Logística: Mais investimentos, resultados futuros

Logística: Mais investimentos, resultados futuros

Os pacotes de investimentos em logística anunciados pelo governo federal em 2012, totalizando mais de 200 bilhões de reais em recursos públicos e privados nos próximos 25 anos, só devem ter efeitos práticos no crescimento da economia a partir de 2014.

investimentoDificilmente o governo poderá contar com esses investimentos em logística para alcançar a tão desejada taxa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 4 por cento no próximo ano, que será o período de estudos, publicação de editais, realizações de leilões e assinatura dos contratos. Obras, somente em 2014. E olhe lá!

“O grosso dos investimentos vai ser feito de 2014 para a frente. Antes, pode haver alguma movimentação, porque em alguns casos você encomenda antes equipamentos que tenham prazo de entrega mais amplos”, disse o presidente da Associação Brasileira de Infraestrutura e das Indústrias de Base (Abdib), Paulo Godoy.

A presidente Dilma Rousseff lançou na segunda metade de 2012 ambiciosos planos para ferrovias (91 bilhões de reais), rodovias (42 bilhões de reais), portos (57 bilhões de reais) e aeroportos (19 bilhões de reais), com o objetivo de ampliar e melhorar a infraestrutura país, considerada um dos principais gargalos para o crescimento sustentado da economia.

“O PIB é consequência. Nós precisamos fazer essas obras para ter competitividade e dar condições para o crescimento sustentável”, disse o presidente da estatal Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, executivo escolhido por Dilma para tocar esses projetos pelo lado do governo.

Pelos cálculos da Abdib, a nova carteira de projetos pode elevar a participação dos investimentos em logística no PIB de 0,74 por cento, registrado em 2011, para 1,6 por cento em 2016.

“Para isso, o investimento tem de crescer 16 por cento ao ano, o que é possível com a nova família de contratos”, disse Godoy.

Figueiredo avalia que o ritmo dos investimentos em logística, incluindo os pacotes lançados em 2012 e as obras já previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), deve chegar a 52 bilhões de reais por ano nos próximos cinco anos.

“É preciso colocar mais um tanto”, admitiu o presidente da EPL. Segundo ele, novas levas de concessões de projetos devem ser anunciadas nos próximos anos.

Figueiredo lembrou que somente nas ferrovias há estudos para concessões de 5 mil quilômetros de novas linhas, além das anunciadas em 2012, que representariam investimentos adicionais de 30 bilhões de reais.

Enquanto isso, na China

O valor total de produtos transportados pela indústria chinesa de logística cresceu 9,7% no âmbito anual chegando a US$ 26 trilhões nos primeiros 11 meses de 2012. O crescimento foi 0,1 ponto percentual mais alto que no período dos primeiros 10 meses do ano, disse a Federação Chinesa de Logística e Compra (FCLC).

O investimento em ativos fixos da indústria disparou 22,2% em termos anuais chegando a US$ 556 bilhões nos primeiros 11 meses do ano, em meio ao investimento do país na infraestrutura de transporte no segundo semestre do ano.

No entanto, o total das despesas do setor logístico permaneceu alto, indicando que ainda existe uma eficiência relativamente baixa no setor. As despesas com logística no período de janeiro a novembro dispararam 11,9% no âmbito anual atingindo US$ 1,27 trilhão, 0,4 ponto percentual mais alto que o crescimento registrado no período de janeiro a outubro deste ano, disse a federação.

Os dados divulgados pelo órgão mostram que o total das despesas durante o primeiro semestre do ano representou 18% do PIB do país no mesmo período, proporção muito mais alta que na maioria dos países desenvolvidos, e muito maior que no Brasil.

Com informações da Reuters Brasil

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • RODRIGO

    OLÁ. FAÇO curso TÉCNICO EM LOGÍSTICA. SERÁ QUE O CURSO DE TECNÓLOGO LOGO EM SEGUIDA SERIA UMA BOA OPÇÃO PARA COMPLEMENTAR MEUS CONHECIMENTOS NA ÁREA? OU DEVERIA FAZER ADMINISTRAÇÃO?

    • Daniel Dumaresq

      Rapaz, já que você faz o técnico em logística, seriam boas opções os cursos de: Administração, Engenharia da Produção ou até mesmo Economia.