segurança

Mais respeito ao pedestre no trânsito

Mais respeito ao pedestre no trânsito

O excesso de veículos e o elevado número de habitantes geram cada vez mais problemas entre pedestres, motociclistas e motoristas. Pedestres têm prioridade nas vias,…
As limitações do Lote Econômico de Compras e como superá-las

As limitações do Lote Econômico de Compras e como superá-las

O Lote Econômico de Compras é a quantidade a ser comprada que vai minimizar os custos de estocagem e de aquisição, simultaneamente. Do ponto de vista da gestão de estoques, queremos mantê-los sempre baixos pois isso gera baixos custos de estoque. Por isso, é desejável fazer muitas compras de pequenos lotes. Por outro lado, existe um custo associado a cada pedido, e se fizermos poucos pedidos (de grandes quantidades), economizaremos no custo de pedido.

O problema é então equilibrar os custos totais (de estoque + de pedido) no seu valor mínimo, e isto é feito através do Lote Econômico de Compras (LEC). Se você quer saber como se calcula o LEC, veja a matéria Entendendo o Lote Econômico de Compras.

Apesar de muito prático, o LEC não é perfeito. Ele faz várias suposições que nem sempre são verdade (veja uma lista destas suposições na matéria anterior).

O que é e como calcular o estoque de segurança – com planilha para download

cálculo do estoque de segurançaPara muitos negócios, manter estoques dos produtos é fundamental. Você já imaginou um supermercado sem estoques? Eles precisam manter em estoques todos os produtos que os clientes possam desejar. Fora do varejo os estoques também têm um papel central: nas indústrias, é preciso ter estoques de matérias-prima para que a produção não seja interrompida.

No entanto, a busca por menores custos sempre empurra os estoques para baixo: queremos ter o mínimo possível de estoques, pois eles representam capital parado, em outras palavras, representam custos.

Para achar o equilíbrio perfeito, duas coisas são fundamentais: uma boa previsão da demanda e o cálculo apropriado para os tamanhos dos estoques, dentre eles, o estoque de segurança.

Logística e TI – invasão às redes de computadores

Por Paulo Sérgio Gonçalves *

segurança da informação, TI e a logísticaNa semana da posse da Presidente (a) Dilma Rousseff , computadores do Palácio do Planalto sofreram uma pane motivada por um ataque conjugado. Esses ataques são realizados, normalmente, utilizando-se de vários computadores chamados “zumbis” e tem por finalidade sobrecarregar os servidores a tal ponto que não resistem ao elevado volume de acessos e por via de consequência sofrem pane!

Esses “zumbis” não são nada mais do que computadores de usuários ingênuos que foram utilizados por pessoas altamente capacitadas (hackers) a invadir sistemas e operar redes de computadores sem serem rastreados.

Em artigo publicado em seu blog (Early Warning blog), um analista de defesa dos EUA escreveu: “nossa habilidade para penetrar nos sistemas de computadores do inimigo, nossa habilidade de explorar redes de comunicação, com o objetivo de manipular digitalmente as informações, é real!”

O que faz um Técnico de Segurança do Trabalho?

No dia 27 de novembro comemora-se o dia do Técnico de Segurança do Trabalho no Brasil. Você sabe o que faz este profissional?

Regularizada pela Lei nº 7.410, de 27 de novembro de 1985, a profissão de técnico de segurança do trabalho é contemplada com uma área de atuação que pode ser desenvolvida em diversos segmentos.

Isso porque indústrias, construção civil, hospitais, empresas comerciais, entre outros segmentos podem contar com os serviços deste profissional, responsável por assuntos relacionados à segurança e higiene do trabalho, instalações, além de indicar as providências a serem tomadas para resolver esse tipo de problema.

Diminuindo congestionamentos no trânsito com piloto automático (Google cria carro com piloto automático)

google cria carro sem motorista (piloto automático)O trânsito caótico das grandes cidades é em grande parte efeito do número desproporcional de veículos que trafegam nas ruas frente à capacidade das mesmas. Mas se todos os motoristas obedecessem as leis de trânsito a situação seria muito melhor: não parar em local proibido, não fazer retornos onde não pode, não querer furar sinal vermelho e ficar preso no meio do cruzamento, etc.

E se pudéssemos tirar os motoristas dessa equação, substituindo-os por robôs? É algo assim que uma equipe do Google está pensando.

As aplicações são imensas, pois você entraria no seu carro e ele iria sozinho até o destino: você pode tirar uma soneca, trabalhar, falar ao telefone com segurança… e se você precisasse ir ao destino só pra levar alguma encomenda? Uma caixa ou um documento? Deixe o carro ir e voltar sozinho, só precisa que alguém pegue a encomenda de dentro do carro (imagine serviços de tele-entrega)! Isso tudo não é sonho, e um protótipo já circula nas ruas da Califórnia, EUA.

O que falta para o real desenvolvimento do Brasil

o que falta para o desenvolvimento do BrasilJá discutimos como a qualificação profissional é importante para o sucesso na carreira; já abordamos também que questões estruturais precisam ser resolvidas se quisermos manter um crescimento sustentável de nossa economia e indústria. Mas o Brasil sofre com um problema ainda maior: o analfabetismo funcional.

Pelo menos 75% dos brasileiros não dominam a leitura, a escrita e a matemática. Isso se reflete não só no mercado de trabalho, mas na sociedade de maneira geral. Um candidato a Deputado Federal é alvo de investigações por suspeita de ser analfabeto (analfabetos não podem se candidatar), e ainda assim é o mais votado do Brasil. Isso mostra que o baixíssimo nível de escolaridade se reflete em outros analfabetismos, como o analfabetismo político. O palhaço Tiririca fez uma campanha baseada na piada, zoando o processo eleitoral e ainda consegue mais de 1,3 milhões de votos. Não é surpresa que partes do governo funcionem mal.

Para pôr o Brasil num novo patamar de desenvolvimento econômico e social, o presidente eleito terá que desatar os nós que ainda emperram o crescimento sustentado do país. Investir fortemente em educação, saúde e segurança, aprovar reformas essenciais no Congresso e resolver os gargalos na infraestrutura. Os problemas na área social, na economia e na política aparecem em estatísticas e análises de especialistas.

Logística do futebol e da Copa do Mundo

Você já leu aqui no logística Descomplicada que esportes de alto nível exigem logística de alto nível. Relembre o artigo sobre a Logística da Fórmula 1. Hoje veremos algumas informações interessantes sobre a logística e a organização de um torneio de futebol, como a Copa de Mundo.

Como em qualquer projeto de grande escala e de alto nível, este também envolve atividades estratégicas, de integração, segurança, limpeza, comunicações, dentre outros. A lista de atividades é igualmente grande: acomodações para atletas e staff, equipamentos, e muito pessoal de apoio (segurança, saúde, sinalização, etc).

Em um evento como a Copa do Mundo, que recebe celebridades dentro e fora de campo, os procedimentos de segurança foram muito alterados depois do 11 de setembro. O planejamento começa 3 ou 4 anos antes do evento, estudando e estruturando saídas de emergência e medidas de contenção de tumultos. Num jogo onde as estrelas são alguns dos esportistas mais bem pagos do mundo, e transmitido ao vivo para milhões de pessoas no mundo inteiro, tudo precisa ser detalhadamente planejado.