Latest News

Gestão da Cadeia de Suprimentos – o efeito chicote

artigo publicado no Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 2007, Resende/RJ

O Efeito Chicote e o seu Impacto na Gestão das Cadeias de Suprimentos

Autores: Leandro Callegari Coelho, Neimar Follmann, Carlos Taboada

As empresas há muito  tempo  têm  tentado eliminar as causas do excesso de estoques ou da  falta de produtos. Observou-se que, quanto mais afastada a empresa estiver do mercado consumidor, maiores serão  as  variações  do  tamanho  dos  estoques  e  dos  pedidos,  o  que  caracteriza  o  chamado  efeito chicote. Considerou-se importante, então, apresentar o que é o efeito chicote, suas causas, as formas
como  se  ele  se  apresenta  e  os meios  para  combatê-lo.    Para  isso  inicialmente  é  apresentado  um cenário possível onde os componentes de uma cadeia de  suprimento procuram alinhar  sua oferta à demanda.  Desta  forma  foi  possível  identificar  e  descrever  os  prejuízos  causados  devido  à  sua influência  nos  níveis  estoques  e  na  produtividade  das  empresas.  Após,  com  base  numa  pesquisa bibliográfica, buscou-se apresentar a solução, que se dá através do alinhamento estratégico e do uso de  Tecnologia  da  Informação,  criando  a  sinergia  necessária  para  que  a  empresa  e  a  rede desenvolvam uma vantagem competitiva.

Cadeia de suprimentos – em busca de maior flexibilidade

artigo publicado no Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia 2007, Resende/RJ

Flexibilidade na cadeia de suprimentos: Desenvolvendo Competências

Autores: Leandro Callegari Coelho, Neimar Follmann, Carlos Taboada

Este artigo aborda as  cadeias de abastecimento  flexíveis  e a  forma  como podem  contribuir para o alcance  de  competitividade  das  empresas.  O  assunto  foi  desenvolvido  com  base  nos  conceitos  de diversos autores acerca de gestão da cadeia de abastecimentos, flexibilidade e flexibilidade na cadeia de abastecimentos. Buscou-se tratar o assunto de forma a responder o que é e como é possível tornar uma  cadeia  flexível.  Com  base  no  estudo  realizado  e  dos  conceitos  utilizados,  foi  possível  a elaboração de uma nova proposta de conceito, que melhor descreva o que é  flexibilidade na cadeia de abastecimentos.

Logística virtual – gestão da cadeia de suprimentos

artigo publicado no Simpósio de Excelênca em Gestão e Tecnologia, Resende/RJ, 2007.

A Gestão da cadeia de suprimentos utilizando conceitos de logística Virtual

Autores: Leandro Callegari Coelho e Ronaldo Lima de Cristo

 

Este  artigo  aborda  uma  maneira  de  obtenção  de  vantagem  competitiva  e  uma  ferramenta  para melhoria da  eficiência operacional através do uso dos conceitos da  logística virtual, especialmente no  setor  produtivo.  A  teoria  de  logística  virtual,  ou  e-logistics  como  tem  sido  tratada,  pode  ser utilizada, de  forma complementar, em empresas do mundo físico, extrapolando-se do mundo virtual, das  empresas  baseadas  na  Internet  de  forma  a  suprir  aquelas  com  novos  conceitos  inicialmente formatados  para  estas  no  que  tange  a  estoques,  produção,  disponibilidade  de  insumos  e mercado consumidor. Estes conceitos  são apresentados com o apoio de exemplos e  ilustrações, fazendo uma discussão sobre o tema, baseado no proposto por Clarke (1998). Como resultado, espera-se o melhor uso dos recursos logísticos.

Gráfico de controle EWMA – dados sazonais

artigo publicado no XIV Simpósio de Engenharia de Produção (SIMPEP), em Bauru/SP, 2007.

Uma proposta de gráfico de controle EWMA com dados sazonais

Autores: Leandro Callegari Coelho e Robert Wayne Samohyl

A importância do controle estatístico de processos nas empresas, de qualquer porte, é de vital  importância para que produtor e cliente ganhem confiança, um por melhorar seu nível  de  qualidade,  outro  por  saber  que  comprará  algo  que  atenda  suas  expectativas.  No entanto,  identifica-se  uma  lacuna  na  teoria  de  gráficos  de  controle  quando  a  variável  de interesse possui sazonalidade. A série em estudo é o consumo de energia elétrica no Brasil, e não uma medida de dentro da  fábrica, expandindo as possibilidades de uso da  ferramenta.
Assim, o objetivo deste trabalho é propor uma metodologia de criação de gráfico de controle EWMA para variáveis com componente sazonal. Tal objetivo pode ser alcançado através da modelagem da  série por meio da  técnica de Holt-Winters e geração do gráfico de controle dos  resíduos do ajustamento. O modelo proposto atende aos objetivos uma vez que aponta ocorrência  de  pontos  fora  de  controle  estatístico, motivando  a  identificação  de  uma  causa especial agindo na série.

Modelo de previsão – número de veículos

artigo apresentados no XIV Simpósio de Engenharia de Produção (SIMPEP), em Bauru-SP, 2007.

Avaliação de modelos de previsão para quantidade de automóveis no estado de Santa Catarina

Autores: Leandro Callegari Coelho e Robert Wayne Samohyl

Este artigo aborda a comparação em diversos modelos de previsão (Decomposição Clássica, Suavização Exponencial, ARIMA, Regressão dinâmica) aplicados à série de dados histórica da quantidade de automóveis do Estado de Santa Catarina. Na comparação final, a regressão dinâmica apresenta melhor aderência à série, mas é preterida por necessitar de previsão extra para a variável independente eleita. A opção final é pelo modelo ARIMA sazonal, em função dos valores de AIC e U de Theil utilizados na comparação. Com as previsões feitas, estes dados podem servir para análises do sistema viário, planejamento de transporte público e análises de tendências sociais na região estudada, utilizando os sistemas de previsão com a teoria de logística urbana.

Pages