Série Pesquisa Operacional – Problema de Estoques & Roteamento

Caixas de estoques

Hoje, terminando a Série Pesquisa Operacional, vamos conhecer um pouco melhor um dos problemas mais complexos que o profissional de logística pode enfrentar. Trata-se do Problema de Estoques e Roteamento.

Para entender melhor, recomendo que o leitor faça uma leitura dos três artigos anteriores da série: uma visão geral, o problema do caixeiro viajante, e o problema de roteamento de veículos.

Feito isso, vamos analisar o problema pelas duas partes individuais:

A parte de gerenciamento de estoques diz respeito às decisões de quanto e quando reabastecer os estoques. Estas decisões podem ser tomadas usando uma das inúmeras técnicas existentes, como o Lote Econômico de Compras, por exemplo. Existem muitos outros modelos para ressuprimentos, mas não é nosso objetivo discuti-los neste post. O importante é saber que há muitas opções e este problema é relativamente simples de ser resolvido. As duas questões (quantos produtos pedir e quando fazer esse pedido) levam em conta a demanda, os estoques de segurança, o lead time de entrega, etc.

A parte de roteirização diz repeito à qual trajeto e sequência de clientes os veículos devem percorrer. Este é um problema de otimização muito complexo, mas para o qual temos boas ferramentas, como você leu no post anterior.

O Problema de Estoques & Roteamento busca responder às três perguntas de uma vez só: quanto entregar, quando entregar, e em qual rota. Resolver este problema com um só algoritmo é muito complexo e raramente consegue-se obter a solução ótima. O jeito é usar heurísticas e métodos aproximativos para obter boas soluções viáveis.

Imagine tentar estabelecer uma solução para um grupo pequeno, digamos, 20 clientes e 5 veículos. Que dia cada cliente deve ser visitado, quantos produtos devem ser distribuídos, em qual veículo isso será feito, qual a rota de cada um dos veículos, tudo isso respeitando os horários estipulados para entregas em cada um dos clientes, respeitando também a capacidade de estoques dos clientes e dos veículos… são restrições sem fim, que tornam este problema um verdadeiro “montro” de opções.

A situação é tão complexa que nem na literatura técnica especializada há um consenso sobre a melhor forma de resolver este problema. Enquanto alguns autores preferem usar programação linear, outros usam programação dinâmica com auxílio de cadeias de Markov.

O fato é que mesmo com as soluções aproximadas, as empresas conseguem economizar dinheiro, pois a solução deste problema auxilia muito o sistema VMI (Vender Managed Inventory – ou Estoque Gerenciado pelo Vendedor), que é uma situação ganha-ganha em que o vendedor passa a ser o responsável pela gerenciamento de estoques dos clientes (e pode agrupar as entregas usando a solução do problema de estoques e roteamento), e os clientes não precisam mais alocar pessoal e esforços para fazer pedidos e gerenciar seus estoques de alguns produtos.

E na sua empresa, como é feito o controle de estoques?

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).

  • jaqueceles

    adorei as dicas ,pois me ajudou muito em um trabalho escolar.VALEU!!!!!!!!!!!

  • Luciane

    A Shocking Electricity Company usa 3.000 metros de fio todos os meses. O custo de

    colocação de um pedido de fio foi calculado em $40,00, e o custo de estocagem de fio é

    de $0,05 por metro por ano. Em que quantidade a empresa deveria pedir fio?

    Se ela adotar a abordagem LEC (lote econômico de compra) para pedido, qual seria seu

    custo anual de estoque?

  • Mauricio

    muito obrigado pela sua informacao!

  • marcos

    Muito boa materia, sou formado em administração e me interesso muito por comercio exterior..

  • Mauricio

    USO DE TECNOLOGIA AVANCADA PARA RESOLVER UM DESSES PROBLEMAS DE ESTOQUE E RASTREAMENTO: Vocollect logistics solutions pick by voice -> http://www.youtube.com/watch?v=PLYBFYzcKMc

    PARA LER UMA GRANDE SOMA DE MATERIAL ACADEMICO SOBRE O ASSUNTO, TENTE PROCURAR artigos NO "SCIENCEDIRECT" DE PESSOAS DE GRANDE NOME NA AREA, TAIS COMO: Hui Ming-Wee, Leopoldo Eduardo Cardenas Barron, etc.

    • Maurício, obrigado pelo vídeo. Vou verificar.

      Sobre pesquisas técnicas nesta área os 2 melhores centros de pesquisa no mundo são o Georgia Tech Institute of Technology, liderados pelos pesquisadores Kleywegt e Savelsbergh, e outro centro na Itália (acho que na região de Brescia), com os pesquisadores Bertazzi, Archetti e Speranza. São os melhores na área do Inventory-Routing Problem.
      Abraços

  • Billy Johw – FATEC I

    Atuo no varejo, loja de acessórios para celular e assistência técnica. Hoje, mais do que nunca, enchuguei o estoque da empresa, informatizei, controlei. Mas, mesmo assim ainda deparo-me com dificuldades. Por conta de ser um ramo de constante evolução tecnológica junto bastante produtos que não vendem. Hoje consegui fechar parcerias com fornecedores de maneira a não fazer estoques como antigamente. Mesmo pagando mais caro, está compensando fazer compras mínimas e minimizar o capital de giro em estoques altos. Em um seguimento tão competitivo, não dá para correr riscos ou suportar percas como antigamente. Sistemas como VMI, não são realidades para o pequeno varejo. E digo mais, muitos fornecedores de alguns seguimentos infelismente não utilizam a informática a seu favor.

  • Pingback: Logística Descomplicada » » Série Pesquisa Operacional – uma visão geral (ATUALIZADO)()