Latest News

Logística
Logística Humanitária

Logística Humanitária

Como aplicar nossos conhecimentos sobre logística empresarial para reduzir o impacto de desastres naturais

Em épocas de desastres ambientais como as chuvas e desmoronamentos que vivenciamos no Rio de Janeiro no início deste ano – ou em catástrofes como os terremotos do Chile e do Haiti no ano passado – percebemos que ajudas humanitárias são requisitadas em (e recebidas de) todas as partes do mundo.

Neste momento notamos que os conhecimentos que temos em logística empresarial e gestão da cadeia de suprimentos são válidos e podem ajudar a aliviar as dificuldades daqueles que estão nos locais afetados.

Semelhanças entre a logística empresarial e a logística humanitária

Antes de destacar as semelhanças entre os dois sistemas, vejamos de maneira simplificada o que a logística faz por uma empresa tradicional.

Começando pelos consumidores, a empresa percebe qual a demanda esperada para os próximos períodos baseada em informações provenientes do mercado consumidor. Esta demanda serve então de motor que impulsiona a produção de produtos, o agendamento da mão-de-obra e a compra de matérias-primas. Para atingir estas etapas é preciso fazer contato com fornecedores, avaliar os estoques e o fluxo financeiro além de coordenar o transporte das partes individuais entre cada elo.

Sob o ponto de vista da logística humanitária, podemos fazer analogias em todas as fases deste processo:

Qual a relação entre o tráfico de drogas e a logística?

Na semana passada os leitores votaram no site (no final da matéria sobre o gerenciamento de uma frota de táxis) e escolheram ler sobre o tráfico de drogas nesta semana. Confira a matéria escolhida!

logística e o tráfico de drogasA analogia do título deste artigo parece um pouco estranha, mas como veremos nos próximos parágrafos, há uma relação entre a logística e a gestão da cadeia de suprimentos com o tráfico de drogas.

A logística e a gestão da cadeia de suprimentos visam conhecer e melhorar o fluxo de produtos e as relações entre os diferentes elos de uma cadeia produtiva, desde os fornecedores de matérias-primas até os consumidores finais. Veja um artigo sobre o que é a logística e a cadeia de suprimentos.

Com o tráfico de drogas, a situação não é muito diferente, apesar de tratar-se de um produto ilegal:

Comércio Exterior - COMEX
O Brasil e o Mercosul

O Brasil e o Mercosul

 

O dia 26 de março de 2011 marcará a passagem do 20º aniversário da assinatura do Tratado de Assunção que assinalou a criação do Mercosul. Duas décadas depois, a pergunta que se impõe é esta: para que serve o Mercosul? Levando-se em conta os números, já não serve para muita coisa, até porque, independente do acordo, Brasil e Argentina, em razão das circunstâncias geográficas, estariam destinados a se tornar grandes parceiros comerciais.

É verdade que, em outros tempos, o acordo representou uma parcela significativa do comércio externo entre os seus países-membros. Em 1998, os demais países do Mercosul – Argentina, Uruguai e Paraguai – absorviam 17,4% das exportações brasileiras. Dez anos depois, essa faixa era de 8,9%. Hoje, não passa de 7%. E não foi porque o Brasil estaria preferindo exportar para outros mercados – antes fosse –, mas porque a Argentina, o parceiro que realmente conta nesse acordo, tem optado por comprar mais da China e de outros países.

O que é e como calcular o estoque de segurança – com planilha para download

cálculo do estoque de segurançaPara muitos negócios, manter estoques dos produtos é fundamental. Você já imaginou um supermercado sem estoques? Eles precisam manter em estoques todos os produtos que os clientes possam desejar. Fora do varejo os estoques também têm um papel central: nas indústrias, é preciso ter estoques de matérias-prima para que a produção não seja interrompida.

No entanto, a busca por menores custos sempre empurra os estoques para baixo: queremos ter o mínimo possível de estoques, pois eles representam capital parado, em outras palavras, representam custos.

Para achar o equilíbrio perfeito, duas coisas são fundamentais: uma boa previsão da demanda e o cálculo apropriado para os tamanhos dos estoques, dentre eles, o estoque de segurança.

Estatística e Logística: qual a relação?

livro estatistica geral e aplicadaMuitas pessoas se perguntam se há muita matemática no dia-a-dia do profissional de logística. Outras se indagam se o curso de logística é difícil ou complicado por conta dos números.

Minha resposta é que são os números que fazem da logística uma área tão interessante, pois a gestão deixa de ser apenas qualitativa e opinativa, e passa a ser uma ciência (quase) exata. Lembre-se de várias matérias que já passaram aqui pelo Logística Descomplicada em que os números e fórmulas eram necessários: o Lote Econômico de Compras, os modelos de previsão, os gráficos de controle, dentre muitos outros.

Por isso, para um bom profissional de logística, é fundamental ter conhecimentos de matemática e de estatística. Por isso, hoje recomendo um livro de estatística aplicada, para ajudar os leitores a entenderem melhor esta área da logística.

O livro chama-se Estatística Geral e Aplicada e aborda o assunto desde início, sendo útil para aqueles que tem pouco (ou nenhum) conhecimento da área, mas chega a tópicos avançados que deixarão satisfeitos até os mais curiosos e amantes dos números. O livro é focado em aplicações do dia-a-dia dos recursos oferecidos pela estatística, e ao final de cada capítulo (são 15 no total) apresenta quase 200 exemplos e mais de 500 exercícios.

Um apagão de táxis às 4 da tarde?

Na semana passada os leitores votaram no site (no final da matéria sobre como tirar um passageiro de um avião) e escolheram ler sobre táxis nesta semana. Vote no final desta matéria sobre seu assunto preferido para a semana que vem!

apagão de taxisAparentemente é difícil encontrar um táxi entre 4 e 5 da tarde em Manhattan, Nova Iorque. Por quê? Porque este é o horário em que muitos táxis (os carros) trocam de motoristas. Por esta razão, este é um problema fascinante de gerenciamento de capacidade.

A primeira surpresa é que um número enorme de táxis são usados 24 horas por dia em dois turnos de 12 horas. Realmente, Nova Iorque nunca dorme.

Então, temos dois turnos de 12 horas e obviamente um motorista só pode fazer um desses turnos – é preciso escolher uma hora e local para trocar de motorista. O local é muito provavelmente uma garagem no bairo Queens (costumava ser em Manhattan, mas o aluguel ficou muito caro então se mudaram para o Queens). O horário, você já pode imaginar, seria durante um período de pouca demanda. Ou ainda poderia ser dividido de maneira que os ganhos dos dois motoristas fosse equilibrado (e levando em consideração que dirigir de dia é melhor do que dirigir a noite). Leve estas duas coisas em consideração e aparentemente às 4 da tarde é um bom momento para trocar os motoristas. Um deles pega o rush da manhã, o outro o rush da tarde.

O resultado, segundo o New York Times (NYT, 11/jan/11) é um amontoado de táxis vazios às 4 da tarde.

Transporte de mercadorias e pessoas no Mercosul

livro sobre transporte de mercadorias no mercosulQuem trabalha com comércio exterior sabe da importância dos acordos bilaterais e dos mercados comuns tais como o Mercosul. Não apenas facilitam o deslocamento de pessoas e mercadorias, mas tornam mais ágeis os processos comerciais.

Quando estes negócios são feitos numa área do tamanho do próprio Mercosul, questões logísticas começam a vir à tona. É relativamente fácil transportar mercadorias dentro da Europa, com países pequenos mas alimentados por rodovias, portos e ferrovias. Agora imagine o pesadelo de transportar equipamentos de Manaus até Buenos Aires (Argentina), ou de Fortaleza até Assunção (Paraguai). É preciso fazer da multimodalidade algo real e eficiente.

Estes e outros assuntos são abordados no livro Transporte Internacional de mercadorias e pessoas no Mercosul, que aborda com grande ênfase o transporte multimodal, as resposabilidades dos operadores deste transporte e os limites de responsabilidade em cada um dos países membros do bloco (fundamental conhecer isto para quem trabalha com comércio exterior nesta região).

Ranking do PIB mundial (Brasil e outros países comparados)

ATUALIZAÇÃO (maio de 2012): Leia o artigo

Brasil: 6ª potência econômica no ranking do PIB mundial

Atualização em dezembro/2011: Brasil torna-se a sexta potência econômica mundial 

lista do pib mundial por paísesDepois da recente crise econômica mundial, que em alguns países ainda continua a causar seus efeitos, vemos algumas mudanças no ranking das maiores economias do mundo.

Passando por um período de estabilidade, o Brasil tem ganho posições e é hoje a 8ª maior economia do mundo, com folga para o 9º colocado (Canadá) e muito perto de ultrapassar a Itália. A China ultrapassou o Japão para tornar-se a 2ª maior economia do planeta, atrás apenas dos Estados Unidos, que continuam líderes absolutos.

Nos parágrafos abaixo você encontrará além da lista das maiores economias do mundo alguns gráficos que ajudarão a entender a dinâmica e que ajudam a colocar em perspectiva o tamanho das economias de diversos países.

Começamos pelo Brasil e com uma comparação com nossos vizinhos. Veja nas imagens abaixo (clique para ampliar e veja todas em sequência pelas setas abaixo da imagem; clique na imagem para fechar e voltar ao texto) como o PIB do Brasil (calculado em dólares americanos) evoluiu muito nos últimos anos

Logística
Passo a passo para sua mudança internacional (bagagem)

Passo a passo para sua mudança internacional (bagagem)

 

como fazer mudança internacionalDepois de discutir aqui sobre o pesadelo de trazer sua mudança do exterior para o Brasil, muitos leitores me escreveram perguntando sobre dicas, indicações de empresas que prestam serviços ou reclamando da burocracia que enfrentaram (ou enfrentam) para liberar suas cargas.

Apesar das perguntas serem variadas, todas convergiam para o mesmo ponto:  o que fazer antes de embarcar a carga.  Que roteiro deveriam seguir para evitar as dores de cabeça na hora da chegada?

Pensando nisso, elaborei um conjunto de etapas, baseados na minha experiência profissional e em pesquisas nos principais portos do país.

Certamente, este roteiro não será o mais completo e poderá variar de Estado/Porto.  Mas certamente ele reflete o que todo viajante deve seguir.

Etapa 01 – Preparação da Carga

Carnaval: a logística também entra na folia

Por André Salvagno, revista Logweb

Há quem diga que, no Brasil, o ano só começa efetivamente após o Carnaval, tamanha a importância deste acontecimento para o calendário nacional. Considerando o papel desta festa popular na cultura brasileira e aliando a isto o fato de a logística estar presente em tudo o que se possa imaginar, a Logweb mostra nesta matéria especial como funcionam as operações logísticas para transporte de carros cenográficos, fantasias, pessoas e tudo o que envolve o Carnaval.

carnaval logística entra na foliaUma das festas de maior repercussão no país é o Carnaval de São Paulo, realizado no Sambódromo do Anhembi, próximo à Marginal Tietê, uma das mais importantes vias da metrópole paulistana. Sendo assim, se faz necessária uma complexa organização logística para não travar o restante da cidade em época de desfiles, antes, durante e depois de as Escolas de Samba passarem pela avenida.

Segundo o engenheiro José Luiz de Oliveira, o Zelão, responsável pela infraestrutura na área técnica da Liga SP – Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, a Prefeitura é uma grande parceira do evento e facilita toda a parte logística para a realização do Carnaval. “São algumas centenas de profissionais envolvidos nessa grande operação, que envolve mais de 50 mil pessoas por noite, desfilando ou assistindo”, destaca. “A eficiência de toda operação logística realizada pela Liga garante o sucesso do evento, pois não há espaço para falhas ou atrasos. É uma operação complexa e exige pessoal altamente especializado”, afirma.

Pages