Logística da visita do Papa Francisco ao Rio de Janeiro

Logística da visita do Papa Francisco ao Rio de Janeiro

A visita que o papa Francisco fará ao Brasil no final de julho de 2013 para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) obriga o Rio de Janeiro a montar uma logística enorme, semelhante à do Carnaval, e um esquema de segurança tão ostentoso como o de uma Cúpula de vários chefes de Estado.

visita papa franciscoO prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, fez a comparação: “que o Papa me desculpe a comparação, mas a organização da Jornada é comparável à de um Carnaval pelo número de participantes e de recursos necessários, assim como por seu impacto econômico na cidade”,

O Carnaval, a principal festa do Rio de Janeiro, mobiliza milhões de pessoas em centenas de desfiles durante quatro dias e atraem mais de meio milhão de visitantes, o que obriga as autoridades a montar uma sofisticada logística de transporte, segurança e atendimento em saúde.

Para a JMJ, que será realizada entre 22 e 28 de julho de 2013, se prevê a chegada ao Rio de 800 mil turistas brasileiros e estrangeiros, entre os quais 300 mil jovens peregrinos, a maioria dos quais desembarcará em pelo menos 10 mil ônibus fretados. Somados aos cariocas, os participantes da JMJ podem chegar a dois milhões de pessoas. Então, realmente o evento é tão grandioso quanto à festa carnavalesca.

A Prefeitura prevê que 1,5 milhão de pessoas estejam na quinta-feira 25 de julho em cerimônia na qual os jovens cumprimentarão o papa e que um número similar vá no dia seguinte à via-sacra que será encenada no calçadão de Copacabana. À missa campal do dia 28 de julho, com a qual Francisco encerrará a JMJ e que será realizada em um descampado na região de Guaratiba, se prevê a presença de quase 1,2 milhão de fiéis porque será em um local afastado do centro da cidade do Rio de Janeiro.

Segundo Paes, esses três eventos exigirão um esquema logístico e de segurança similar ao que o Rio de Janeiro monta em todos os dias 31 de dezembro para seu famoso Reveillon, festa que costuma atrair entre 1,5 e 2 milhões de participantes. Então, eventos deste porte não são novidades para a capital carioca.

Para responder a essa maré de gente, o município, que declarou quatro dias de feriado, impedirá a circulação de ônibus fretados na cidade, mas reforçará o sistema de transporte público além de bloquear centenas de vias.

Além disso, mobilizará milhares de policiais, socorristas, médicos e bombeiros, montou palcos e altares gigantescos, além de postos médicos, de acordo com o prefeito.

O esquema de segurança foi organizado pelo Ministério da Defesa e teve que ser reforçado após os protestos que sacudiram o Brasil em junho passado e pela decisão do Papa Francisco de utilizar um “papamóvel” aberto e sem blindagem em seus deslocamentos.

O plano inicial previa a mobilização de 12 mil militares e policiais tanto no Rio como em Aparecida do Norte, cidade paulista sede do maior santuário brasileiro e que o pontífice visitará na quarta-feira, mas esse número foi aumentado para cerca de 20 mil, entre os quais 14.600 membros das Forças Armadas.

Tal número supera a de 15 mil policiais e militares que foram responsáveis pela segurança durante a Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável Rio+20, cúpula que reuniu em junho do ano passado no Rio de Janeiro cerca de 50 mil pessoas, entre as quais uma centena de chefes de Estado e de governo.

“O papa não é apenas o líder espiritual da religião com maior número de fiéis no Brasil, o primeiro pontífice da América Latina e uma personalidade carismática que ganhou a admiração de milhões, mas também um chefe de Estado”, justificou Paes.

As preocupações com a segurança aumentaram após os protestos por melhores serviços públicos que milhões de brasileiros protagonizaram em centenas de cidades em junho, alguns dos quais terminaram em conflitos entre policiais e manifestantes.

E já foram anunciadas algumas manifestações no Rio durante a visita do pontífice, entre as quais uma de um grupo de ateus e outra de uma organização que luta contra a suposta ideia de que as mulheres são responsáveis pelos abusos sexuais que sofrem.

O comandante da Primeira Divisão do Exército e responsável por todo o plano de segurança, general José Alberto da Costa Abreu, não descarta que sejam convocadas manifestações por grupos que defendem temas considerados tabus para a igreja, como o aborto, o uso de preservativos e o casamento de homossexuais.

Anunciado em março deste ano, o papa Francisco realiza neste mês, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), sua primeira viagem internacional. Em visita ao Brasil, o Papa põe à prova sua popularidade conquistada em pouco mais de quatro meses da pontificado.

Com um público estimado em 1,5 milhão de pessoas, a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2013 ocorre entre os dias 23 e 28 de julho, no Rio de Janeiro. O evento, realizado a cada dois ou três anos, promove um encontro internacional de jovens católicos o Papa. A última edição da JMJ ocorreu em 2011, em Madri, na Espanha, e reuniu cerca de 2 milhões de pessoas, de mais de 190 países.

O evento marca também a primeira grande visita internacional do papa Francisco desde sua nomeação como líder máximo da Igreja Católica, em 13 de março desde ano. O Pontífice chega ao Rio de Janeiro na tarde do dia 22 de julho, com retorno a Roma previsto para o dia 28. Sua agenda no Brasil contempla a visita à comunidade de Varginha, no complexo de Manguinhos, na zona norte do Rio, e ao Hospital São Francisco de Assis. Além disso, terá um encontro com a sociedade no Theatro Municipal, no centro da cidade, e ao Santuário de Aparecida, em São Paulo. O ponto alto fica por conta de duas grandes celebrações na praia de Copacabana, na zona sul do Rio, nos dias 25 e 26.

Fonte: Terra notícias

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • Sahi

    Falou tanto sobre o papa que até esqueceram da logística