Transportes

Material relacionado à área de transportes

Vulcão, caos aéreo na Europa e a logística

O vulcão da Islândia que continua lançando cinzas na atmosfera continua causando caos aéreo na Europa.

vulcão ativo Islândia - caos aéreo EuropaO vulcão Fimmvorduhals da geleira Eyjafjallajoekull, localizado na Islândia voltou a tornar-se ativo na última quinta-feira (15 de abril) e desde então lança cinzas na atmosfera, que foram carregadas pelo vento e chegaram à Europa.

Pelo risco de problemas nos aviões, o espaço aéreo em boa parte da Europa foi fechado (veja quadro abaixo). Não há previsão de retorno à normalidade, e a situação depende da natureza: o vulcão precisa parar de lançar cinzas e os ventos precisam colaborar para a dispersão das mesmas.

O maior caos aéreo da história mundial já cancelou mais de 17.000 vôos em três dias, atingiu mais de 30 milhões de passageiros e causou um prejuízo de mais de R$ 2 bilhões somente para as companhias aéreas britânicas.

Neste sábado havia aeroportos fechados em 27 países Europeus, que causavam efeitos em cascata pelo mundo, com cancelamentos de decolagens nos outros continentes e impediam os passageiros de movimentar-se pelos ares europeus. A expectativa é que a nuvem de cinzas vulcânicas atinja outros países nos próximos dias, e cientistas acreditam que um vulcão vizinho possa entrar em erupção, piorando a situação. Na última vez que este vulcão esteve ativo ele lançou cinzas na atmosfera por 2 anos (há 200 anos).

Transportes
BR 101 – o caminho de ligação do Brasil

BR 101 – o caminho de ligação do Brasil

 

BR 101 - de norte ao sul do país, caminhos logísticos para as cargasComo citado no artigo anterior Infra-estrutura das rodovias no Brasil, aqui no logística Descomplicada, falamos que o Brasil, este gigante de proporções continentais, possui uma costa marítima praticamente inexplorada para a atividade de transporte, e com uma bacia hidrográfica imensa e também praticamente nula em transporte, onde mais de 60% do transporte de cargas é efetuado por meio do transporte rodoviário, e onde a frota de caminhões é uma das maiores do mundo, poluindo muito mais a atmosfera com dióxido de carbono. Além disso, a manutenção das rodovias quer dos governos municipais, estaduais ou federal, é feita de modo precário ou até mesmo nula, onde em muitos locais essa manutenção inexiste, locais onde o asfalto existia e há anos desapareceu, e onde as ferrovias existentes praticamente encontram-se paradas por falta de manutenção, porque o transporte é efetuado via modal rodoviário.

Os fatores que determinam os custos de transporte têm sido amplamente discutidos em diversos estudos. É consenso que, no modo rodoviário, esses custos são influenciados pela condição da infra-estrutura. Rodovias em situação inadequada interferem fortemente no custo operacional da atividade transportadora uma vez que aumentam os gastos com combustíveis e manutenção, os riscos de acidentes e avarias nas cargas, assim como interferem nas condições de trabalho e qualidade de vida do trabalhador do transporte.

Recordes no movimento em aeroportos

movimento de passageiros e carga nos aeroportos do BrasilJá vimos aqui no logística Descomplicada um panorama sobre o transporte aéreo no Brasil. Apesar das dificuldades e dos lentos avanços, os números têm batidos recorde, tanto em movimentação de passageiros quanto em número de aeronaves.

Em 2009, 8 meses apresentaram recordes históricos de movimentação de passageiros, com um deles quebrando o recorde histórico de passageiros transportados no período de 30 dias (dezembro de 2009 com 12.839.574 passageiros).

No número de pousos e decolagens, tivemos também 8 recordes mensais, e novamente o mês de dezembro de 2009 quebrou o recorde histórico, com 210.810 pousos e decolagens nos aeroportos país.

Confira os números mensais de 2009, fornecidos pela INFRAERO:

Os maiores do mundo: aviões de carga e de passageiros (Antonov e A380)

Sem movimentação e transportes a logística não funciona. Assim, depois de várias matérias sobre infra-estrutura de transportes, vamos conhecer alguns dos monstros do transporte. Quais são os maiores do mundo em suas categorias: aviões, navios e caminhões.

Se você perdeu as matérias anteriores, confira:

Custo Brasil – a situação do transporte de cargas

Infra-estrutura das rodovias no Brasil

Infra-estrutura brasileira – transporte aéreo de passageiros

Logística brasileira: qual nossa situação?

Hoje veremos os maiores aviões do mundo: o maior avião de cargas e o maior avião de passageiros.

Amanhã o post trará o maior navio do mundo e também o maior caminhão do planeta. Prepare-se!

A logística da Fórmula 1

desafios logísticos da F1Você que já assistiu a uma corrida de Fórmula 1, já parou para pensar no desafio logístico de levar todos os carros, equipamentos e pessoas ao redor do mundo?

Neste post vou mostrar um pouco desse trabalho, e tentar mostrar algumas informaçòes curiosas desse esporte.

Em 2010, com o calendário da F1 apontando 19 corridas, as equipes viajarão por 3 continentes e mais de 160 mil km!

Os equipamentos transportados por via aérea vão em 120 baús e contêineres, contendo mais de 10 mil peças diferentes e 32 toneladas de equipamentos por equipe para as corridas fora da Europa (este ano existem 12 equipes competindo). Boa parte deles usam um avião cargueiro 747 fretado. Algumas peças menos críticas viajam por navios, aproximadamente 10 toneladas de peças. Se algum problema ocorrer, as peças podem ser despachadas da Europa para qualquer circuito do mundo, e serão entregues pela empresa contratada em 24h.

Custo Brasil – situação do transporte de cargas

componentes do custo brasil nos transportesDamos o nome genérico de custo Brasil a um conjunto de problemas estruturais da economia e burocracia do País, que torna nossos produtos e serviços mais caros e menos eficientes, dificultando investimentos e o crescimento interno.

Não existe uma medida clara do que compõe o Custo Brasil, mas percebemos esse “custo” nas dificuldades enfrentadas pelas empresas com relação aos altos impostos e taxas, sistemas trabalhista, previdenciário e fiscal complexos e pesados, infra-estrutura deficiente (por exemplo: rodovias, portos), corrupção e impunidade em diversos setores da sociedade, déficit público, taxa de juros elevada, dentre outros. Para efeito de exemplo, a carga tributária que incide sobre a economia brasileira é de aproximadamente 40% do PIB (Produto Interno Bruto), uma das mais altas do mundo.

Transportes
Tipos de rodovias federais

Tipos de rodovias federais

No post anterior foi discutido um pouco do estado das rodovias brasileiras. Neste você conhecerá melhor os tipos de rodovias e como as numerações delas são formadas.

 

Feita a apresentação das rodovias brasileiras,você conhece as rodovias federais, as BRs, a sua numeração, sabe o que significa? Sabe porque uma BR inicia com 1xx e outra com BR 2xx?

Segundo o site do  DNIT – Departamento Nacional de Infra-Estrutura de transportes, as Rodovias Federais seguem os nomes definidos pelo Plano Nacional de Viação (PNV). A nomenclatura das rodovias é definida pela sigla BR, que significa que a rodovia é federal, seguida por 3 (três) algarismos. O primeiro algarismo indica a categoria da rodovia, de acordo com as definições estabelecidas no Plano Nacional de Viação. Os dois outros algarismos definem a posição, a partir da orientação geral da rodovia, relativamente à Capital Federal e aos limites do País (Norte, Sul, Leste e Oeste).

As rodovias federais, são divididas em Rodovias Radiais, Rodovias Longitudinais, Rodovias Transversais , Rodovias Diagonais e Rodovias de Ligação.

Infraestrutura das rodovias no Brasil

 

O Brasil: este gigante de proporções continentais, com uma costa marítima pouco ou quase nada explorada para a atividade de transporte, com uma bacia hidrográfica imensa e praticamente nula em transporte, onde mais de 60% das cargas são efetuadas por meio do transporte rodoviário, onde a frota de caminhões é uma das maiores do mundo, onde a manutenção das rodovias é feita de modo precário, onde em muitos locais essa manutenção inexiste, locais onde o asfalto existia e há anos desapareceu, onde a manutenção quer dos governos municipal, estadual ou federal  é nula.

Segundo dados da CNT – Confederação Nacional do Transporte, de 2008, o Brasil possui entre Municipais, Estaduais e Federal 1.751.872 km de rodovias pavimentadas e não pavimentadas. Desse total 14,4% são de rodovias estaduais, 78,8% são de rodovias municipais e 6,7% são de estradas federais. Nesse total  estão inclusos  141.000 km de vias inacabadas e em construção. As estradas não pavimentadas são a maioria, sendo 88,8% de estradas de chão, contra apenas 11,1% de rodovias pavimentadas, ou seja, somente 196.093 km de rodovias asfaltadas.

Os desafios da mobilidade urbana para o turismo

mobilidade urbana e o turismoO problema da mobilidade urbana já é assunto recorrente aqui no logística Descomplicada. Vimos desde as previsões para a logística de 2010 (feitas ano passado) como as preocupações econômicas e ambientais existentes na Holanda que o tema tem importância mundial. Também basta viver uma cidade de porte médio para enfrentar diariamente trânsito caótico e congestionamentos.

Confira neste texto de Aliator Silveira* algumas considerações muito bem feitas sobre a mobilidade urbana e os prejuízos para o turismo.

Receber bem o turista é o desafio de qualquer destino turístico, principalmente quando se deseja que a experiência não termine em apenas uma visita, mas continue com o passar dos anos e abranja diversas gerações. Para alcançar esse objetivo, diversos fatores devem ser considerados. Além do fator segurança, o destino deve estar preparado e equipado para oferecer boas opções de hospedagem, gastronomia, eventos e entretenimento. O turista precisa conseguir se deslocar com facilidade dentro da cidade seja de carro ou por meio de transporte coletivo.

Pages