Como simplificar sua Cadeia de Abastecimento

Como simplificar sua Cadeia de Abastecimento

Simplicidade pode ser algo complicado… principalmente na perspectiva da cadeia de abastecimento. Num conceito básico, as empresas devem revisar seus processos, incluindo suprimentos (compras), estocagem e expedição, e assim, desenhar suas instalações logísticas.

O principal “driver” deve ser a visibilidade dos estoques (inventários) e colaboração entre os parceiros da cadeia logística. Todos se beneficiam deste exercício, do presidente ao separador dos pedidos, e por conseqüência o cliente final.

redes logística cadeia de suprimentosConceitos como S&OP (Sales and Operations Planning), BI (Business Intelligence) e suas análises são ferramentas valiosas mas se você entregar o produto errado ao seu cliente, será mal avaliado…

A fase de coleta de dados é um bom ponto de partida. É comum identificar informações desnecessárias, eliminando dados que servem para apenas uma ou duas pessoas. Estabelecer indicadores-chave de desempenho (KPIs – Key Performance Indicators) pode facilitar ainda mais o processo. Adicionalmente, deve-se mapear sua cadeia de abastecimento, para entender como os produtos se movem. Se há muitos contra fluxos, cruzamentos e tudo mais, é possível que as coisas não estejam indo bem.

Em um CD, gerentes devem focalizar o atendimento de pedidos, e não sufocar seus colaboradores com tarefas desnecessárias. Eles devem criar um ambiente nos quais seus funcionários e recursos (equipamentos) podem desempenhar suas atividades sem obstáculos.

A simplificação de malhas logísticas é igualmente importante. Reduzir o movimento dos materiais e melhor o nível de serviço, sem grandes estoques contribui com benefícios significativos.

* Por Edson Carillo (edson.carillo@connexxion.com.br) – Engenheiro de Produção Mecânico, com MBA em Administração Industrial e Especialização em Gestão Executiva pela St. John’s University (The Peter J. Tobin College of Business). Mais de 20 anos de experiência em supply chain management – logística. É Diretor Executivo da Connexxion do Brasil | Supply Chain Engineering, consultor e instrutor nas áreas de operações (SCM e Manufatura). É Professor de MBA-FGV nas disciplinas de Operações e Serviços, co-autor de diversos livros. É Vice Presidente do ILOG – Instituto LOGWEB e Diretor da ASLOG. Foi presidente do Instituto Imam, engenheiro industrial da Indústrias Alimentícias Kibon e engenheiro pesquisador na Cia Ultragaz.

 

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • João Andr&eac

    É importante que se faça uma análise, com foi sugerido no artigo, do fluxo da cadeia de abastecimento, pois teremos uma ideia de como sanar os gargalos que travam toda à cadeia.

  • Olá Leandro parabéns por todas as matérias, através delas posso conhecer melhor a Logística, já que sou estudante da área. Também sou representante de sala e utilizo de um BLOG para expandir conhecimentos sobre a Logística, para fazer de meu BLOG mais interessante posto as matérias da Logística Descomplicada para todos os alunos e interessados… Caso interesse em conhecer o Blog o link está no nome