O que é e como calcular o estoque de segurança – com planilha para download

cálculo do estoque de segurançaPara muitos negócios, manter estoques dos produtos é fundamental. Você já imaginou um supermercado sem estoques? Eles precisam manter em estoques todos os produtos que os clientes possam desejar. Fora do varejo os estoques também têm um papel central: nas indústrias, é preciso ter estoques de matérias-prima para que a produção não seja interrompida.

No entanto, a busca por menores custos sempre empurra os estoques para baixo: queremos ter o mínimo possível de estoques, pois eles representam capital parado, em outras palavras, representam custos.

Para achar o equilíbrio perfeito, duas coisas são fundamentais: uma boa previsão da demanda e o cálculo apropriado para os tamanhos dos estoques, dentre eles, o estoque de segurança.

O estoque de segurança é uma quantidade de estoques que se tem, mas que não se deseja usar. É como um seguro do carro: é bom ter um, mas você não quer precisar usá-lo. Isto porque ele é calculado apenas para suprir uma segurança em casos de variações inesperados, algo que você não pode prever ou controlar: problemas no fornecedor, atrasos na entrega, uma demanda que não foi prevista…

Como calcular o estoque de segurança?

Antes de mostrar como se calcula o estoque de segurança, é preciso entender do que ele depende. Nosso estoque de segurança depende de alguns fatores chave:

- a própria demanda: se a demanda é bem estável e conhecida com antecedência, então temos pouca variabilidade a cada mês e não precisamos nos proteger muito contra essas variações (pois sabemos que elas não ocorrem); por outro lado, se seu produto tem uma variabilidade nas vendas muito grande, então precisaremos de estoque de segurança maior. Isto tudo é medido matematicamente através do desvio padrão da demanda, que neste caso é calculado como o desvio padrão da previsão da demanda. Um bom sistema de previsões é capaz de oferecer este número, ou ele pode ser estimado de maneiras mais simples, mas menos precisas.

- o lead time (tempo de entrega) do produto: se o tempo de entrega é elevado e sua variabilidade é alta (se uma entrega é feita em 5 dias, outra em 8 dias, outra em 2 dias), então é preciso ter uma segurança frente à este tempo média de entrega de 5 dias, pois algumas vezes ela chegará a demorar 8 dias. Mas não queremos nos planejar sempre para receber apenas depois de 8 dias, pois isto acarretaria custos muito altos, então o estoque de segurança utiliza a estatística para auxiliar nessa tarefa.

- o nível de serviço desejado: nem todos os produtos merecem a mesma atenção e o mesmo cuidado; alguns produtos são críticos, mais importantes ou mais atrativos, e por isso merecem estarem sempre presentes, enquanto em outros produtos podemos nos dar ao luxo de não tê-lo em estoque sempre. Matematicamente, isto é modelado através do nível de serviço desejado: quanto maior o nível de serviço (um número percentual de 0 a 100), maior será o estoque de segurança pois queremos mais garantias que o produto estará sempre disponível. O nível de serviço depende de cada setor: palitos de fósforo num supermercado não devem ter nível de serviço muito alto, enquanto antibióticos numa farmácia hospitalar devem ter nível de serviço altíssimo. O nível de serviço indica o quanto queremos estar seguros frente às variabilidades que ocorrem, em outras palavras, frente aos desvios padrões da demanda e do lead time. Agora vem a parte em que a matemática e estatística são utilizadas. Não se assuste com as linhas a seguir, mas tente entendê-las, pois disso depende a compreensão da fórmula mais abaixo.

Usa-se a distribuição de probabilidades normal para aproximar o comportamento da demanda, para tornar mais simples e direto o cálculo do estoque de segurança. Assim, quando falamos em nível de serviço, estamos avaliando quanto por cento da curva normal queremos cobrir. Um desvio padrão ao redor da média cobre aproximadamente 67% da curva, 2 desvios padrões cobrem mais de 97% e 3 desvios padrões cobrem mais de 99% da curva. Para usar números redondos, vamos utilizar um nível de serviço de 99,87% o que nos dá exatamente 3 desvios padrão em torno da média de uma distribuição normal.

A fórmula do estoque de segurança

Agora que já conhecemos todos os componentes, vamos à fórmula do estoque de segurança.

Chamaremos de z o valor tabelado que indica quantos desvios padrão ao redor da média temos que tomar para cobrirmos a proporção da área sob a curva normal que queremos (o nível de serviço, por exemplo podemos usar 99,87% para gerar um valor de z = 3,0);

Chamaremos d a demanda média e σd o desvio padrão dessa demanda; e chamaremos de t o lead time médio e de σt o desvio padrão do lead time.

Assim, evitando a matemática que gera a equação, o estoque de segurança (ES) é calculado pela fórmula abaixo: fórmula para o cálculo do estoque de segurança

E se o lead time tem um desvio padrão muito pequeno (ou nulo), o estoque de segurança pode ser seguramente aproximado por:

fórmula para cálculo do estoque de segurança

Matematicamente o valor obtido pela fórmula deve ser sempre arredondado para cima, para garantir que estamos cobertos contra as variações desejadas, mas por conveniência, habitualmente arredonda-se o valor obtido pela fórmula para o número redondo mais próximo (se a fórmula deu resultado 182,3 pode-se arredondar para 180 ou 200, por exemplo).

Agora você já sabe o que influencia e como se calcula o estoque de segurança.

Aproveite e faça o download gratuito de uma planilha para calcular o Lote Econômico de Compras e o Estoque de Segurança!

Download da Planilha para cálculo do Estoque de Segurança, formato Excel 97-2004

Download da Planilha para cálculo do Estoque de Segurança, formato Excel 2007-2010


Para manter-se sempre atualizado assine nossa newsletter ou nosso feed.
Curso de logística de baixo custo, online e com certificado? Clique e conheça!


Escrito Por : Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

em : domingo, 20 fev, 2011


  • Marcela

    Confesso que gosto do assunto, acho a teoria compreensível e lógica. Mas quando vem a matemática…o lead time é alto pra eu entender. rs!

    • Luiz Carrilho

      Bom dia!

      Achei muito interessante os tópicos e conteúdo acima.

      Estou com apenas uma dúvida: Na fórmula para calcular o ES, quais são as unidades que usamos para demanda média e para o lead time médio?

      Muito obrigado,

      Abraços

      • http://www.logisticadescomplicada.com/ Leandro Callegari Co

        Luiz, a demanda e o lead time devem ser expressos na mesma base. Se a demanda é unidades por semana, então o lead time deverá ser em semana. Se a demanda é em pallets por mês, o lead time deverá ser uma fração do mês. Nestes dois exemplos, o tamanho do estoque de segurança seria dado em unidades e em pallets, respectivamente.

        • Erica

          Leandro, qual o período que você está se referindo na fórmula? Um mês, dias?

  • http://www.ricardomarques.net Ricardo Marques

    Da mesma forma que a Marcela, acho o assunto atraente e essencial em qualquer empresa, mas aplicar a fórmula acima…

    • http://www.logisticadescomplicada.com/ Leandro – Log&iacute

      Para quem ainda tem dificuldade com a matemática e a estatística, recomendo a leitura de um bom livro da área. Recomendo este ou algum outro de estatística que já foi recomendado aqui no site.
      Abraços

      • Marco Antonio da Sil

        Olá,gostaria dos nomes dos livros,para quem tem dificuldade com a,

        matemática e a estatística???

  • Alexandre

    Olá amigos, realmente é um tema muito interessante e amplo.

    Relação a matemática é algo a ser analisado mas não vejo grandes dificuldades, a prática neste tipo de caso leva a perfeição.

    Como professor da área e lecionar a disciplina, sugiro alguns livros que serão de grande ajuda.

    ALT, Paulo Renato Campos; MARTINS, Petrônio Garcia. Administração de Materiais e Recursos Patrimoniais. 3a. Edição. São Paulo: Saraiva, 2009.

    POZO, Hamilton. Administração de recursos materiais e patrimoniais: uma abordagem logística. 6a. Edição. São Paulo: Atlas, 2010.

    ARNOLD, J. R. Tony, Administração de Materiais; São Paulo: Atlas 1999

    Abraços

    • http://www.logisticadescomplicada.com/ Leandro – Log&iacute

      Alexandre, obrigado pelo enriquecimento da matéria com suas informações.
      Grande abraço

  • ALEXANDRE FERNANDES

    Eu quero participar!!!

    Gostaria de ganha os livros póis sou Técnico em Logística e estou iniciando a Faculdade de Tecnologia em Logística.

  • Thaís Mor&aac

    Estou adorando o seu site, Leandro! Estou podendo ter ideia de como é a logística. Sou uma futura aluna do curso de logística em Belo Horizonte e tenho certeza de que seu site irá me ajudar e muito no meio acadêmico.

    Um abraço!

  • http://www.ricardomarques.net Ricardo Marques

    Leandro

    Obrigado pela dica do livro.

    Abraços

  • aguinaldo fortis

    Bom dia

    Teria um explo mais simples para o entendimento

  • J Costa

    muito bom!!!!

  • Saulo

    sem duvida o leed time e mais utilezado.

  • Saulo

    lead time e mais utilizado.

  • http://msn jairo

    Com certeza o tema é muito rico em informação, mais quando se trata da bendita matematica aiaiai parece que tudo fica nublado!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • Ricardo jacques de A

    Hoje em dia o estoque é um dos pontos que a logística que sempre prima por qualidade, rapidez e custos baixos,

    tem que ser analisado de perto e com fórmulas e ferramentas de informações precisas.

  • Ricardo jacques de A

    Na questão da matemática profissionais de logística tem que se aprimorar, se capacitar pois é uma área que é custo o tempo todo é racíonio rapído e decisões assertativas é fundamental.

  • Tacio

    Olá

    Caros a minha área de atuação sempre envolveu logistica, estava fazendo um curso superior parei para fazer superior em logistica pois sei que gosto, referente a matematica realmente tambem não é muito minha praia mais temos que enfrentar.

    abraços para todos.

  • carlos Roberto Gomes

    Trabalho no varejo mas atuei por muito anos em logistica, e também sou aluno do curso de Logistica e gosto muito da área..

    Mas é como foi citado pelos os outro colegas matematica é bronca!

  • Eduardo Guedes

    Creio que os novos profissionais da área de logística tem que aprender a ter uma visão mais ampla das atividades logísticas a fim de verem que a logística é muito simples. Ela deve ser trabalhada para ser o mais simples e funcional possível. A maior porcentagem de tudo o que fazemos dentro de uma organização no que tange as operações logísticas, são um reflexo de práticas de nosso cotidiano. O MRP por exemplo, é amplamente executado em nosso dia-dia quando programamos um jantar por exemplo. O MILK RUN também é uma atividade de nossa rotina, basta refletir sobre como preparamos nossa ida ao mercado, farmácia, açougue, etc, quando traçamos uma rota lógica e econômica, e assim vai com ferramentas como FIFO, PPCP, estoque de segurança, ponto de ressuprimento, entre tantos outros, é claro que se deve guardar as devidas proporções.

  • otavio

    tente ver a video aula do professor alexandre hirayama – ele explica de forma simples todos os calculos.

    • Gilberto Alves Lopes

      video aula do professor poderia informar o link por favor ? Desdejá fico agradecido.

  • Emerson Hammacher

    Pessoal, o grande dilema das empresas é que de um lado "área comercial" quer ter tudo a pronta entrega, não discordo deles, já no outro lado vem a "área de controladoria" pedindo para justificar os custos de estoque, este é o equilíbrio que todos buscam, atender todas as necessidade da área comercial com um estoque em níveis mínimos possíveis.

    Quanto ao calculo, não vejo dificuldades alguma. No meu caso a grande dificuldade é a previsão de demanda muito instável, e como trabalhamos com muitos itens de particularidades especificas e de lead time longo, isto se torna um grande desafio.

    A teoria é bem mais fácil que a pratica.

  • Marcelo

    Profissionais de logística precisam estudar Engenharia de Produção.

  • Erick Almeida

    Cade a formula? Tá aparecendo a logo do site no lugar da formula…

    • http://www.logisticadescomplicada.com/ Leandro Callegari Coelho

      Aparentemente as fórmulas estão aparecendo corretamente agora…

  • http://www.facebook.com/people/Adriano-Nery-de-Souza/100000292507542 Adriano Nery de Souza

    Grato pelo conhecimento repassado!

  • Gilvan Souza

    Kd a Fórmula para maior entendimento?

    • Thiago Castro

      Formulas são:

      Entregascom lead time variável (com desvio padrão)
      =INV.NORMP(C17/100)*RAIZ((C16^2)*C13+(C15^2)*(C14^2))

      Entregas com lead time fixo (sem desvio padrão)
      =INV.NORMP(I17/100)*I16*RAIZ(I13)

      Cálculo do Lote Econômico de Compras (LEC)
      =RAIZ(2*C26*C27/C28)

  • http://www.facebook.com/bruno.hashizumi Bruno Hashizumi

    Gostaria de saber a formula utilizada na planilha para que eu possa gerar um calculo automatico em uma Planilha que criei.

    • Juliana Alves da Silva Pereira

      Alguém sabe qual é senha para desbloquear a planilha de calculo de estoque de segurança?

    • Thiago Castro

      As Formulas são:

      Entregascom lead time variável (com desvio padrão)
      =INV.NORMP(C17/100)*RAIZ((C16^2)*C13+(C15^2)*(C14^2))

      Entregas com lead time fixo (sem desvio padrão)
      =INV.NORMP(I17/100)*I16*RAIZ(I13)

      Cálculo do Lote Econômico de Compras (LEC)
      =RAIZ(2*C26*C27/C28)

  • Thiago Castro

    Não entendi essa planilha, para mim está ERRADA !! Se o Nivel de Serviço é =(Numero de pedidos atendidos / Número de pedidos recebidos dos requisitandos) porque quanto maior o Nivel de Serviço o estoque de segurança tambem fica maior? Não deveria ser ao contrario?