Brasil reafirma seu pioneirismo na produção do etanol

Como parte de uma iniciativa para diversificar as fontes de suprimento para geração de energia elétrica e estimular a produção de combustíveis renováveis, a Petrobras inaugurou nesta terça-feira, 19, a conversão da primeira térmica do mundo a operar com etanol, na usina termelétrica de Juiz de Fora (MG). A cerimônia contou com a presença do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

A usina, que faz parte do parque gerador da estatal petrolífera, operava apenas com gás natural e inovará suas operações passando a operar no sistema flex-fuel (bicombustível). Inédita no mundo, a operação com etanol, iniciada no último dia 31 de dezembro, encontra-se em testes para otimização.

A escolha da unidade mineira para a conversão foi motivada principalmente pela disponibilidade de área e pelas turbinas derivadas do uso aeronáutico, que já eram utilizadas na UTE JF.

Pioneiro no uso do etanol para veículos e o segundo produtor mundial desse combustível renovável, o País abre uma nova fronteira para o uso do etanol no mercado mundial: a geração de energia elétrica, tanto no país como no exterior. Países importadores de combustíveis líquidos e gasosos, como o Japão, são mercados potenciais para esse uso.

Expertise

Com essa iniciativa, o Brasil reafirma sua posição de destaque na produção e uso do etanol e a Petrobras dá mais um passo na busca por fontes alternativas de geração de energia e no esforço para flexibilizar seu parque gerador, que agora, conta também com uma usina capaz de gerar energia elétrica a partir do etanol.

A conversão da turbina consistiu na troca da câmara de combustão, de dois bicos injetores e na instalação de equipamentos periféricos (sistema de recebimento, tanques, bombas e filtros) que permitem o recebimento, o armazenamento e a movimentação do etanol para a turbina.

Cerca de 90% dos materiais e equipamentos para a infraestrutura de recebimento, armazenagem e transferência do etanol para a turbina são nacionais. Em relação aos equipamentos adquiridos para conversão da turbina, o percentual é de 5%.

De acordo com a Petrobras, a geração de energia elétrica a partir do etanol abre grandes oportunidades para o Brasil, com ganhos econômicos, energéticos e ambientais. Além da segurança energética resultante da diversificação das fontes de geração.

Há ainda a criação de um novo segmento de mercado para o etanol no Brasil e no exterior, a redução dos níveis de emissões atmosféricas e a possibilidade de negociação de créditos de carbono no mercado internacional, por meio do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL).

Essa é mais uma iniciativa da Petrobras para diversificar as fontes de suprimento para geração de energia elétrica e estimular a produção de combustíveis renováveis, dando maior flexibilidade ao sistema elétrico brasileiro.

Por: Webtranspo

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • Oi Leandro gostei muito do site,encontrei informacao muito interesante. Sou brasileira mais vivo fora do Brasil desde 1989,estudei ciencia ambiental e gosto de estar ao dia de tudo que acontece no Brasil. Fico super feliz de saber que ainda somos os pioneiros na tecnologia do etanol. O projeto do trem bala es de suma importancia para a economia do Brasil.

    Obrigado!

    Desculpa por o meu portugues mau redatado

    • Oi Simone, primeiramente obrigado por usar o logística Descomplicada como fonte de pesquisas longe do Brasil. Provavelmente você vai se interessar pelas matérias que falam sobre o meio ambiente, logística reversa e responsabilidade sócio-ambiental.

      Todos os projetos que melhorem a infra-estrutura do Brasil serão muito bem vindos, incluído aí o trem bala.
      Um abraço