Controle financeiro do desempenho logístico

Nos útlimos dias vimos duas matérias sobre conceitos e definições de logística e gestão da cadeia de suprimentos (este e este). Hoje veremos um pouco mais da partes de custos, com o controle financeiro do desempenho logístico.

Por: Ivan Henrique Vey

O processo de globalização levou ao acirramento da competição entre empresas, as quais procuram sobreviver e permanecerem ativas no mercado em que atuam. Para tanto fazem o uso de diversas estratégias buscando se diferenciarem das concorrentes. Mas para que isto seja possível é necessário que a toda a estrutura da organização opere de forma eficiente. Neste contexto o setor logístico das empresas carece de uma maior atenção.

Muito se tem falado em logística integrada, mas na realidade isto não vem acontecendo em muitas empresas. Os processos logísticos são tratados de forma separada e muitas vezes sem a devida atenção que merece. A logística não é representada apenas por transportes e armazenagem, como muitos pensam, seus processos são mais amplos e variados do que muitos imaginam.

A logística atualmente é responsável pela coordenação do fluxo de bens desde o ponto de origem até o ponto de consumo.  Desta forma, seus processos devem serem tratados de forma integrada, ou seja, logística integrada. Para Lambert et al. (1998, p.41) “significa o tratamento integrado das diversas atividades como um sistema integrado”.

Neste contexto, os custos logísticos requerem uma atenção especial visto que representam em média 25% do custo fabril de uma empresa. O problema reside na necessidade de estes dados de custos estarem disponíveis e serem precisos, o que muitas vezes não ocorre nas organizações.

Lambert et al. (1998) propõe que a chave para administrar a função logística é a análise do custo total. Desta forma, a administração deve buscar de todas as formas minimizarem o custo logístico total. Assim, a empresa deve possuir os dados de custos para poder avaliar e medir o desempenho logístico.

Para Ballou (1995), as atividades logísticas devem ser encaradas como um processo contínuo, cujo desempenho deve ser monitorado. Sua função é prover informações sobre o desempenho das atividades logísticas, especialmente quando a variabilidade exceder uma amplitude aceitável.

Segundo Rey (1999), para se medir o desempenho da função logística, é necessário ter como marco de referência os indicadores genéricos que a empresa utiliza como um todo. Estes indicadores têm sido construídos com base nos elementos que contribuem para melhorar a posição competitiva da empresa.

Bowersox e Closs (2001), colocam que existem três objetivos principais no desenvolvimento e implementação de sistemas de medição de desempenho logístico: monitorar, controlar e direcionar as operações logísticas.

Para Lambert et al. (1998), o maior erro cometido pelas empresas na busca de minimizar o custo logístico total é a de utilizarem uma abordagem não interativa. Não adianta cortar custos individualmente, pois irão ocorrer trocas compensatórias entre elementos de custos, ou seja, a alteração em uma função pode alterar uma ou mais funções. Desta forma, deve-se analisar de forma conjunta, e verificar os reflexos de uma mudança na estrutura como um todo.

Muitos são os fatores que causam distorções medição do desempenho logístico: utilização da média dos custos dos fretes, inabilidade em distinguir entre custos fixos e variáveis, falhas de alocação e controle das falhas.

Comparar custos requer um sistema contábil detalhado e com informações precisas. As empresas devem desenvolver sistemas de informação contábil mais eficazes para contabilizar os custos, o que será um auxílio vital na tomada de decisões pelos gestores das empresas.

Lambert et al. (1998) propõe a utilização de padrões de custos, orçamentos flexíveis, padrões de produtividade e controle estatístico do processo como formas de avaliar e medir o desempenho logístico.

Para que isso se torne eficiente necessário se faz a utilização de um moderno sistema de informações gerenciais. Atualmente os avanços tecnológicos podem propiciar as empresas modernos sistemas informatizados para controle gerencial. Um sistema eficaz deve ter velocidade e agilidade, para que as informações ocorram em um quase tempo real.

Desta forma, Lambert et al. (1998), em suas abordagens sobre desempenho financeiro da logística propõe:

  • Abordagem integrada de administração e controle da função logística;
  • Sucesso depende da análise conjunta do custo;
  • Decisões erradas devido a dados inexatos;
  • Mudanças no sistema logístico devem justificar seus custos comparando os custos totais antes e depois da mudança;
  • Disponibilidade de dados precisos de custos é muito importante;
  • Análise do custo-benefício;
  • Utilização de custos padronizados, orçamentos flexíveis, padrões de produtividade e o controle estatístico dos processos;
Referências bibliográficas

BALLOU, Ronald H. logística empresarial. São Paulo: Atlas, 1995.
BOWERSOX, Donald J. e CLOSS, David J. Logística Empresarial: O processo de integração da cadeia de suprimento. São Paulo: Atlas, 2001.
LAMBERT, Douglas M.; STOCK, James R.; VANTINE, José Geraldo. Administração Estratégica da Logística. São Paulo: Vantine Consultoria, 1998.
REY, Maria Fernanda. Medición de desempeno em logística y operaciones. Revista Énfasis Logística,  Buenos Aieres, n° 7, p. 114-118, julho 2000 (b).
Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • Elton Carlos

    Olá Edson, você atua na area de logistica? Poderia me passar seu msn para mantermos contato ?

    Grato.

  • Edson de Sousa Barbo

    Boa noite.

    O Profissional de Logistica deve sempre estar atualizado, pois o mercado necessita de bons profissionais e principalmente devido a concorrência acirrada.

    Em todos os setores, a Logistica está inserida como ferramenta de crescimento organizacional.

  • benedito de freitas

    Se todo o cidadão soubesse oque é logística,ajudaria seu País a não se individar,porque quem acaba pagando com lágrimas, é o proprio.Fora o Disperdício.

    Benedito de Freitas 1º Ano logística

  • felipe de jesus fern

    estou muito entusiasmado com a logistica ,estou no segundo ano e vejo que eu escolhi o curso certo a fazer mas tambem sei que eu tenho que me dedicar muito se quiser chegar em nivel competitivo dentro do mercado de trabalho.