Logística brasileira: qual nossa situação?

Há muitos anos ouvimos que o Brasil é o país do futuro, e ultimamente começamos a acreditar nisso, por conta de diversas conjecturas que colocam o Brasil em destaque no mundo. O carro-chefe desta atenção talvez seja o termo BRIC, que representa os 4 países em desenvolvimento que mais têm potencial (e mais tem crescido) no mundo: Brasil, Rússia, Índia e China. O termo foi usado pela primeira vez pelo banco de investimentos Goldman Sachs em 2001. Os BRIC reunem, além da economia em ascenção, mais de 40% da população mundial e aproximadamente 25% da área terrestre do planeta.

Vamos analisar mais de perto um pouco da logística do Brasil, e fazer uma comparação com os outros 3 competidores (sim, competimos num mercado global, então chamarei os outros países de competidores).

rodoviaFaremos uma análise da infra-estrutura viária do Brasil, e ver até que ponto podemos disputar mercado em questão de qualidade, custos e tempo com o resto do BRIC.

Rodovias

Todo estudante de logística sabe que no Brasil as rodovias têm papel de destaque no transporte de mercadorias, apesar da enorme costa e dos rios navegáveis. Este privilégio do modal rodoviário em detrimento aos outros modais data do início da república brasileira. Estudos colocam aproximadamente 60% das cargas nacionais sendo transportadas pelas rodovias. Isso é fato. Outro fato é que para percursos longos (acima de uns 150 km), as rodovias não são o meio de transporte mais adequado, perdendo em competitividade e custos para as ferrovias. Mas no Brasil tem caminhão rodando de norte à sul, mais de 3000 km…

E não pára por aí: apenas 11% das nossas estradas são pavimentadas. Pasmem, 11%. Temos aproximdamente 1,7 milhão de quilômetros de rodovias, e apenas uns 200 mil km pavimentados. E o resto do BRIC? A Rússia tem mais de 600 mil km de rodovias asfaltadas, enquanto Índia e China tem, cada uma, em torno de 1,5 milhão de km de rodovias asfaltadas. É como colocar asfalto em TODAS as rodovias brasileiras… Se quisermos comparar fora do BRIC, aí vira brincadeira: os EUA têm mais de 4 milhões de km de rodovias asfaltadas, mais do que a soma dos BRIC.

FerroviasMalha Ferroviária

A malha ferroviária brasileira, além de sucateada e pequena, é diferente de uma região para outra. Isto significa que um trem não consegue ir de uma região à outra, pois os trilhos são incompatíveis. Se isso não bastasse, vamos aos números:

Novamente, o Brasil é o último. Temos algo em torno de 30 mil km de ferrovias. Para alcançarmos o 3º lugar dos BRIC, a Índia, seria preciso dobrar e fazer mais um pouco. A Índia conta com 63 mil km de ferrovias, a China com 77 mil e a Rússia com 87 mil km. E o Brasil com seus 30…

Apenas para informação do leitor, pois a comparação seria piada, os EUA têm mais de 220 mil km de trilhos, todos compatíveis.

Escrevi acima que no Brasil cerca de 60% das mercadorias viajam de caminhão, apesar de as distâncias serem imensas. Na Rússia, cerca de 80% das cargas viajam de trem. Mais barato, mais seguro.

dutos_transpetroDutos

Novamente, o Brasil fica em último. Temos 19 mil km de sistema dutoviário, enquando a Índia tem 23 mil, China tem quase 60 mil e Rússia encosta nos 250 mil km. Os Estados Unidos? Quase 800 mil km de dutos.

HidroviasHidrovias

Não espere que aqui o Brasil saia da lanterna. No modal hidroviário temos 14 mil km, enquanto a Índia tem 15 mil, Rússia 102 mil e China 110 mil km. Os estados unidos contam com 41 mil km de hidrovias.

Alguns dados financeiros ajudam a compreender essa situação. Estima-se que o custo de movimentação de cargas no porto mais eficaz do Brasil seja de US$ 13 por tonelada, enquanto a média mundial é de US$ 7,00. O frete no Brasil fica com 35% do preço final do produto para exportação, graças à enorme participação do modal rodoviário para o transporte ate os portos.

Qual a sua conclusão, caro leitor? A minha é clara: o Brasil vai continuar sendo o país do futuro, porque no presente estamos muito atrasados.

* Com informações do jornal Hoje em Dia.


Para manter-se sempre atualizado assine nossa newsletter ou nosso feed.
Curso de logística de baixo custo, online e com certificado? Clique e conheça!


Escrito Por : Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

em : domingo, 22 nov, 2009


  • http://inboundlogistica.blogspot.com Marcos

    O Brasil e suas principais cidades deveriam tomar lição da cidade de Uberlândia. Quem sabe não sejamos o país do futuro daqui 20 anos?!

  • Pingback: Logística Descomplicada » » Dia do comércio exterior()

  • http://@freefloat Marcelo Carvalho

    Pensando pelo lado das oportunidades, empresas de infraestrutura e planejamento logístico poderão obter bons resultados caso apresentem bons projetos ou infelizmente ( tenham algum bom contato no meio político ).

    PS. "O jeitinho brasileiro", pelo que vemos toma conta como sempre e como diria o primo do irmão de uma amigo meu "Seria o Brasil um país sério ?".

    • http://www.logisticadescomplicada.com/sobre/ Logística Des

      Marcelo,
      Você tem razão: o Brasil tem um longo caminho a melhorar, e isto pode representar uma excelente oportunidade para a infra-estrutura do país, mas também para as empresas do setor (e para os investidores delas).
      Mas vendo os número dos investimentos feitos, de grandes obras e movimentos como o PAC, e o baixo impacto que têm no dia-a-dia dos brasileiros e da nossa economia, também me pergunto se o Brasil é um país sério.
      Abraços

  • Wilton

    So uma pergunta ….

    O Brasil esta construindo a ferrovia norte sul certo.

    Com isso ela aumentou sua malha ferroviaria.

    Sera que ela passar a bricar em KL de malha ferroviaria com a India?

    Abraços

    • http://www.logisticadescomplicada.com/sobre/ Logística Des

      Wilton, realmente o Brasil está construindo a Ferrovia Norte-Sul. O problema é que as obras e o planejamento são da década de 80, e até hoje ela ainda não está completa.
      Um país que leva suas ferrovias a sério não deixa uma obra desta importância por 20 anos sem conclusão.

      Mesmo depois de completa (se um dia for terminada), ela incluirá alguns 2.000km na malha ferroviária brasileira, o que nos deixaria com uns 32 mil km, ainda longe dos 60 mil da Índia…

      Infelizmente essa é nossa realidade.
      Um abraço

  • Pingback: Logística Descomplicada » » Gargalos podem nos levar ao apagão logístico()

  • Pingback: Logística Descomplicada » » Infra-estrutura brasileira – transporte aéreo de passageiros()

  • Pingback: Logística Descomplicada » » Os maiores do mundo: aviões de carga e de passageiros (Antonov e A380)()

  • Pingback: Logística Descomplicada » » Infra-estrutura de transportes – caso Brasil()

  • Ronald

    Penso um pouco diferente…acredito muito na força de trabalho do brasileiro que não fica sentado esperando o governo ou uma solução qualquér cair do céu…quando se trata de crescimento as empresas brasileiras estão muito além dessa realidade mostrada no artigo…veja o caso da Vale…ela sózinha ja mostra muita eficiencia em escoar sua produção…em ser uma das maiores do mundo muito antes de se falar em BRIC…que na minha opinião não passa de um termo pejorativo por estarmos em evidência quando antes éramos taxados de corruptos pelas grandes nações que agora se veem em aperto…onde elas usaram o dinheiro que arrecadaram sobretaxando produtos brasileiros?

  • Marcos Martins

    Penso que o Brasil é muito rico, cheio de fontes que podem ser muito bem exploradas.

    Mas como todos nós sabemos, nossas lideranças não pensam assim, só sabem usurpar dos bens de nossa sociedade.

    Sabemos que as ferrovias e as hidrovias desafogariam o transportes e reduziriam os custos de frete, porém, não é interessante porque muitos ganham milhões com o transporte por rordivas. As transportadoras rodoviárias, as concessionárias….. Quanto o governo nao arrecada com tudo isso?

    Estamos como um "bolo solado".

    Crescendo desordenado, que acaba não trazendo nenhum resultado.

  • Max Vidal

    Olá,

    Sobre a matéria gostaria de informar que além de excelente está em linha com as principais noticias que circulam atualmente nos jornais das grandes cidades brasileiras: O Apagão Logístico.

    Nossa situação e clara: total descaso do governo com um sistema que está diretamente ligado com o desenvolvimento de nosso país. Se quem comanda o país tivesse um pouco de preocupação com nosso desenvolvimento não precisava nem colocar o governo á frente do controle, bastando com isto criar projetos com empresas provadas e promover o desenvolvimento desta economia que tem tanto á contribuir para o país.

  • flavio sampaio tavar

    com toda essa falta de infra-estrutura nos nossos modais de transporte,ainda temos a copa do mundo pela frente agora imagine se os desembaraços aduaneiros da importação ja estão demorando hoje,imagina quando estivermos em 2012e 2013 como vão ficar nossos portos,e nossos modais,será que vai acontecer um milagre e eles vão melhorar em 1 ano.acho impossível

  • Pingback: O que falta para o real desenvolvimento do Brasil > Logística Descomplicada()

  • Eduardo Alvim

    Excelente artigo sobre infra-estrutura logística, realmente mostra nossa situação precária. Tendo o modal rodoviário como principal modal de transporte jamais seremos competitivos com os demais participantes do BRIC.

    Mas será que basta melhorar a infra-estrutura logística de nosso país para transformar o Brasil em um país competitivo? Ainda temos muito que evoluir em outros aspectos, tais como a integração da cadeia de suprimentos, criação do imposto único e outros fatores que todos nós sabemos. No final, todo esforço é em vão porque nossa base política é podre e não dá valor ao suor do povo brasileiro que sustenta a maioria das mansões, iates, contas na Suíça etc. Nos resta buscar meios pelos quais podemos lutar por um Brasil limpo. Sem corrupção, sem escândalos. "Cada um deve fazer a sua parte" Somente quando este dia chegar iremos conseguir competir com os demais integrantes do grupo econômico BRIC. e quem sabe com o Mundo em si.

  • flavio sampaio tavares

    É Realmente estamos na lanterna em relação ao BRIC mas se fosse só em relação a infra-estrutura ainda estava bom. Mas perdemos para eles em Educação Saude Segurança Tecnologia de Ponta enfim estamos bem atrasados em muita coisa.

  • rodrigo meireles ori

    Caro Leandro,

    Suponhamos que sejam feitos os investimentos necessários para a ampliação de algum modal, (por exemplo o ferroviário).

    Como poderíamos lidar com a questao do desemprego, já que um trem transporta uma quantidade infinitamente superior de produtos comparado ao caminhão?

    Um grande abraço.

  • Rafael Portal

    hoje, 2013 a coisa não mudou muito não. Ferrovia cresceu no absoluto mas reduziu-se no percentual

  • Dinart César

    Excelente matéria, parabéns!!!

  • Helvio

    ótima matéria, infelizmente nós brasileiros estamos sempre um passo atrás…

  • alan

    afinal, qual é a situação específica atual que se encontra o modal rodoviário

  • Bruno

    A matéria é de 2009, passado 5 anos e o cenário do transporte brasileiro é o mesmo. Trágico.