Logística das vendas pela internet

Confira reportagem da Folha Online, que destaca a importância da logística nas vendas de natal pela internet:

As vendas de bens de consumo pela internet tiveram um crescimento de 28% no período de 15 de novembro até o último dia 24 na comparação com o mesmo período de 2008, com o movimento de R$ 1,6 bilhão –contra R$ 1,25 bilhão um ano antes. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira pela consultoria e-bit, especializada no setor.

“Ano a ano acompanhamos a evolução do e-commerce e sem dúvida o Natal é um grande aliado para esse crescimento”, disse o diretor geral da e-bit, Pedro Guasti. “Com esse faturamento expressivo, nota-se que o consumidor está mais preparado e programado para comprar via web, além de estar com a confiança retomada para fazer compras. Para os próximos anos, o crescimento deverá ser ainda maior.”

O pico das vendas de Natal ocorreu no último dia 16, quando foram realizados mais de 150 mil pedidos, um crescimento 50% superior a um dia de vendas normal. O varejo físico obteve apenas 6,8% de acréscimo, segundo o indicador Serasa Experian, citado pela e-bit.

Segundo Guasti, sem uma estrutura e logística, ficaria difícil receber tantos pedidos no período natalino. “O volume de pedidos nessa época é intenso, já que as pessoas têm o hábito de dar muitos presentes, tanto para amigos, quanto para familiares. Por isso, um planejamento antecipado por parte das lojas é mais do que necessário para obter sucesso”, afirmou.

A pesquisa aponta ainda a preferência do consumidor por produtos de alto valor agregado, como eletrônicos, artigos de informática e eletrodomésticos –contra produtos mais baratos, como CDs e DVDs, há pouco tempo. O item que liderou as vendas, no entanto, foram os livros.

Em seguida vieram os eletrodomésticos –categoria beneficiada pela redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados)–; produtos de beleza, medicamentos e de cuidados com a saúde ficaram em terceiro lugar. Informática e Eletrônicos ficaram na quarta e na quinta colocação, respectivamente.

Dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de outubro mostram que o varejo físico brasileiro cresceu 8,4% em relação ao mesmo mês de 2008, ante expectativa do mercado de expansão de 6,5%. Uma pesquisa do instituto aponta que o número de brasileiros com acesso à internet cresceu 75,3% entre 2005 e 2008, passando a 56,4 milhões de usuários.

A pesquisa é feita com base em questionários respondidos pelos consumidores e leva em conta fatores como: facilidade de comprar, seleção de produtos, informação sobre os produtos, preços, navegação, entrega no prazo, qualidade dos produtos, qualidade do atendimento a clientes, política de privacidade e manuseio e envio dos produtos.

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • Ola trabalho na Isto É Brasil e temos duas lojas de moveis físicas e agora planejamos uma loja online ( vendas na internet ) .

    Para isto precisamos de uma transportadora ou uma empresa de logística capaz de trabalhar com o calculo de cubagem inserido dentro de nosso site.

    Para assim quando o cliente digitar o CEP ( calcula a distancia exata ) instantaneamente o programa calcula o valor do frete. ( características do produto como peso e volume já estão pré-definidos ).

    Caso sua empresa trabalhe com esta formula favor retornar ao e-mail: jimy@istoebrasil.com.br ou ao tel: (11)5052-0812

    Caso sua empresa não trabalhe com esta formula favor indicar uma empresa que trabalhe com entrega de produtos vendidos online.

    Grato: Jimy

  • Pingback: Logística Descomplicada » » Brasileiros seguem comprando mais pela internet()

  • Ótimo artigo, Leandro. Embora seja de alguma forma esperado que a confiança no e-commerce aumente a cada ano, ainda assim os dados são surpreendentes. Penso que esse tipo de reação se deva especialmente a inovações no setor de logística que buscam, resumidamente, dois focos de atuação: primeiro e possivelmente mais óbvio, o planejamento de logística é um serviço a ser oferecido e está, portanto, dentro do paradigma da economia informacional; segundo, dentro do turbilhão informativo produzido pela posição "cada empresa é uma mídia" assumida como diferencial (e posteriormente como básico) no sucesso de uma empresa, uma estratégia que vise nortear o consumidor sem dúvida se destacará. Digo isso pensando, por exemplo, no site Estante Virtual. Vale a pena checar as estatísticas de vendas deles comparando com o ano passado… o que eles fazem além de dizer "tal produto tem em tal lugar, busco pra ti entrego na tua casa"?

    • Realmente a logística e as vendas pela internet andam de mãos dadas, e representam enormes possibilidades não apenas para as grandes marcas poderem atingir um público maior (onde não têm lojas físicas), mas também em casos como o que você citou. Um exemplo ainda maior é o MercadoLivre (eBay e outros afins).
      Abraços e volte sempre!