Porto 24 horas já!

Porto 24 horas já!

Se tudo correr bem, até março de 2014, as obras do trecho Leste do Rodoanel estarão concluídas. Isso significará acesso rápido ao Porto de Santos e ao Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na Grande São Paulo, já que o novo trecho fará a ligação do trecho Sul do Rodoanel e do sistema Anchieta-Imigrantes com as rodovias SP-06 (Itaquaquecetuba-São José dos Campos), Airton Senna e Dutra.

porto24horasA previsão é que o trecho Leste do Rodoanel receba um tráfego de cerca de 24 mil veículos por dia, dos quais pelo menos 60% serão caminhões e carretas. Obviamente, a maioria desses veículos terá como origem e destinação final o Porto de Santos.

Portanto, é de imaginar o caos que haverá na entrada de Santos. Afinal, hoje a situação já é caótica: diariamente, no fim da tarde e no início da noite, filas de caminhões travam completamente o trânsito por quilômetros. É uma situação que já se arrasta há anos e que se agrava à medida que aumenta a quantidade de veículos, sem que haja intervenções fundamentais por parte do poder público.

Uma saída – o que não significa uma solução – seria o governo estadual apressar a execução do projeto que prevê transformar a Marginal Sul Anchieta e a Avenida Bandeirantes em duas pistas de apoio à Via Anchieta, com a construção de um elevado para separar os veículos pesados dos automóveis, criando uma alça para acesso direto dos caminhões ao Porto.

Uma alternativa – que não invalida a proposta anterior – seria a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp) colocar em prática o projeto Porto 24 horas, elaborado há tempos pelo Comitê de Usuários dos Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo (Comus), da Associação Comercial de São Paulo, que prevê a operação de empresas que atuam no complexo portuário santista tanto de dia como de noite.

É de ressaltar que a Brado logística, empresa criada a partir de uma parceria da concessionária ALL e da operadora logística Standard, há oito meses, deu início a serviços ferroviários noturnos em parceria com a Santos Brasil, empresa que explora o Terminal de Contêineres (Tecon). Já é o início de um modelo que tem por objetivo mais bem distribuir os trabalhos e aumentar o potencial de movimentação de cargas, com maior utilização do modal ferroviário, diminuindo as possibilidades de congestionamento nas rodovias e vias de acesso ao Porto.

No entanto, é necessário aprofundar esse modelo com o funcionamento do complexo marítimo, inclusive da Receita Federal e de outros órgãos ligados à atividade portuária. Só assim será possível enfrentar os impactos que a presença de mais caminhões trafegando no Rodoanel trará não só ao trânsito como ao meio ambiente de São Paulo e da Baixada Santista. Portanto, é preciso adotar o projeto Porto 24 horas com a máxima urgência. Aliás, passou até da hora.

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Authored by: Milton Lourenço

É diretor do Sindicato dos Comissários de Despachos, Agentes de Cargas e Logística do Estado de São Paulo (Sindicomis) e da Associação Nacional dos Comissários de Despachos, Agentes de Cargas e Logística (ACTC) e presidente da Fiorde Logística Internacional.