Logística

Infraestrutura alavancará a cadeia de transporte em 2010

Os planos voltados à expansão da área de infraestrutura no País, previstos para os próximos anos, vão contribuir com a retomada da indústria fornecedora de equipamentos ao setor de transportes, que em seus vários segmentos observará uma queda média de 20% nos negócios em 2009, ainda em decorrência da turbulência econômica. Os projetos de mobilidade urbana, a implantação do trem de ata velocidade (TAV), o pré-sal, concessões de rodoviárias e ferroviárias, e até o incremento no turismo podem trazer a cadeia produtiva de volta aos patamares de 2008, um dos períodos mais aquecidos da história recente do setor.

Um dos exemplos destes benefícios é o mercado de carrocerias de ônibus, cujo cálculo é de um retrocesso de 19% da produção este ano, se comparado com as 31 mil unidades produzidas em 2008. “Nessa área, temos como fatores positivos para a retomada os estudos de implantação de projetos de ônibus rápidos que devem ser apresentados como solução à mobilidade urbana nas cidades que vão sediar a Copa de 2014”, analisou José A. F. Martins, presidente do Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviário (Simefre).

De acordo com Martins, já em 2010 as vendas do segmento no mercado interno podem ser parecidas com o que foi visto em 2008, quando foram comercializadas 25 unidades. O executivo citou ainda como impulso os aportes em estrutura viária, previstos no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC), e até um mercado em desenvolvimento no Brasil, que é o dos ônibus escolares, muito comum em outros países.


Porto do Pecém vai escoar minério do Piauí em 2012

Matéria do portal NEWSCOMEX:Porto de Pecém, Ceará

É escoando a produção de minério de ferro por um porto cearense que o vizinho Piauí vai se tornar um dos gigantes da mineração do Brasil e do mundo. Isso de acordo com investimentos feitos pela empresa brasileira de mineração Global Mining Exploration, ou GME4.

Segundo o geólogo João Carlos Cavalcanti, um dos sócios da GME4, o projeto do Piauí está em fase final, sendo que a exportação deve acorrer a partir de 2012. “O minério do Piauí vai escoar pelo Porto do Pecém. Isso é uma realidade. O projeto está bem avançado, estamos calculando reservas, vendo convênios e em 2012 a mina já deve estar operando“, afirmou Cavalcanti, ontem, antes de ministrar palestra sobre empreendedorismo e geologia durante a abertura do GeoCeará 2009, no auditório da Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec).

Pelos cálculos do empresário, a exploração de minério de ferro vai proporcionar o importante impacto na economia piauiense, estimada em 20% do Produto Interni Bruto (PIB).

Logística
Implantação da Teoria das Restrições

Implantação da Teoria das Restrições

artigo publicado no XV Simpósio de Engenharia de Produção (SIMPEP) em Bauru, SP, 2008:

Proposta para um conjunto de etapas para implantação do método Tambor-Pulmão-Corda – TPCTeoria das restricões

Autores: Janaina Basilia, Luiz Guilherme von Atzingen, Neimar Follmann, Carlos Taboada.

A busca constante das empresas pelo aumento da lucratividade e da competitividade leva à necessidade da utilização cada vez mais eficaz dos seus recursos. Uma forma de satisfazer a essa necessidade é a alteração no modo como as tarefas são alocadas nos recursos produtivos, o que pode ser obtido utilizando-se o método de programação da produção proposto pela Teoria das Restrições: o Tambor-Pulmão-Corda (TPC), aliado às técnicas de Gerenciamento de Pulmões. O TPC tem a função de programar a produção em função da restrição do sistema, e o Gerenciamento de Pulmões permite o controle do que foi planejado pelo TPC. Neste artigo, o TPC e o Gerenciamento de Pulmões são apresentados, através de revisão bibliográfica de livros e artigos sobre o tema. Em seguida, propõe-se um roteiro para implementação dessas ferramentas. Posteriormente, são apresentadas as conclusões do estudo. A principal contribuição deste trabalho é a desmistificação do Tambor-Pulmão-Corda e do Gerenciamento de Pulmões, através da apresentação de uma proposta prática e detalhada de implementação, na forma de um roteiro em sete etapas.

Leitura recomendada

Começando nesta segunda-feira, 16 de novembro, e durante 3 semanas, indicarei diariamente  um livro relacionado à este blog. Confira! Todos os livros indicados são aqueles…

Mais uma sobre barcos…

Com o sucesso do último post sobre o viaduto de navios (veja aqui, se ainda não viu), mostro agora mais uma obra de arquitetura e engenharia: a Roda Falkirk (Falkirk Wheel), localizada na Escócia:

Falkirk Wheel - Escócia

Esta “roda” funciona como um elevador para navios, uma alternativa às eclusas (como as do Canal do Panamá, que já mostrei aqui no blog).

O desnível é aproximadamente de 25 metros, e a roda consegue transportar 2 navios de cada vez: um que sobe, outro que desce. Os navios entram num compartimento fechado, enquanto toda a estrutura gira 180º, permitindo a continuidade da navegação.

O processo não leva mais do que 5 minutos, e usa muito pouca energia pois os dois compartimentos sempre têm o mesmo peso, não importa se há um navio dentro dele ou não. Quando um navio entra, um pouco de água sai e assim os 2 compartimentos estão sempre equilibrados.

Confira uma foto tirada durante a metade do percurso:

Falkirk Wheel - metade do caminho

Coloquei dois vídeos desta obra na seção de vídeos, e você pode conferir clicando aqui.

Confira mais informações e mais fotos no resto deste post:

Dois rios, duas rotas, um cruzamento….

Essa é pra quem acha que já viu de tudo: na Alemanha, existe um cruzamento de dois rios, com tráfego em direção perpendicular um ao outro. Como? Um rio passa por cima do outro.

Normalmente vemos pontes para pedestres e automóveis passarem por cima de rios, mas por lá, resolveram fazer navios passarem por cima de rios também, em sua própria ponte.

Confira nas fotos abaixo!

Cruzamento de rios, Alemanha

A ponte tem 918 metros de extensão e foi finalizada em outubro de 2003, e está localizada na cidade alemã de Magdeburg.

A ponte tem amplo espaço para visitação do público, e inclui estacionamento e vias para pedestres e bicicletas. Placas informativas detalham a história e dão notícias da construção da ponte.

Confira mais fotos desta maravilha da engenharia e logística abaixo:

Qualidade x produtividade

produtividade ou qualidade? Ou os dois?!

Matéria publicada nos portais NEWSCOMEX e IBCELOG em novembro de 2009:

A flexibilidade produtiva: Focar em qualidade ou em produtividade?

Autor: Leandro Callegari Coelho.

Desde que Ford implementou a linha de produção, até os dias de hoje a produção em massa tem sido um dos modelos mais utilizados. No entanto, nos últimos anos, devido à necessidade de atender clientes diferentes com gostos diferentes e competir num mercado global altamente concorrido, um sistema de produção flexível se tornou apropriado para muitas situações.

Na produção em massa o foco está na estrutura da empresa, em aproveitar da melhor forma possível os recursos disponíveis, visando o menor custo unitário e a maior lucratividade. Com o advento das técnicas de qualidade (TQC, TQM, quality assurance, 5S, Six Sigma, dentre outras), que foram em grande parte desenvolvidas no oriente, as empresas de produção em massa puderam incorporar no seu dia-a-dia um modelo de produção mais condizente com as necessidades do mercado, que quer mais do que só o produto: quer também valores agregados, benefícios paralelos, qualidade.

Reduzir os estoques para melhorar os custos

estoques

Gestão de estoques – Onde atuar para diminuir seus estoques e melhorar seus custos

A crise econômica está dando sinais de que ficou para trás, mas isso não significa dinheiro sobrando no caixa das empresas, muito menos que é hora de afrouxar as rédeas do controle e do corte de despesas desnecessárias.

Uma área em que sempre é possível melhorar é na gestão do inventário. Dependendo do tipo de produto com que sua empresa trabalha, o nível de estoques incorreto pode ser seu fim. Níveis adequados de estoques têm impacto direto no giro de caixa e nos custos, e nunca será demais melhorar a gestão de estoques.

Dado que os estoques estão lá para atender a uma demanda futura, normalmente desconhecida, deve-se focar na melhoria dos sistemas de gestão de estoques, de previsão de demanda e na avaliação da qualidade dos mesmos.

Responsabilidade ambiental – função de todos

Responsabilidade ambiental e sustentabilidadeEm busca de processos mais verdes

Não há como negar a crescente atenção dada ao meio ambiente, aquecimento global e responsabilidade ambiental. Espera-se que as empresas façam sua parte para diminuir as emissões de carbono, e os olhos dos consumidores estão voltados a isto. Logo, não é mais uma opção promover processos ecologicamente responsáveis: agora é obrigação.

No entanto, isto não significa que as empresas precisam gastar mais para atender a esta nova demanda. Pelo contrário, é possível lucrar mais com isto.

Pesquisas indicam que pelo menos 75% dos consumidores afirmam que suas decisões de compras são influenciadas pela reputação ecológica da empresa, e que até 80% estariam dispostos a pagar um pouco mais caro por um produto ecologicamente correto. Já se foi o tempo em que os consumidores apenas pensavam no assunto, hoje eles já pagam por isso. Vejamos dois exemplos.

Pages