O pesadelo da mudança: desembaraçar sua bagagem internacional no Brasil

O pesadelo da mudança: desembaraçar sua bagagem internacional no Brasil

 

despacho aduaneiro navio mudançaQuando o sonho de morar no exterior termina, aqueles que retornam para o Brasil tem a falsa idéia de que aquilo que juntou de bens materiais durante vários anos vai poder ser trazido para casa sem pagar qualquer tipo de imposto.  Eles acreditam que essa seria a hora de aumentar o seu patrimônio com a bagagem trazida.

Apenas para relembrar, a bagagem internacional é constituída pelo conjunto de bens novos ou usados que um viajante, em compatibilidade com as circunstâncias de sua viagem, possa destinar para seu uso ou consumo pessoal, bem como para presentear, sempre que pela sua quantidade, natureza ou variedade, não permitam presumir importação ou exportação com fins comerciais ou industriais.

E quando esse cidadão que morou no exterior por mais de três anos decide retornar em definitivo para o país, ele tem vantagens tributárias, e esse incentivo pode trazer a falsa perspectiva de que ele terá um grande benefício ao retornar para casa com os seus pertences adquiridos lá fora.  Mas muitos não sabem que a grande dor de cabeça está apenas começando.

O primeiro problema está na contratação da empresa de logística no exterior. Normalmente essas companhias são gerenciadas por brasileiros, que dizem conhecer o jeitinho de facilitar a passagem pela alfândega brasileira, e isso é a nona maravilha do mundo em serviços logísticos.

Muitos dizem também que tudo será rápido, ágil, e que receberão todas as suas coisas em casa, pagando apenas uma taxa única lá no exterior. Uma grande farsa.

Por ser despachante aduaneiro há algumas décadas, posso afirmar que desembaraçar uma mudança estrangeira em qualquer lugar do Brasil não é uma tarefa fácil, e muitos dos meus colegas que trabalham com comércio exterior não aceitam fazer esse tipo de serviço, ou quando o fazem cobram 3 ou 4 vezes mais que o normal.

E o grande dilema da mudança é a falta de informação que o viajante não tem.

A primeira informação que o interessado deveria receber é relativa à organização do que ele irá trazer. Mesmo que a quantidade não seja suficiente para lotar um contêiner, ele deveria embalar todos os itens em caixas de papelão devidamente identificadas por números, e criar uma lista de tudo que há em cada caixa.

Depois, cada uma dessas caixas seria descritas em um documento final, tecnicamente chamado de Packing List, e assim poderia se identificar cada item que está sendo trazido para o Brasil, e na hora da fiscalização tudo ficaria mais célere.

A segunda informação que ele deveria receber é relativa ao tempo de liberação da carga. Pelo histórico de falsas declarações de mercadorias que deveriam ser considerada como bagagem, mas que na verdade eram carros, motos, veículos automotores, barcos, jet-skis, entre outros, trouxeram um maior rigor para os fiscais aduaneiros.

Assim, ele precisaria ter ciência de que seus itens não serão liberados em dois ou três dias, e que obrigatoriamente o seu contêiner será desovado no recinto alfandegado de destino. Não há alternativa, se não a retirada por completa da mercadoria para ser contada, fiscalizada e identificada pelas autoridades aduaneiras.

Com isso, por este histórico ruim de processos não liberados, os portos e terminais do Brasil estão abarrotados de mercadorias que caíram em perdimento pela Receita Federal. O destino dessas mercadorias será o leilão para aquilo que ainda tiver valor econômico ou a destruição.

E baseado nesses números negativos, os operadores de comércio exterior envolvidos com transporte, descarregamento e armazenamento perceberam que perderam dinheiro com bagagem internacional, e muitas vezes se negam em receber as cargas alegando falta de espaço, ou então cobrando valores absurdos, muitas vezes 10 ou 15 vezes maiores do que uma operação normal de importação.

Como exemplo, fiz um comparativo entre bagagem e importação normal de mercadorias no Rio, em São Paulo e no Espírito Santo.  Em média, uma desova de contêiner que custaria R$ 800,00, para a mudança esse valor saltaria para 7.500.  A armazenagem, que normalmente é cobrada por percentual (de 0,25% até 1% do valor Aduaneiro, para cada período de 10 dias), para a bagagem esse valou se tornou fixo e ficou em torno de R$ 4.500 reais.

Sem falar nas taxas de liberação do BL junto ao armador (R$ 200 por BL), na capatazia portuária (640,00 por contêiner), nas taxas de uso do Siscarga ($ 50,00), e a taxa de caução de demurrage do contêiner.  Esse último, eu jugo a verdadeira dor de cabeça dos donos das cargas.

O transportador marítimo, quando vende o frete ao interessado, empresta o contêiner para que a mercadoria seja transportada. Essa unidade pertence à companhia, e ele o quer de volta o mais rápido possível.

Para isso, ele combina (ou deveria combinar e explicar isso ao interessado) um prazo para você retirar a sua carga do contêiner e devolver o equipamento vazio no terminal mais próximo do porto de destino, e indicado pelo transportador.  Esse prazo nós chamamos de free time (ou tempo de livre da estadia do contêiner).

Esse free time, se não for bem negociado, é curto, algo em torno de 7 ou 10 dias. Após esse prazo, ele estipula uma multa, chamada Demurrage.  Essa sobrestadia (multa) costuma ser diária e cara, variando de 30 dólares até 100 dólares por dia de atraso.

E há algum tempo que a companhia transportadora passou a exigir um valor depositado (algo em torno de R$ 2.000 por contêiner) antecipadamente, já prevendo que a mercadoria demorará a ser desembaraçada e que isso atrasará a entrega do contêiner, e o valor poderá cobrir eventuais prejuízos causados pela demora do processo.

E essa grande dor de cabeça poderia não existir caso o prestador de serviço logístico no exterior explicasse passo-a-passo para o viajante, para evitar que ele só tomasse ciência do acontecido quando o valor estivesse na estratosfera.

E quando não há um planejamento logístico e aduaneiro do processo antes de embarcar, e os valores se tornam gigantescos, muitos ficam furiosos, se sentem enganados e em alguns casos não possuem os recursos necessários para liberar a sua carga.

Isso acontecendo, é possível que haja um enorme desconforto para os familiares, e a saída é buscar a justiça na tentativa de diminuir ou reverter os seus prejuízos. As companhias se defendem alegando que o seu negócio (o contêiner e o transporte) está sendo prejudicado e as pessoas envolvidas deveriam buscar maiores informações antes de procurar o serviço.

Pessoalmente eu já presenciei cenas lastimáveis, de pessoas que investiram tudo o que tinham para trazer os seus pertences do exterior e quando chegam aqui verificam que não poderão retirar os seus bens, e que entram em desespero.

Por experiência, posso afirmar que não há má vontade das companhias marítimas, transportadoras internacionais, armazéns alfandegados, despachantes aduaneiros e agentes fiscalizadores da Receita Federal.

O que há é uma legislação atrasada, uma forma de fiscalizar arcaica, em que as mercadorias precisam ser retiradas por completo do contêiner (desovadas), e que não são utilizados equipamentos modernos de averiguação, como os leitores de Raio X para contêiner, o que dificulta o processo de nacionalização.

Toda e qualquer bagagem no Brasil precisará passar por um processo de despacho aduaneiro, e que o interessado poderá contratar um despachante aduaneiro para representá-lo ou fazer pessoalmente.  Ele também precisará se inscrever no Radar e registrar uma Declaração de Importação Simplificada.

Em qualquer circunstância ele precisará apresentar cópias autenticadas dos seus documentos, além de ter uma declaração detalhada do que ele está trazendo, como disse no começo deste post, e que ele precisará arcar com várias despesas aqui na origem.

Não acredite na informação de o valor pago na origem já cobre o serviço até a sua porta, esteja ele em qualquer lugar do Brasil. Isso é uma gigantesca inverdade, e está sendo utilizada como ferramenta de captura do cliente, como ferramenta de marketing.

Em minha opinião, o ideal seria procurar um consultor aduaneiro, antes de a carga ser embarcada, para lhe dar informações de tudo que será preciso fazer.  Inclusive, ele poderá lhe ajudar a decidir se valerá apena trazer a mudança, e administrar o tempo que será necessário para a nacionalização dos seus itens.

Mais do que pressa em trazer o que você adquiriu ao longo do tempo que morou no exterior, é preciso analisar a viabilidade econômica de passar por tudo relatado acima.

E também não acredite em mágicos e amigos de fiscais.  A cada dia que se passa isso deixa de existir, e sua carga poderá aumentar as estatísticas de cargas apreendidas por esse imenso Brasil.

Leia um pouco mais: conheça os custos para trazer sua mudança do exterior para o Brasil.

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Authored by: Carlos Araújo

Despachante Aduaneiro, formado em gestão Financeira e Pós-Graduado em logística e Comércio Internacional. Presta consultoria para empresas de comércio exterior em logística aduaneira e procedimentos alfandegários de alimentos, bebidas e veículos. É autor e editor de conteúdo do ComexBlog.

  • Ana Zuppani Sakura

    Fui morar na Europa em 2003 e voltei em 2007. Fiz a mudança do Brasil com a metropolitan e a volta com a Fink. Não tive nenhum problema. As empresas fizeram tudo corretamente conforme contado aqui (listagem de caixas com conteúdo, etc). Demorou uns 45 dias. Não foi paga nenhuma taxa adicional ao que foi pago na origem. Depois que a mudança chegou no Brasil, tive que mandar uma série de documentos com cópia autenticada (tipo de todas as páginas do passaporte!) , e foi a única despesa que tive. A mudança foi paga pela minha empresa.

  • Rene Alexis Penaloza Munoz

    Morei dez anos na Inglaterra. QUando decidi voltar ao Brasil nem me passou pela cabeça sequer contratar brasileiros para este tipo de serviço. Contatei uma empresa de nome australiana que veio à minha casa, embalou tudo em caixas grandes de papelão grosso, fizemos a declaração e tudo ao custo de 500 libras esterlinas. Eram 500 kilos de pertences entre livros, CDs, uma bateria completa e alguns eletrodomésticos. A carga chegou em mais ou menos 3 meses. Eu pessoalmente fui até SAntos desembaraçar tudo. Fiquei correndo durante 3 dias atrás de papelada e tendo muita paciência com a nossa burocracia consegui liberar tudo sem problema nenhum e sem pagar nenhum despachante. Sou daqueles que acredita que não precisamos pagar terceiros para resolver os problemas.

    • Walter Fontes

      Moro nos EUA ha 27 anos e estou pensando em voltar a morar no Brasil permanentemente. Como voce morou fora tambem, houve algum arrependimento de ter voltado devido a crise politica e economica que o pais esta infrentando no momento?

      Meu medo é me arrepender depois de ter feito a mudança de todos meus pertences.

      • Rene Alexis Penaloza Munoz

        Rapaz, a resposta pra pergunta não é simples. Eu sai do Brasil no meio do caos econômico entre Sarney e Collor no tempo em que a inflação comia o salário em uma semana. E nem fui embora por causa disso pois era solteiro e morava com meus pais. Eu queria estudar e aprender outra cultura. Quando retornei o Brasil estava cheio de oportunidades e próspero. O plano real tinha botado ordem na casa e tudo parecia caminhar para uma estabilidade permanente. Adianta para o primeiro governo do PT e a chamada inclusão das camadas sociais menos privilegiadas ao acesso a bens de consumo. Ótimo, todo mundo começou a poder usufruir de bens materiais e parecia que a combinação do plano real e os esforço do PT com sua inclusão social estabam funcionando. Adianta o tempo para o fim do mandado do primeiro governo Lula, a coisa começou a ficar estranha, veio o mensalão e começou a palhaçada. O PT começou a se mostrar igual a qualquer outro partido anterior e até mais corrupto. A máscara começou a cair. Aqueles que tanto desciam a lenha no governo FHC agora começavam a se esbaldar no poder e as possibilidades que ele oferece. Adianta mais um pouco pro primeiro mandato da Dilma, ninguém entendeu direito como ela foi parar na presidência pois não tinha experiência nenhuma, nem política e nem administrativa e ficava óbvio que ela seria apenas uma pessoa pra preencher o buraco até as eleições de 2018 pra que Lula pudesse voltar ao poder. Adianta pro segundo mandato da Dilma, zona total! A mulher e sua equipe são completos incompetentes na administração do Brasil. Mesmo aqueles que votaram e sempre acreditaram no PT estão lascados. O A classe social baixa que tinha conquistado algum pode aquisitivo o está perdendo a cada dia que passa, projetos como o Minha Casa Minha vida estão com os dias contados. Um escândalo gigantesco de corrupção está levando o PT pro buraco, o senado está travado pois seu presidente é acusado de desvio, lavagem de dinheiro e corrupção mas faz oposição ao governo. Resumindo: o país está voltando ao caos econômico, desemprego e político. O governo não manda mais nada, a oposição nada faz pois está com rabo preso, empresas mandando nego embora a rodo, inflação aumentando, o dólar foi pra R$ 4,00, comércio fechando. Mais e mais escândalos de desvio de dinheiro público aparecendo. Senadores sendo presos, Lula sendo investigado por receber dinheiro de empreiteiras, quasdros inteiros de executivos das maiores empreiteiras todos na cadeia. Olha, tá foda meu amigo. Eu não sou filiado e nem voto em nenhum desses partidos políticos presentes no Brasil pois nenhum oferece algo real e palpável mas sou a favor de uyma boa administração do dinheiro público coisa que aqui ninguém sabe fazer. Sinceramente, se eu fosse você, pensaria muito bem antes de voltar pro Brasil. Eu mesmo e minha esposa já cogitamos de largar o país pra trás. Espero não ter sido muito negativo mas quem não é rico por estes lados, está e ainda vai sofrer muito se a coisa continuar do jeito que está indo.

        • Walter Fontes

          Depois dessa da Dilmalandra e Luladråo , mudei de ideia. ja esqueci…

      • Flavia Oliveira

        Estou voltando ao Brasil depois de 3 anos e meio morando em Sydney. Voce poderia me informar qual a empresa voce utilizou para mudança. obrigada. Flavia

  • Pesadelo

    Geladeira Nova paga Imposto mesmo eu tendo morado por 10 anos fora?

  • Jhonny Sandi

    eu vou para o canadá estudar por pouco mais de 1 ano e vou comprar uma carro usado lá ( nissan skyline gtr r34) ele tem menos de 30 anos, mas não foi comercializado no brasil, ele entra no brasil? terei de pagar impostos? e se eu vier de carro ou pagar o frete até a argentina/similares e vier de carro?

  • elma

    boa noite sou Brasileira, e vivo em portugual. quero trazer 1 cilindro e 1 raladora de milho pra portugual o peso total e 25 kg. pode mi ajudar como trazer
    el

  • Sergio

    Olá, Sou cidadão brasileiro mas vivi toda a minha vida adulta em Portugal. Decidi agora ir definitivamente para o Brasil. Sou fotógrafo e pretendo apenas levar comigo objetos pessoais como roupa e, os equipamentos de uso profissional (máquinas fotográficas, tripés, e os equipamentos informáticos, monitor computador fixo e um portátil). Todos estes equipamentos são muito caros mas pouco volumosos, por isso quase caberiam em 3 grandes malas que poderia levar comigo na viagem de avião.
    Muito agradecia os seus conselhos para efetuar a mudança da forma mais segura e mais económica possível.
    Cumprimentos

  • Cristina

    Olá, tenho uma dúvida: tenho 2 malas cheias de roupas na Nova Zelândia e
    não sei qual é o serviço mais barato para envio aqui pro Brasil. Já
    verifiquei com os correios e Fedex, mas ficaria caríssimo. Existe alguma
    outra forma de envio que não ficasse tão caro? Obrigada

  • Leleka

    Sr Carlos, mora na Italia e estou querendo voltar para o Brasil com minha mudança em container, so q me assuto o fato do despachante no porto qto ira me fazer pagar para liberar minha mudança, essa soma è possivel saber antes atarves da tranportadora? Tenho direito a isençao de importaçao da minha mudança , conforme fui avisada pelo consulado. memso assim terei q pagar estas taxas no porto? Obrigado

  • Karen

    ola,gostaria de saber se voce aconselha levar tudo no aviao no voo mesmo, se eu preciso pagar impostos se desembarbar no brasil com objetos pessoais usados sendo residente extrangeira?obrigada

  • Nilson

    A minha pergunta era a mesma do denis ai, acho que é até o mesmo carro, é a eclipse denis?

  • Denes

    Tenho uma dúvida, se alguém puder responder fico grato.
    É o seguinte: Um londrino veio para o Brasil, comprou um carro e o documentou aqui.
    Ele voltou para Londres, levou o carro e não consegue legalizá-lo lá.
    Sendo assim está tentando vender o carro para um Brasileiro (Eu).
    Qual o procedimento para trazer este carro de novo para o Brasil?
    Fico grato se alguém tiver uma resposta esclarecedora.

    • Lucas

      Golpe.

  • Ricardo Dias

    Sr. Carlos, td bem?, bom, eu moro na China ha 3 anos, tenho 47 anos, sou musico profissional (baterista e percussionista) ha 26 anos, eu tenho instrumentos percussivos diferenciados e tenho uma bateria da Tama, pretendo voltar ao Brasil daqui algum tempo, estou pretendendo enviar todo esses meus instrumentos de trabalho através de uma empresa de transporte marítimo, o que eu devo fazer para que todos os meus instrumentos estejam em segurança ( contra roubo e tudo mais nao aconteçam) e tambem principalmente nao ter problemas alfandegários ??? Por favor se puder entre em contato

  • Berim

    Ola estou voltando para o Brasil em Abril deste ano(2014), alguem tem alguma experiencia com transporte da Holanda para o Brasil. Grato Berim

  • rodrigo

    Trabalhei alguns anos com eles , entregando as caixas no Brasil , toda essa armação eles mesmo que fazem ( EBER E RAQUEL ) , eles cobram dos EUA para o Brasil , aqui os despachantes são amigos deles e eles ganham tb junto com o DEspachante . e mais absurdo ainda que ninguem deve saber , eles montaram uma transportadora no Brasil então o cliente com muito custo consegui liberar a carga com o despachante , o proprio despachante indica a transportadora deles , são dois malandros pode apostar , e no Brasil tem um tal de KIngsley que e junto deles , ficam espertos , eles ganhão dinheiro de todos os lados …

  • jerusa helena

    meu caso é diferente eu quero levar minhas coisas pessoais mas é do Brasil para Portugal que quero fazer apenas uma peno transporte tais como roupas, sapatos, agasalhos e dois pequenos moveis antigos que pertenceram ao meu avô, quando ele morou aqui no Brasil cerca de 30 anos e ele mandou fazer esses moveis que são de 1945 como fiquei só aqui no Brasil, (pretendo ir me juntar a família, pois aqui não tenho ninguém , o meu apartamento será alugado para me dar mais uma renda(com moveis )pois esses ocupam muito lugar na sala, a mesa estou tentando vender para pessoas que gostem coisas antigos .espero que vocês me deem alguma ideia pois não posso levar comigo no avião

  • Wanderley Somaio

    Bom día estou voltando ao Brasil e já tenho quase tudo pronto, siguindo o que vc pos no site, unico é que ainda estou em duvida com relação ao despachante no Brasil, vc podería dar algum sugestão?

  • antonieta feitosa mourao

    Oi quanto custa uma consultoria de um aduaneiro ou despachante e se os dois sao a mesma coisa? posso tb traser meu carro que ja e velhinho? desde ja o meu muito obrigada.

    aguardo sua resposta. antonieta ( piamonte italia para o brasil goias)

  • Junko Freire

    Oi gostaria de ter uma ideia de quanto custa uma consultoria aduaneiro e se essa mesma pessoa eh um despachante aduaneiro. Vcs conhece uma empresa idonea que faca mudancas EUA para o BRASIL?

  • Alex Kaarsberg

    Durante o desembaraco da mudanca, tem um custo de armazenagem que para mim chegou a valores astronomicos e so depois fico sabendo que seria so uma questao de solicitar um lugar menos caro.
    Gostaria de perguntar se pode dizer á quem pertence a responsabilidade de informar este pequeno detalhe para o consumidor?

  • Edson

    Me ajudem por favor, quero trazer para o Brasil uns 150 livros,CDs,dvds e roupas usadas que adquiri no período de 4 anos que estudei no USA.Que devo contratar? Onde encontrar essa empresa?

    • Gustavo

      Oi Edson, não sei se ainda adianta, mas estou voltando da França pro Brasil em dez/2013 e vou levar algumas coisas (algo como 0.55m3 e 115kg) via transporte aéreo. Isso vai sair uns €820 no meu caso através da TAO Cargo. Container me parece inviável pelo que estudei e questionei… a outra opção que tenho é adicionar malas extras como passageiro, que no caso sai €150/mala de 23kg via a TAP. Mas esse preço depende de cada cia aérea.

  • Bom dia,

    Moro na Italia desde 2008, e final desse ano (2013) retornarei a viver no Brasil, gostaria de informações sobre vossos serviços, inclusive se poderiam me passar uma estimativa de custos e se tem alguma empresa a me aconselhar para fazer a minha mudança.

    Obrigado,

    Diego

  • Henrique Pretti

    Ola Carlos;

    Trabalho em uma compania de Logistica na Inglaterra e fazemos mudancas de bens pessoal consolidada para o Brasil.

    Recentemente foi nos passado que teve uma lei que foi aprovada e me parece que esta ativa desde Outubro 2012. ( Chapter X Art. 22) :

    “A distribuição de processos de habilitação para analise por unidade diversa da originariamente competente poderá ser feita pelo superintendente regional da receita federal do Brasil, avaliando conveniência e oportunidade para qualquer unidade da respectiva região fiscal.”

    Com esta mudanca o processo de liberacao ficou ainda mais demorado e complicado. Voce poderia me informar o porque desta nova lei?

    Conheco outras companias aqui no exterior que nao querem trabalhar com o Brasil simplesmente por causa da burocracia que o Brasil impoe.

    Gostaria muito de sua percepcao sobre esta nova lei. Estamos tambem abertos para sugestoes de como podemos agilizar o procedimento de liberacao.

    Atenciosamente
    Henrique

  • walter

    Obrigado pelas informações. Gostaria de saber o que mudou no processo de liberação de 2001 pra cá. Eu mudei dos EUA para o Brasil em 2001 e fiz eu mesmo todo o processo de liberação, no porto de Santos. Gastei dois dias pagando taxas e preenchendo formulários, mas nada muito terrível. Imagino que houve alguma mudança no processo, certo? Obrigado, W.

  • Marcia McIntyre

    Carlos, seus artigos me apavoraram. Eu moro nos Estados Unidos ha quase 30 anos e quero muito voltar ao Brasil. Sou professora e artista plastico. Tenho muitos livros, coisas de cozinha e casa. Hoje mesmo entrei em contacto com uma companhia de mudanca. Com as suas informacoes eu serei muito mais cuidadosa mas tem alguma estoria boa de mudanca? Eu nao tenho eletronicos, coisas chiques ou caras mas deixar tudo aqui me parece tao injusto. Enfim….. Boa sorte para voce e obrigada –

  • JULIO

    MEU NOME E JULIO SOU DE MINAS GERAIS ESTOU COM MINHA MERCADORIA PRESA NO PORTO DE PARANAGUA A QUASE 1 ANO E A EMPRESA FREEWAY MOVING DE NEW JERSEY, USA LAVOU AS MAOS QUANTO A LIBERACAO DOS CONTAINERS PRESO PELA RECEITA, E NOS BRASILEIROS QUE ACREDITAMOS NAS PROMESSAS FEITAS POR ESSA EMPRESA DE LEVAR A MERCADORIA ATE NOSSA PORTA HOJE NEM SEQUER ATENDE O TELEFONE E QUANDO ATENDE DIZ QUE NAO PODE FAZER NADA…… O DINHEIRO QUE PAGAMOS PRA ESSAS COMPANIAS PARA ENVIO DAS MERCADORIAS NAO FOI POUCO E AGORA ESTOU NUM BECO SEM SAIDA PORQUE NAO SEI O QUE FAZER JA QUE OS DEPACHANTES ADUANEIROS ESTAO PEDINDO ABSURDO PARA ESSA LIBERACAO AQUI NO BRASIL E MESMO ASSIM SEM SABERMOS SE REALMENTE TEREMOS NOSSAS COISAS DE VOLTA!!!!!
    FREEWAY MOVING DIRIGIDO POR EBER PALMEIRA E RAQUEL BERGER OS VERDADEIROS RESPONSAVEIS POR TODA ESSA MALANDRAGEM!!!!
    DESCULPEM PELO MEU DESABAFO MAIS ESSA SITUACAO E REVOLTANTE!!

    • Júlio, é uma pena ler o seu relato. Infelizmente muitas empresas anunciam o tal serviço porta-a-porta, mas isso é praticamente impossível.

      Se quiser a recomendação de um bom profissional com experiência em desembaraço de mudanças, para que ele faça um orçamento da liberação de sua carga, entre em contato (link no final da matéria). Infelizmente depois de vários meses as taxas que você deverá pagar devem ser muito altas.

      • Facepost Gvcgla

        Ao meu ver, e no ponto que já se encontra a situação do Sr. Júlio, um bom profissional para resolver a questão daria garantias da resolução do caso. É o que eu faria e proporia como bom profissional no ramo. Infelizmente não é o meu caso. Mas, no ramo que atuo é assim auto.

    • Eliane

      Júlio, qual seu e-mail? Gostaria de entrar em contato com vc. Minha situação é igual a sua, tb fui enganada pela Freeway.

    • Gente… Já consultaram a Metropolitan, eles tem consultores especializados em despacho aduaneiro.

  • LUCIANA NEDER

    SR CARLOS ESTOU QUERENDO ENTRAR EM CONTATO COM O SR. POIS MINHA MUDANÇA JÁ ESTÁ EMBALADA, MAS ESTOU COM DIFICULDADES DE ENCONTRAR UMA EMPRESA QUE FAÇA O DESEMBARAÇO AQUI DE CONFIANÇA. SERÁ QUE PODE ME CONTACTAR? OBRIGADA LUCIANA

  • Felix

    Ola! parabens pelos esclarecimento, moro na em Londres, tenho um carro e motohome, gostaria de fazer uma viagem pela America do Sul de carro, como faco para liberar meu carra e onde e mais facil a liberacao. Gostaria de comecar pelo nordeste.
    Um abraco,
    Felix
    silvafs7@hotmail.com

  • Tenho uma duvida… minha namorada é au pair e quer trazer alguns itens que comprou la e ele ficou por mais de 12 meses, mas a quantidade é pequena demais para trazer de navio… são alguns eletronicos (TV, computador, camera SLR, 2 celulares), roupas, cremes, mas a quantidade é grande para trazer como bagagem acompanhada, msm assim a ideia é pagar os 75$ por volume e trazer tudo no avião…. ela pode trazer como mudança e ficar isenta ou por vir como bagagem acompanhada ela será obrigada a pagar o imposto de importação? Obrigado!

  • Fernandapelegrini

    Muito obrigada por este post, estava pensando em trazer meus móveis ao Brasil desde que estou voltando depois de anos vivendo na Europa, mas eu não tenho muita coisa e vendo o atraso, a burocracia e os custos, talvez seria melhor vender que eu tenho e comprar no Brasil. Mas o que você recomendaria? Trazer como mudança ou importado?

  • mario

    Ola leonardo, onde consigo seu e-mail?  vou fazer uma mudança de españa para Brasil agora em abril e gostaria de sabe gastos no porto do Rio para retirada da minha bagagem ou com quem podeia fazer este  trabalho ois tenho un transortador de valencia a Rio e nao me sai caro falta eu saber gastos de retirada no Rio.

    obrigado

    Mario

  • Marcia moghuel

    eu moro no estado do alabama e gostaria de mandar a minha mudanca para goiania,estou pensando em contratar a fastway moving com o servico de porta a porta,,onde segundo eles , eles sao responsaveis por tudo..vc acha confiavel>?

  • Para todos que precisem de indicação de despachante aduaneiro no Brasil, repito: entrem em contato por email (formulário de contato acima), digam de onde saem, para qual região se mudam, e quanto tempo tem disponível antes da mudança. Indicarei alguém em seguida, também por email.

    • Mario

       Desculpa!! mas aonde esta seu e-mail???

      Obrigado.

      Mario

      • Sandra Caxambu

        EM NENHUM LUGAR!

  • marcia

    estou para fazer minha mudança de Roma para o Rio e vejo q a coisa esta mais complicada q o imaginavel, alguem poderia me ajudar? nao sei nem por onde começar, na receita nao sabem informar nada

  • Denise Lima

    Olá, parabéns por este artigo tão esclarecedor! Que bom podermos desfrutar de seus conselhos. Estarei voltando a morar no Brasil no início de 2012 e gostaria de entrar em contato com um consultor aduaneiro para avaliar o que valeria a pena ser levado/trazido para o Brasil. Vocês teriam uma lista de pessoas que vocês poderiam indicar? Obrigada desde já.

    • Denise e demais interessados, favor entrar em contato por email. Veja menu Contato acima.

      • Sandra Caxambu

        mas qual emai…que nao tem aqui!!

  • Myrna

    Tb estou de mudanca e a empresa pediu um agente portuario oficial no porto de Santos.

    Caso bem parecido com a da Maria Sudin acima.

    Poderia me indicar, obrigada.

  • Alline

    Parabéns pelo artigo… pois estamos com muitas dificuldades de informaçao aqui na Espña para fazer a mudança completa para o Brasil.. E por todas as informaçoes que tenho ñ encontro uma empresa de confiança e tb ñ tenho referencia de despachante no Porto do Rio de janeiro.. Poderia darme alguma referencia… graçias Alline

    • Alline, entre em contato por email para que eu lhe indique alguém diretamente.

  • José Augusto

    Perfeito Leandro. Tenho notado no crescente volume de bagagens desacompanhadas que que chegam no porto de Santos/SP e demoram à ser desembaraçadas, causando ônus aos donos das mesmas. O que muito acontece são as falsas promessas do serviço porta a porta, ou seja, o preço cobrado pelo suposto agente no exterior, cobriria as despesas para liberação no destino. Você foi muito feliz em seu comentário, meus parabéns.
    Um grande abraço e fiquem com deus.

  • Gabriel

    Prezados,

    Parabéns pelo artigo, extremamente útil. Gostaria de saber se há alguma cia. de mudança que vocês recomendariam para fazer EUA-Brasil.

    Desde já agradeço,

    Gabriel

    • Gabriel, entre em contato por email para que eu possa lhe indicar alguém.

      • David

        Leandro, Me passe seu e-mail.

  • Maria Sundin

    Por favor, vocês teriam um telefone para contacto.

    • Entre em contato por email através do formulário de contato do site e entraremos em contato.

  • Maria Sundin

    Po favor, estamos com um grande problema, eu e meu marido sueco estamos tentando enviar nossa mudança para o Brasil. Eu tinha entrado em contacto com uma pessoa que se dizia despachante e ele me disse que seria mais rápido se nós mesmos fizessemos o desembaraço, pois a gente sendo de fora da cidade de Santos, a Receita daria priodidade ao desembaraço,e o trabalho dele ficaria limitado às informações sobre toda a dinâmica do processo. Acontece que a companhia marítima que vai trazer a mudança (Hamburg Sud) , diz que a filial brasileira exige que seja dada procuração a um despachante. Estamos neste impasse já há quase dois meses. Eu queria saber se esta é uma exigência legal. visto que no site da Receita Federal, esta escrito que o próprio viajanete pode fazer o desembaraço.

    Obrigada

  • Narciso Lopes

    Boa oite caros amigos , acho que um pouco por todo o mundo tem algum brasileiro querendo voltar para o nosso querido Brasil , talves já estaja na hora de os nossos governantes se preocuparem um pouco com os emigrantes que enviam uma substancial fortuna em dolares e euros para o brasil , que lhes facilitassem a vinda xde sues as vezes parcos haveres mas que sempre darão jeito na chegada tanto

  • daiana

    olá, parabens pelo post, bastante esclarecedor.

    Vivo na europa e estou passando pelo dilema de mandar ou nao mandar a mudança. Na verdade nao é bem uma mudança sao aproximadamente 200kg em objetos pessoais, roupas, sapatos, alguns eletrodomesticos…

    Contactei com uma empresa q se compromete a transportar essas coisas, mas tenho que retirar no porto de santos. Me disseram que nao poderiam me informarsobre nenhum tramite ou taxa para retirar as caixas, ja que só conhecem as leis europeias.

    Se alguem pudesse me dar uma luz, me explicar sobre as taxas, como funciona, se é pelo valor dos objetos, ou se é uma taxa unica, ja que é uma mudança… Enfim quanto teria que desembolsar em media para retirar as 5 caixas do porto, e qual a documentaçao necessaria

    Obrigada

    • Daiana, o ideal é entrar em contato com um despachante (sério) no Brasil para fazer os trâmites o mais rápido possível no porto. Deixar a carga esperando alguns dias no porto pode te custar uma fortuna.

  • Muito valiosa essa matéria,importante saber se vale a pena trazer uma mudança de taõ longe!!Porém eu acho melhor vender tudo, pois esse custo não compensa até mesmo dentro do país, imagine fora.