Garantia da qualidade através de gráficos de controle

controle da garantia da qualidadeA importância do controle estatístico de processos nas empresas, de qualquer porte, é de vital importância para que produtor e cliente ganhem confiança, um por melhorar seu nível de qualidade, outro por saber que comprará algo que atenda suas expectativas.

Melhores níveis de qualidade em processos produtivos e variabilidade menor norteiam o conceito por trás do Controle Estatístico de Processos, e a sustentação da qualidade produtiva está baseada no controle dos processos.

Os diversos gráficos de controle visam, cada um a sua forma, detectar mudanças na média e/ou variabilidade no processo analisado. O início da teoria de CEP foi proposta pelo Dr. Shewhart na década de 1920. Muito do desenvolvimento daquela época ainda é aplicado em muitas empresas atualmente, especialmente os gráficos X-barra e R, que medem a amplitude e a variabilidade em torno da média. Estes gráficos normalmente são os primeiros a serem praticados, por sua facilidade de implementação. Algumas situações, no entanto, requerem outros tipos de gráficos de controle. Notadamente quando o processo em questão possuir pequenas variações em torno da média, os gráficos CuSum e EWMA são mais indicados.

Estes gráficos visam identificar se o processo atual está de acordo com a variabilidade histórica esperada. Eles disparam um alarme caso o processo o processo em análise apresente alguma causa especial de variabilidade. As causas comuns são responsáveis pelas diferenças normais entre uma peça e outra (nem todas as peças são iguais, e alguma variabilidade é aceita como normal). Quando um alarme é disparado, deve-se investigar para encontrar as causas especiais: um funcionário mal treinado, matéria-prima de baixa qualidade, máquinas desajustadas, dentre outros.

Os gráficos de Shewhart são indicados quando queremos encontrar grandes mudanças no processo, sendo indicados para empresas/processos em início de instalação de um processo de controle estatístico. Quando este controle estiver bem aplicado e o processo estiver em boas condições, pode-se então passar para gráficos de controle mais refinados, que vão buscar identificar pequenas mudanças, como os já citados CuSum (Soma Acumulada) ou o EWMA.

Sua empresa utiliza algum gráfico de controle? Como é feita o controle da qualidade dos processos? Que softwares você utiliza para este fim?


Para manter-se sempre atualizado assine nossa newsletter ou nosso feed.
Curso de logística de baixo custo, online e com certificado? Clique e conheça!


Escrito Por : Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

em : sexta-feira, 14 mai, 2010


  • Pingback: Tweets that mention Logística Descomplicada » » Garantia da qualidade através de gráficos de controle -- Topsy.com

  • Marcelo Carvalho

    Interessante o texto, queria ver a aplicação e os resultados práticos do Cusum e EWMA. Atualmente na empresa utilizamos X-R,P,NP,C e U com ajuda do SPSS. A grande maioria de empresas que trabalham com 6sigma utiliza o Minitab que possui em suas opções os gráficos Cusum e EWMA.

    • http://www.logisticadescomplicada.com/ Logística Descomplicada

      Marcelo, realmente a maioria das empresas usa o Minitab com os gráficos X-R. Poucas utilizam o EWMA e Cusum porque eles exigem que o processo esteja muito mais estável e com pouca variabilidade.
      Um trabalho técnico nessa área já foi publicado aqui no logística Descomplicada: http://www.logisticadescomplicada.com/grafico-de-controle-ewma-dados-sazonais/

      Quem sabe algum outro leitor utilize esses gráficos em sua empresa?

  • Ludmar

    Parabens pelo artigo.

  • Marcelo

    Olá Leandro,

    Vou começar agora análises estatísticas dos tempos de entrega de materiais na empresa onde trabalho. Li no artigo que o melhor é o shewhart quando se esta começando. Eu poderia usar gráficos simples para evidenciar alguma irregularidade no processo ou devo obrigatóriamente usar gráficos de controle?

    Grande abraço.
    Marcelo