Comece o ano com emprego novo

novo empregoNada melhor do que começar o ano inserido no mercado de trabalho. O período, de acordo com especialistas, é propício para boas oportunidades, em função da baixa concorrência das férias.

Assim como os candidatos, as empresas começam 2011 colocando no papel os desafios e as metas a serem cumpridas ao longo dos próximos 12 meses. Para obter êxito, elas precisam de mão de obra especializada.

De acordo com o portal de vagas e candidatos Infojobs, só na primeira semana do ano, foram cadastradas mais de 395 mil oportunidades que atendem a diversas áreas e níveis hierárquicos.

Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o índice de desemprego no País ficou em 5,7% em 2010, o menor registrado nos últimos anos. Reflexo desse momento, o ano novo traz com ele novas oportunidades de contratação, além de mais vagas formais por todo o Brasil.

Momento
O Brasil registrou a abertura de 2.524.678 de vagas de trabalho em 2010. Com este resultado, o governo ultrapassou a meta de criação de 2,5 milhões postos de trabalho. Os dados foram apresentados pelo MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

Na análise setorial, sete dos oito setores de atividades econômicas analisados registraram saldo positivo de emprego em 2010. A exceção ficou com Agricultura, com o corte de 2.580 vagas.

Em números absolutos, o destaque ficou com Serviços, com 1.008.595 vagas de trabalho. Outro destaque do período foi Comércio, que apresentou abertura de 601.846 postos de trabalho. A Indústria da Transformação foi o terceiro setor que mais gerou emprego no ano passado, ao responder por 536.070 vagas. Em seguida, está Construção Civil, com a criação de 329.195 vagas.

Mulheres melhores preparadas, salário menor

Os salários entre homens e mulheres têm diferenças de até 51%, segundo pesquisa da Catho Online. Mesmo com pós-graduação, as remunerações continuam diferentes. O levantamento envolveu 164 mil entrevistados de 20 mil empresas no país.

Na comparação entre sexos ocupando o mesmo cargo, a pesquisa aponta que os homens ganham mais que as mulheres em todos os níveis, com destaque para a gerência, onde eles ganham, em média, 51,6% a mais que as mulheres, seguido do operacional (50,7% mais) e técnico (37,5% mais).

No cargo de direção, a diferença chega a 35,5% a favor do homem e, no cargo de supervisão, de 32,2%.

Apesar de ainda ganharem menos que os homens, no quesito escolaridade as mulheres possuem indicativos maiores que os eles: 63,7% das mulheres têm ensino superior — 44,2% são graduadas e 19,5% pós-graduadas. No caso dos homens o percentual é de 55,3% –38% com graduação e 17,3% com pós.

‘Mesmo as mulheres se preparando tão bem para o mercado de trabalho, elas ainda possuem salários menores. Observamos grandes diferenças salariais tanto para cargos operacionais como gerenciais, ou seja, as diferenças ainda ocorrem de forma expressiva em vários níveis hierárquicos’, aponta Silvana Di Marco, gerente da Pesquisa Salarial.

Fontes: Infomoney e Folha Online

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • Flávio Dnats

    De fato foram abertas muitas vagas de emprego, e algumas das vezes não chegam a serem preenchidas, pois o número de pessoas capacitadas não é suficiente ou as exigência que são estabelecidas,pelo empregador são muitas (exemplo experiência), precisamos sempre nos atualizamos e estarmos sempre ligados a novos rumos, horizontes mais favoráveis.