante e que se fosse praticado aqui, renderia boas oportunidades para novos negócios geraria qualidade de vida para população.

    Abraços,

    Max Vidal.

  • Pingback: Tweets that mention Bicicletas como meio de transporte urbano « Logística Descomplicada -- Topsy.com()