O que o Brasil deve aprender com a China

O que o Brasil deve aprender com a China

O Ocidente está prestes a declarar guerra à China. Será uma luta desigual e o ataque será a qualquer momento.

Os motivos são graves. A China vinha sorrateiramente se preparando há tempos com estratégias para enfraquecer o futuro inimigo. Ela conseguiu, destruindo todas as estruturas econômicas dos países ocidentais. O Ocidente está em profunda crise econômica, só resta reagir com o uso de sua estrutura militar antes que seja tarde demais. Por isso o primeiro ataque será a qualquer momento.

Você se assustou? Ainda bem que podemos brincar com coisas sérias numa situação seríssima.

A economia ocidental realmente está em profunda crise e todos querem culpar a China.

Mas a China não tem culpa nenhuma. Ela apenas retirou o pano sob o qual se escondiam os resultados negativos que as falsas políticas sociais produziram no Ocidente. É necessário ter política social, mas isso é tarefa de governo e não se pode impor tal tarefa ao cidadão que cria empregos. Quando se cria vantagem para uma pessoa e desvantagem para outra, é óbvio que se cria um desequilíbrio operacional, e um dia a conta chegará ao próprio beneficiário. As políticas sociais, no âmbito trabalhista, são 100% originárias da demagogia política, porque são direitos artificiais oferecidos às custas de quem, ao criar um emprego, já está praticando o maior ato social. Um direito trabalhista não é um direito social, ele é um assalto institucional que obriga a vítima (o empregador) a colocar a mão no bolso e passar o dinheiro para uma terceira pessoa (o empregado), do qual o assaltante (o governo) espera um repasse da parcela em forma de “voto”. E chamam isso de política social.

Puro engano! A verdadeira política social é quando toda a sociedade, representada por seu governo, se mobiliza para ajudar quem necessita, mostrando como deveria realmente ser eficiente com a saúde, a segurança, a educação, para seus cidadãos contribuintes. Mas ele não o faz, para priorizar com mais recursos os salários milionários do corporativismo do Estado; para alimentar a corrupção e acobertar a incompetência administrativa, expressa na má qualidade dos eleitos pela maioria inculta ou inconsciente de eleitores. A carga tributária e a ineficiência administrativa são diretamente proporcionais ao índice de corrupção e demagogia do país.

Nós só temos que agradecer, e muito, à China.

Quando um político, demagogo por excelência, fala que mais de 40 milhões de brasileiros chegaram à classe média nos últimos anos não é porque o poder de compra deles aumentou, mas é porque o produto do sonho de consumo deles tornou-se muito barato e acessível, graças à China. “Não foi Maomé que foi à montanha, mas a montanha que foi até Maomé.”

Não fosse pela China, nós estaríamos pagando mais de R$ 500,00 por uma camisa e não R$ 25,00. Uma chapa de agulhas para máquina de costura reta, que há 30 anos se importava do Japão por US$ 6,00 (seis dólares) e se vendia por R$ 30,00, hoje se importa por US$ 0,20 (vinte centavos de dólar) e se vende por R$ 1,00. Tudo isso porque a China tem uma carga tributária entre 10% e 12% do PIB, e não de 40% como a nossa. Porque o chinês ama o trabalho e sua produção de um dia vale por cinco dias de produção de um trabalhador ocidental. Produz bem e barato porque vende apenas seu trabalho e não leva para a empresa empregadora obrigações produzidas por direitos artificiais de leis demagogas que só servem para aumentar o custo do produto e a ociosidade do trabalhador. Na China recolhem-se apenas tributos para a previdência social.

Prestem atenção a esta realidade da nossa sociedade:

Quando uma pessoa vai trabalhar para uma empresa, só fica preocupada com os direitos que os políticos criaram para ela, como vale-transporte e alimentação, direitos de maternidade, paternidade, férias, 13º, PLR etc., e reclamando de trabalho escravo, movimentos repetitivos, acúmulo de funções, pressão psicológica, carga horária rigorosa, riscos na viagem de ida e volta ao trabalho etc. Mas quando essa mesma pessoa, não encontrando trabalho nas empresas, decide montar seu próprio “ganha-pão”

em casa, com uma máquina de costura ou outra coisa, ela passa a trabalhar 15, 16 horas por dia, visando a uma grande produção e boa qualidade. Quem é, nesse momento, seu escravizador? Ninguém. É a sua vontade de trabalhar. Quem é que está lhe tirando os direitos? Simplesmente não existem direitos. Existe, sim, a grande perspectiva de ser bem-sucedido, porque o sucesso só se alcança com muito trabalho, e não com direitos artificiais. E lá na China essa filosofia não é de uma pessoa, mas de toda a nação. É no trabalho que os chineses estão encontrando a solução de todos os seus problemas, o sucesso de 1,5 bilhão de pessoas.

Então nosso inimigo não está na China, mas dentro de casa. Em tudo o que torna nosso produto caro. Está na corrupção, na impunidade e, acima de tudo, nas leis trabalhistas, que só foram engenhadas e serviram para levar ao poder políticos corruptos e sindicalistas demagogos. Pior que, em pleno século 21, com o povo já culturalmente evoluído, ainda há “caras de pau” insistindo em novas leis, querendo reduzir a semana de trabalho de 44 para 40 horas, e que, com o Projeto de Lei 3941/89, já conseguiram aumentar o tempo de aviso prévio em até 300%, para onerar ainda mais o trabalho. Demagogia não falta para encarecer ainda mais o custo Brasil.

Gostaria de pedir a esses sindicalistas que nos demonstrem que, além da farta demagogia, possuem também inteligência e apresentem uma solução que possa resolver o atual problema.

Que promovam o ressurgimento das nossas indústrias, e em condições competitivas com as chinesas. E não me venham com a velha história de que os chineses ganham US$ 20 ou US$ 30 mensais porque nas cidades industriais o salário do operário, em moeda chinesa, é de 2 mil RMB (mais ou menos US$ 300), maior do que no Brasil; só que com 1 RMB se compra o equivalente ao que se compra com US$ 1 no Ocidente. Isso porque os preços internos não são inflacionados por altíssimos impostos e por leis trabalhistas demagogas.

Sindicalistas não sabem nada! E não têm o mínimo senso de responsabilidade em sua consciência, para pensar nos efeitos negativos de seus atos. Só sabem falar besteiras e, enquanto “defendem” os trabalhadores brasileiros, só usam produtos chineses!

Por Giuseppe Tropi Somma: empresário e presidente da Abramaco (giuseppe@cavemac.com.br)

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • Marcelo Tadashi Kato

    Gostei muito do seu artigo

  • Sara Brandão

    Deveríamos ser como China e aprendermos a sua cultura, temos tudo para ser um Páis muito melhor, mas infelizmente a corrupção, impunidade estão em primeiro lugar, a desvalorização do trabalhador com seus baixos salários, acúmulos e abusos de funções é uma verdadeira desmotivação. Enquanto os Chineses amam o que fazem e produzem muito e seus descontos são minimos. A existência dos Sindicatos tem finalidade de buscar melhorias, mas estes lutam em busca de melhorias que beneficiem a sí mesmo e não da Nação.
    Sara Neila Brandão

    • Koch Paulo A

      Sara muito boa a tua colocação, eles são o que são parque são unidos.

  • Paulo Koch A

    Com certeza temos muito que aprender com os Chineses e devemos seguir o exemplo deste país, porém o nosso problema é cultural e faltam leis para punição da corrupção. Quem deveria ser exemplo é quem mais tira, se preocupando em aumentar seus salários ou em adquirir um benefício a seu favor, com isso o governo cria leis e  taxa disso ou daquilo para cobrir rombos que seguidamente estão na mídia e acabam em nada, sobrando a conta para nós trabalhadores. Não podemos culpar também  só nossas lideranças, quando falo em problema cultural falo também de nós como seres humanos capitalistas, pois o que se vê no dia a dia, não generalizando são pessoas querendo ganhar umas em cima das outras, passando a perna, como se diz por aqui. Temos potêncial para sermos melhores que a China e só depende de nós. 

    • Sara Brandão

      Com certeza Paulo, o problema é bem maior que imaginamos, a corrupção tomou conta do nosso País a cada ficamos mais indagnados com o poder desse povo em tirar da Nação e com isso gerando desmotivação total.

  • RT @KellyOsman: O que o Brasil deve aprender com a China: http://t.co/2CsBEOLW

  • O que o Brasil deve aprender com a China: http://t.co/2CsBEOLW

  • RT @Logistica_Desc: O que o Brasil deve aprender com a China http://t.co/QRQPzfrs

  • Csdasilva1

       Imagine se essas "leis demagogas" não existissem.O pobre coitado do trabalhador que ganha 545 reais por mês, só de vale transporte gastaria 200 e refeição 210 sobrando 135 para aluguel,água,luz etc.Nasceria um filho  e nem conseguiria vê-lo pois sua carga horária seria de 14 ou 16 horas.
        Falando do jeito que você falou fica bem bonito realmente sobre a visão do trabalho na china e por aí vai, mas esses direitos dão o mínimo de dignidade ao trabalhador.
         Assim como existem políticos corruptos 95% também existem empresários que SÒ visam o lucro 100% e se esquecem de quem faz realmente as coisas acontecerem dentro da empresa, pois se extinguisse todos esses direitos, duvido que haveria um mínimo de aumento de salário, aliás falando em mínimo graças á Deus que existe o salário mínimo, se não ainda existiria salário de 200 reais por mês.

    • Giuseppe Tropi Somma

      É dificil dialogar com quem está infectado por uma filosoria esquerdista, e que vive fora da realidade e da lógica. São pessoas que pensam uma coisa e param aí mesmo; incapaces de prever as consequencias do que pensaram.
      Na politica, perigosamente, tais pessoas não passariam além da demagogía.
      Feliz 2012.

      Giuseppe

  • Edson

    Sinceramente, nunca vi tanta besteira escrita num artigo e pior a China não é nenhum exemplo para o Brasil é uma ditadura onde a população não tem liberdade nenhuma, provavelmente esse artigo seria censurado, milhares de trabalhadores tem problemas psicológicos e o índice de suicido, entre os trabalhadores, é o maior do mundo, falar que o trabalhador chinês produz em um dia o que os ocidentais fazem em cinco é não conhecer a economia dos outros países, um exemplo o PIB industrial americano é mais ou menos e mesmo que o da China mas os EUA empregam 11 milhões de trabalhadores na industria e a China 110 milhões e não é preciso ser nenhum gênio da matemática para saber que a produtividade do americano é 10 vezes maior que a do chinês, se existe um pais onde a trabalhador e a população em geral não fica esperando o governo para fazer acontecer é o EUA e não é por acaso que é de lá nas garagens e campi das universidades que surgem as empresas mais inovadoras do mundo.

    • Giuseppe Tropi Somma

      Sr. Edson, bom dia.
      Por ser grande meu comentário, peço seu e-mail, para um envio direto.
      Obrigado.
      Giuseppe

    • Nelson Cravo

      Equivocadamente você disse que o PIB americano “é mais ou menos e mesmo que o da China” , quando na verdade o PIB americano é 2 vezes o PIB Chines. EUA = 15.094.025 (em milhões de dólares)   e a China = 7.298.147 (em milhões de dólares).

    • Dani loo

      Entre o Brasil e a China existe a herança cultural, não focada no lucro (tanto da parte do empregador quanto do empregado) e também por parte dos governos. Um país que nunca teve guerra como o Brasil, que nunca saiu da zona de conforto, fica assim: sem patriotismo, jogado ao Deus-dará.
      Já em países como a China, que já experimentaram a realidade da crise e da guerra, torna-se a seus cidadãos bem mais evidente as necessidades nacionais, e a mentalidade passa de passiva para ativa. Isso precisamos mudar.
      Mas esses empresários que reclamam dos míseros direitos que conquistamos com muito suor, deveriam rever seus conceitos egocentricos e parar de “chorar por migalhas”; eles estão vendo o trabalhador, seu aliado, como seus inimigos e causadores de males, enquanto o inimigo real é o governo.Mas contra este nada o fazem, não protestam, não reivindicam melhorias e diminuição da burocracia e carga tributária (quando protestos acontecem, é o cidadão comum que o faz, não a classe dos patrões)

  • Ótima matéria, parabéns!!

    O Brasil é um dos poucos países que ainda tem "espaço" para crescer, e deve seguir o caminho que os chineses estão seguindo, pois são um exemplo de desenvolvimento sustentável.

    Países que encontram-se saturados de desenvolvimento, principalmente por questões geográficas (espaço), estão migrando suas empresas para a China, pois o sucesso é garantido.

    • Koch Paulo A

      Guilherme concordo contigo, com o potêncial que temos de  desenvolvimento, espaço territorial, novas áreas para serem abertas, investimentos na agricultura e pecuária com novas tecnologias, estamos com a faca e queijo na mão.

  • Colaborando inteiramente c/ o autor e o tema, segue link c/ parte da matéria de capa da revista Veja que fala da Educação na China. Temos muita coisa a aprender com os chineses, e como…
    http://veja.abril.com.br/noticia/educacao/o-siste

  • Everson

    Muito bom o artigo! Eu acho que o Brasil precisa investir em educação. É a única solução para acabar, ou pelo menos diminuir a corrupção. Também acho que os brasileiros precisam de um "objetivo" de crescimento. Nosso IDH é uma vergonha. Temos um PIB altissímo, mas o dinheiro que era pra ser investindo em educação, segurança e saúde, é investindo nos carrões e mansões dos políticos corruptos. O brasileiro precisa acordar!

  • Carlos Roberto de Pa

    A China tem um grande potencial econômico, mão-de-obra barata e uma organização política que facilita o grande desenvolvimento sustentado, o que atinge de forma desfavorável as economias ocidentais, no caso específico do Brasil nós temos como superar estas vantagens se houver um copromisso maior do governo da união, estados e municípios de agirem em bloco através de uma política nacional que consiga superar o "risco Brasil".

  • L. Maurício

    excelente matéria, porém me lembrei da produção de carros chineses onde os trabalhadores exercem sua função de forma quase desumana se comparada à produção de carros em empresas como a FIAT, até então os chineses não tinham preocupação nenhuma com segurança e estavam sujeitos a acidentes a todo momento, assim, produziam mais e conseguiam reduzir os custos de produção. é claro que isso existe em todo o mundo e não serve de pretexto, pois não foi à-toa que a China se tornou a potencia que é hj.

  • Raphael Elmais

    Parabéns pela excelente analogia, entre trabalho escravo e vontade de ser bem sucedido, muito boa mesmo…

  • marcos

    Deveria trabalhar mais e ter mais responsabilidade e etc…

  • Amanda

    Gostaria de parabenizar, por mais uma máteria execente. Acho muito importante haver mais máterias como essas.

    Para abrir os olhos do povo brasileiro.

    Att.

  • Hélio

    Matéria muito boa!!!

    Existe outros fatores a serem considerados, todavia a atuação dos sindicados nada ajuda, há muita burocracia, impostos elevadíssimos que impedem o desenvolvimento da produção, e proporcionam muito pouco ou quase nada de retorno ao povo. E a corrupção é inaceitável, não podemos mais admitir essa desgraça em nosso país.

    Se não mudarmos urgentemente, não alcançaremos a China nunca…………

    Att

  • Rodrigo

    Excelente matéria!! Me preocupo muito com o futuro do nosso país. Hoje a carga tributária é alta demais para a prestação de serviços que temos e o que vemos é que somente os políticos e seus "beneficiados" ganhando (literalmene) alguma coisa com isso. Vou dar um exemplo recente: Eu moro em Uberlândia-MG, aqui está para ser aprovado um reajuste "justo" para os salários dos vereadores a partir do próximo mandato. Hoje é uma merreca em torno de 9 mil e irá para algo em torno de 15 mil….15 mil reais!!!!!! Isso é um absurdo!! Enquanto isso….do outro lado da "ilha brasileira dos bons frutos e da justiça" as coisas estão feias…tudo sobe de preço…supermercado é uma fortuna…imóvel é pior ainda, gasolina, energia, enfim…cada vez tudo mais caro…mas td bem ne? Com 15 mil mensais na conta esses problemas se tornam só lenda….

    Abraços e boa sorte pra todo mundo!!

  • Leandro Ribeiro

    Parabéns pela matéria! Li hoje também uma matéria no blog do Bernardo Porto sobre o que é o sucesso, e fazendo uma ponte com esse artigo sobre os chineses, é possível ver como o trabalho pode ser interpretado de forma diferente por um povo. Não vou me alongar, mas vou dar minha conclusão-opinião sobre o que li nessas duas fontes de informação: O DIA QUE DERMOS MAIS VALOR AO TRABALHO, E REALMENTE NOS ENTREGARMOS, A CORRUPÇÃO VAI CAIR DRASTICAMENTE, POIS NÃO VAMOS ACEITAR MAIS VIVER NO MEIO DE TANTA SUJEIRA. Lógico que há muitas outras variáveis no caminho, mas acredito sim no esteriótipo do Brasileiro vida-mansa e no "jeitinho", e esses são a raiz do mal do Brasileiro.