Falta de qualificação dos profissionais afeta 69% das indústrias do Brasil

Falta de qualificação dos profissionais afeta 69% das indústrias do Brasil

Por Karla Santana Mamona*, Infomoney

A falta de profissionais qualificados afeta 69% das indústrias do País. É o que revela uma pesquisa realizada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) e divulgada nesta quarta-feira (6).

O problema atinge empresas de todos os portes. De acordo com os dados, a resposta foi indicada por 70% das pequenas e médias indústrias e por 63% das grandes.

Por área
Na análise por área, nota-se que os empresários encontram dificuldades em contratar mão-de-obra qualificada em diversos setores, desde produção à gerência da empresa.

Entre os setores mais afetados está a área de produção, já que há falta de engenheiros, técnicos e operadores. falta de mão de obra qualificada afeta paísDe acordo com o estudo, nas duas últimas categorias profissionais o problema é mais disseminado. A falta de técnicos qualificados é apontada por 94% dos entrevistados, enquanto o problema com operadores é indicado por 82% das indústrias.

Além disso, a ausência de engenheiros qualificados para área de produção e de profissionais qualificados para as áreas de P&D (Pesquisa & Desenvolvimento) e gerencial recebeu percentuais menores: 61% e 62%, respectivamente.

Os empregadores também declaram que encontram problemas na área administrativa (66%) e no segmento de Vendas/Marketing (71%).

Impacto na competitividade
Não ter profissionais qualificados para desempenhar suas funções afeta diretamente a competitividade das empresas. Para 70% das indústrias, a falta destes profissionais dificulta a busca por eficiência ou por redução de desperdícios.

Em seguida aparecem a garantia e a melhora da qualidade dos produtos fabricados e a expansão da produção, com 63% e 40%, cada um. Outras dificuldades indicadas foram gerenciar a produção (28%), desenvolver novos produtos (23%), realizar a manutenção dos equipamentos (23%), ampliar as vendas (22%) e adquirir ou absorver novas tecnologias (21%).

Capacitação
Para reduzir os problemas causados pela não qualificação dos trabalhadores, 78% das indústrias realizam a capacitação dos profissionais dentro da própria empresa. Já 40% disseram que buscam fortalecer a política de retenção do funcionário, o que inclui salário e benefícios.

Entre outras ações apontadas pelos empresários estão a realização de cursos fora da empresa (33%), parcerias com instituições de ensino (23%), investimento em automação (22%), a terceirização de etapas do processo de fabricação (16%), entre outros.

Apesar das empresas buscarem alternativas para lidar com a falta de qualificação, 52% disseram que a má qualidade da educação básica dos profissionais dificulta o processo de aprendizado dos funcionários.

Os industriais também têm receio de investir no profissional por medo de perdê-lo para o mercado de trabalho. Esta resposta foi dada por 38%. Também foi indicada por 35% a falta de interesse do profissional em se qualificar. Já outros 33% dos entrevistados declararam que não existem cursos adequados às necessidades da empresa.

Para procurar uma vaga de emprego ou estágio na sua região, utilize a seção Há Vagas.

* Por Karla Santana Mamona, do Infomoney

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  •  Mão de obra qualificada não falta, sou técnico mecânico formado pelo
    cefet rj, estou procurando emprego, mais 95 % das vagas exigem
    experiência entre outros requisitos , como inglês intermediario e outros
    cursos específicos. Os outros 5 % das vagas são disputada por dezenas
    de candidatos é uma concorrencia enorme.Meu curso técnico foi excelente,
    o que falta é bom senso das empresas que exigem demais dos candidatos e
    não abrem oportunidades para recem formados sem experiência. Técnico tem sobrando por ai o que falta é oportunidade …

  • Quase 70% das industrias reclamam da falta de mão de obra qualificada, mas apenas 40% dizem investir em retenção de talentos… existe um abismo grande entre esses números. Em países mais desenvolvidos, como os EUA, as empresas brigam como cães raivosos para ver quem consegue atrair os talentos disponíveis no mercado.

    • Claudemir de Oliveir

      Acredito que as empresas deveriam ter um processo continuo de capacitação e retenção de profissionais. Os funcionários darão menos valor a sua vaga se não tiverem perspectiva de crescimento dentro da empresa. Para preencher uma suposta vaga, o mais econômico seria contratar um funcionário dotado de experiência, mas por outro lado existem bons profissionais sem experiência dentro das organizações, que com a capacitação certa podem chegar a excelência. No processo de capacitação e retenção, dois problemas são solucionados:

      *A falta de qualificação

      *Motivação dos que já fazem parte do time

  • Gurgel A.

    Em parte é verdade. Mas os politicos tem sim sua culpa. Pedir por ensino melhor, não é pedir esmola, pagamos impostos para isso! Além do que " bater boca" resolve sim, afinal se brasileiro nunca reclamasse de nada nada iria mudar.

    Ficar esperando de politico é errado, mas não cobrar deles também.

    • Acho que o errado é votar nesses que estamos colocando por lá. O que esperam os mais de 1 milhão de pessoas que colocaram um palhaço (semi-)analfabeto em Brasília? Vocês acham que este tipo de eleitor cobra algum direito? Acham que eles esperam algo melhor da política nacional?
      Para eles a eleição e a política já são o próprio circo.

      Outro elemento que não colabora para a melhora da situação é que os políticos tem muitas distrações. Muitos reembolsos, muitos direitos financeiros, muitos assessores, tem o direito de aumentar o próprio salário… mas por outro lado não conheço o DEVER deles, já que o dever moral eles não seguem.

      • alessandro

        chega de conversa fiada , todo mundo sabe que politico é safado , mas se não disposição de pegar uma arma e ir fazer revolução , entºao nºao enche com esse papinho , de politico safadinho , povo alienadinho blablabla . Saco ……

  • mario jose

    Tudo isto da falta de qualificação não vem de agora, quando o país começou a entrar em uma nova etapa de evolução que começou em collor e seguiu com Fernando H. e seguiu lula, como herança MALDITA ,NADA FOI FEITO PARA O ENSINO. E O QUE SE VÊ HOJE É O REFLEXO DO PASSADO E PARA CONSERTAR CABE AO CIDADÃO PARAR DE ACHAR QUE O GOVERNO TEM QUE FAZER TUDO(OU EMPRESAS),É PRECISO QUE O POVO PARE COM ESSA DE FICAR PEDINDO ESMOLA AOS GOVERNANTES. E CORRÃO ATRÁS DO PREJUIZO SÓ ASSIM TERÃO OPORTUNIDADE DE UM SÁLARIO DECENTE. SE FICAR BATENDO BOCA RESOLVESSE O BRASIL JÁ TERIA RESOLVIDO TODO SEU PROBLEMA ESTRUTURAL, É PRECISO QUE CADA CIDADÃO FAÇA SUA PARTE QUEM FIZER, SAI DA POBRESA MAIS RÁPIDO, QUEM FICAR ESPERANDO OS POLITICOS FAZER ALGUMA COISA ALEM DE FICAR NA LINHA DA PROBLESA E MORRER POBRE, VAI FAZER A FAMILIA TER QUE FAZER UMA COLETA PARA COMPRAR O CAIXÃO PARA O FOLGADO.

  • Gurgel A.

    Discordo do comentário. Os grandes culpados não são as empresas(empresinhas como ressalta)e sim de nossa sociedade e cultura. Afinal, quantas vezes você já viu um jovem deixar de entrar em uma faculdade para comprar um carro? Estudar mediucrimente na escola publica por julgar que a educação da mesma é ruim(o que realmente é) e por isso estudar de nada lhe vale (o que não é).

    Estudei tanto e escola particular quanto em publica, e posso afirmar que a diferença é grande, mas se o aluno se esforçar pode diminuir MUITO essa diferença.

    Além do que é errado pensar que a empresa deveria ser obrigada a dar qualificação ao funcionario! Que absurdo afirmarem isso na TV como se fosse normal. Nossa empresas só o fazem pois não acham funcionário decentes, por culpa da indolência dos mesmo e descaso a educação no pais(Não só a falta de estrutura da escola publica, mas com outros setores como ensino tecnico de qualidade.)

    • RENATA ALBUQUERQUE

      CONCORDO! EMPRESA NENHUMA TEM OBRIGAÇÃO DE DAR OPORTUNIDADE. NÓS ´W QUE TEMOS QUE NOS QUALIFICAR PARA CONSEGUIR SUPRIR AS NECESSIDADES DAS EMPRESAS.

    • alessandro

      As empresas querem qualificões absurdas, querem funcionário com menos de
      27 anos , com experiência , inglês de intermediário a fluente, disponibilidade para viajar e de horário,
      curso de determinados aplicativos em nível avançado, que tenha
      exatamente o perfil cultural da empresa. Já vi anuncio que pedia inglês e
      Mandarim Fluente para um cargo de técnico em mecânica. As empresas são
      culpadas, por serem bitoladas. Se querem funcionários com perfil
      especifico, devem se conveniar com alguma instituição para formar os profissionais que desejam.

  • José Petronio

    Concordo com a reportagem, embora, entenda que os grandes culpados são as próprias empresas(empresinhas)mesmo sendo grande em volume produtivo e em número de funcionários, não tem visão empreendedora e não investem no profissional. E esse(trabalhador) que por sua vez não tem e nem pode bancar uma escola particular que é muito caro e a pública deixa a desejar. Agora, as grandes empresas, que dão oportunidades e incentivos educacionais e tem projetos de estágios e trainees, essas não figuram entre os 69%.

  • Gurgel A.

    Sem duvida, a falta de profissionais é um problema grave no nosso pais. Sorte que na minha cidade, indaiatuba SP(ao lado de campinas) tem um projeto super legal da prefeitura junto com a FIEC(Fundação indaitubana de ensino e cultura- Escola técnica) que dá a oportunidades de 100% dos jovens da cidade fazerem o curso tecninos,o que é de graça nas escolas publicos. Graças a isso empresas grandes veem a nossa cidade, mesmo que seja relativamente pequena!