Reduzir os estoques para melhorar os custos

estoques

Matéria publicada no portal NEWSCOMEX em outubro de 2009:

Gestão de estoques – Onde atuar para diminuir seus estoques e melhorar seus custos

Autor: Leandro Callegari Coelho.

A crise econômica está dando sinais de que ficou para trás, mas isso não significa dinheiro sobrando no caixa das empresas, muito menos que é hora de afrouxar as rédeas do controle e do corte de despesas desnecessárias.

Uma área em que sempre é possível melhorar é na gestão do inventário. Dependendo do tipo de produto com que sua empresa trabalha, o nível de estoques incorreto pode ser seu fim. Níveis adequados de estoques têm impacto direto no giro de caixa e nos custos, e nunca será demais melhorar a gestão de estoques.

Dado que os estoques estão lá para atender a uma demanda futura, normalmente desconhecida, deve-se focar na melhoria dos sistemas de gestão de estoques, de previsão de demanda e na avaliação da qualidade dos mesmos.

Menores estoques trarão ainda resultados positivos disseminados em diferentes áreas:

– menos espaço requerido, logo um armazém menor e mais limpo;
– menos manutenção e manuseio, diminuindo probabilidade de quebras e avarias, e ainda menos gastos com pessoal;
– menor obsolescência, giro mais rápido, estoques mais novos;
– menos riscos frente às flutuações de preços, para citar algumas vantagens.

No entanto, antes de gastar mais dinheiro em algo que deveria economizar dinheiro, comece pelo simples. Reconecte-se com seus clientes, conhecendo suas práticas de estocagem e de compras, e os influenciando para adaptarem-se àquilo que lhe convém, com freqüência, frete, preços diferenciados. Com custo quase nulo, pode surtir efeitos muito interessantes.

Além dos clientes, analise o fornecimento de matérias-primas e produtos. Seu fornecedor é confiável? Você tem um fornecedor “reserva”, caso o primeiro não consiga lhe atender, e até para comparar os preços praticados?

Identifique agora os elementos que contribuem com o aumento dos estoques, do ponto de vista dos modelos de gestão de estoques e dos modelos de previsão, e o que os softwares levam em consideração:

– lead time de entrega: em quantos dias seu fornecedor consegue entregar os produtos pedidos (ou, se você não trabalha com o cliente final, em quantos dias você entrega ao seu cliente)? Tenha em mente que um dia a menos na espera pelos produtos representa um dia a menos de operações em estoques que precisam ser mantidos;
– variabilidade ou confiabilidade da entrega: também pode ser entendido pelos termos técnicos desvio padrão ou variância, que os softwares utilizam. Representa a confiabilidade de que a entrega será feita no prazo estipulado.

De nada adianta as entregas serem feitas, em média 7 dias após o pedido, se num mês a entrega ocorre em 4 dias, mas no próximo ocorre em 10 dias. Esta variabilidade é levada em consideração pelos softwares, e elevará o estoque de segurança.

– má previsão de demanda: atualmente é possível fazer boas previsões de demanda com recursos relativamente limitados. Softwares de ponta farão excelentes previsões, mas isto tem seu preço. Ainda assim, isso não significa que não é possível prever a demanda, mas é preciso sempre estar atento ao erro da previsão e se o modelo é compatível com a realidade, se nenhuma mudança significativa ocorreu no mercado.
– variabilidade da previsão: da mesma forma que a variabilidade da entrega, a variabilidade da previsão (e da própria demanda, em última análise) tem seu impacto sobre o volume de estoques. Demandas muito voláteis exigirão estoque maior, e aí entra em prática o que chamei anteriormente de reconexão com seus clientes. Entenda os motivos das variabilidades e tente influenciá-los, com fretes ou preços diferenciados, para que se adaptem à sua estratégia.

Focando nestes itens, você poderá diminuir os estoques mantidos, melhorar o fluxo de produtos e com isso diminuir seus custos de operação e aumentar o capital circulante.

Boa sorte e bom trabalho!

O que achou desta matéria? Deixe sua opinião!


Para manter-se sempre atualizado assine nossa newsletter ou nosso feed.
Curso de logística de baixo custo, online e com certificado? Clique e conheça!


Escrito Por : Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

em : segunda-feira, 2 nov, 2009


  • http://www.renatagsantos.blogspot.com Renata

    Sem dúvidas que a redução de estoques so trazem benefícios para a empresa.

    Como foram citados no artigo alguns tópicos que trazem possibilidades positivas dentro na organização.

    Com a redução de estoques, o produto que chega até o cliente está sempre renovado e inovado.

    Abraço e obrigada pela visita no meu Blog, espero que possamos trocar informações, visto que sou apenas uma estudante, tenho muito que aprender sobre a Logística.

    http://www.renatagsantos.blogspot.com

  • Jarlei

    Redução de estoque é uma abordagem extremamente importante, apesar de notarmos que existe a tentacao do estoque, da producao para estoque, isto com o entendimento de atendimento a cliente. Alguns colocam o estoque alto como diferencial de atendimento – mas nao sera que o planejamento, nestes casos, esta sendo falho ? De uma forma geral, quando investimos em estoque, estamos simplificando a questao de planejar, ou deixando de ser criterioso no planejamento. Isto pode ser sentido em epocas de crise (como a que acabamos de passar), com pedidos baixos, aparecem uma serie de problemas, ate mesmo de distribuicao de custos de producao. Entretanto a questao de estoque nao é uma acao isolada, de simplesmente controlar a mercadoria, exige estreitar o relacionamento com o cliente, com o fornecedor, quicá com o fornecedor do fornecedor, exige claro, planejamento, e também logistica reversa como atividade importantissima dentro da Empresa (traz economia, repoe, de uma certa forma, mercadoria e estoque necessário, afeta prazos de entrega, etc). Tambem o processo de qualidade, ou seja, ter a certeza de que o que esta sendo entregue, nao ira retornar.

    Bom, é um comeco, mas a ideia do estoque envolve toda a Empresa, um entendimento multi-departamental.

    Se for possivel, estou procurando analises estatisticas do efeito do aumento/diminuicao do GIRO na reposicao de estoque.

    Obrigado,

    • http://www.logisticadescomplicada.com/sobre/ Logística Des

      Jarlei, realmente ter estoques é uma tentação para tentar aumentar o nível de serviço, mas é um risco muito alto! O ideal é poder planejar muito bem a produção com a previsão de demanda para ter apenas os estoques necessários.
      Não me lembro de nenhum estudo com análises estatísticas da diminuição/aumento do giro nos estoques. Acredito que encontrará algo sobre isso em jornais técnicos internacionais de logística, como o Journal of Business Logistics. Se encontrar algo neste sentido, entre em contato para discutirmos e divulgarmos as conclusões.
      Abraços

  • RENE LEAL

    GOSTEI DO artigo, MUITO BEM ELABORADO…

  • Paulo Henrique Meire

    Vai ser de muita serventia a leitura desse artigo para o desenvolvimento das minhas atividades. Gostaria de aproveitar e ver se há a possibilidade de me responder uma pergunta (eu ainda estou iniciandoo nessa atividade e prometo que vou "quebrar a cabeça")

    Eu tenho que escrever o que entendo por custo de carregamento e qual a importância do custo de capital para a formação do custo de carregamento. Já imprimi m seu artigo, inclusive outro que consegui via Google, mas não poderia perder a oportunidade e pedir ajuda, assim vou fazer a minha resposta como entendi e comparar, pois não adianta eu não entender. Prometo que não vou só colar. Abraço!

  • Douglas Heinz

    Muito bom, como de costume, Leandro. Vou indicar para os meus alunos.

    • http://www.logisticadescomplicada.com/ Leandro Callegari Co

      Obrigado Douglas. Um abraço!

  • Everaldo Batista

    Estou ainda iniciando o curso de técnico em logística, mas esse texto ajuda muito a abrir a mente para novos questionamentos.

  • http://www.facebook.com/people/Tássia-Medeiros/100000875278804 Tássia Medeiros

    kkk

  • Luciano

    Muito bom esse seu artigo.
    Estou com um trabalho acadêmico com o tema:
    Gestão de Estoques no Aprimoramento da Gestão de Custos.
    Você me indicaria outros artigos seus, ou de outros autores para eu ter um
    abasamento melhor em meu trabalho.
     

  • Rodrigo N. Carvalho

    Um bom trabalho!
    Estou buscando ferramentas para “não precisar” reduzir estoque.
    Na verdade seria criar uma certa tabela para novas inclusões de itens em estoque, pois, ao longo dos anos vamos ficando com aqueles indesejáveis obsoletos.

    Preciso de ajuda para criação de uma planilha onde posso colocar o consumo médio previsto, custo produto criticidade.

    Algo como Teorema do limite central, distribuição Passion, etc.

    Alguém teria algo para ajudar?