Indicadores de desempenho (KPI) para transportes

Indicadores de desempenho (KPI) para transportes

Você tem acompanhado as últimas matérias que trataram sobre a importância dos indicadores de desempenho e sobre como escolher bons KPIs para sua empresa.

Nesta matéria veremos alguns exemplos de indicadores de desempenho para o setor de transportes, um dos mais importantes para a logística e para o mercado de modo geral, pois seu custo tem impacto direto nas finanças das empresas e no custo dos produtos pagos pelo consumidor final.

Para conhecer mais sobre o setor de transportes, veja estas matérias: Brasil é o último em ranking de transporte, Custo Brasil – situação do transporte de cargas e Pesquisa Infraestrutura: rodovias brasileiras.

Agora vamos mostrar alguns indicadores, o que eles significam e como devem ser calculados:

kpi indicadores de desempenho em transportes e logísticaCusto de frete por unidade: este indicador é calculado dividindo o custo total do frete pelo número de unidades expedidas num determinado período (mês, semana, bimestre). É utilizado quando as unidades expedidas são padrões (kg, litros, toneladas) ou os produtos são sempre idênticos. Pode ser detalhado calculando-se também por modal de transporte (para caminhões, trens, barcos, aviões, ou mais detalhados ainda: carga cheia, fracionada, intermodal, etc).

Custo de transporte outbound (saída) como percentual das vendas: divide-se os custos de frete (de entrega) pelas receitas de vendas de um determinado período. Evidentemente o percentual varia muito em função dos produtos vendidos, mas são um ótimo indicador para avaliar a performance financeira do setor de transportes.

Custo de transporte inbound (entrada) como percentual das compras: divide-se os custos de frete (de compra) pelo custo dos produtos comprados em um determinado período. Não se deve comparar este indicador para produtos que sejam comprados com estilos de frete diferentes: aqueles cujo frete é conhecido mas pago pelo fornecedor, e aquele que é pago pela própria empresa.

Tempo em trânsito: é medido como o número de dias (ou horas) desde o momento em que o lote sai da fábrica/empresa até o momento em que é entregue ao cliente. Normalmente é comparado ao tempo em trânsito oferecido por uma cotação de uma empresa de transportes para o mesmo produto, modal de transporte e o mesmo destino. O tempo em trânsito pode variar bastante devido à escolha do modal.

Reclamações como percentual dos custos de transporte: calcula-se dividindo custos das reclamações com perdas e danos pelos custos totais de transporte. Mede-se para cada fornecedor e também para a empresa como um todo. Números altos podem indicar tanto problemas no empacotamento, acondicionamento ou com o transportador.
Exatidação das notas de transporte: é calculado dividindo-se o número de notas de transporte sem erros pelo número total de notas do período. Os erros podem incluir preço incorreto, peso diferente ou informações em falta, dentre outros. É calculado para cada transportador (para conhecer a qualidade individual) e no geral para todos (para avaliar o retrabalho geral da organização).

Percentual utilizado da capacidade do caminhão: Geralmente utilizado para cargas grandes, é calculado dividindo-se o peso transporte pelo máximo permitido (para o caminhão, barco, etc). Se a utilização média for de 80%, isto significa que há uma capacidade ociosa de 20% que poderia converter-se em mais lucro e maior eficiência.

Tempo de giro do caminhão: este indicador é calculado medindo o tempo médio que leva entre a chegada do caminhão e a sua saída. Quanto menor, mais tempo o caminhão passa na estrada, entregando os produtos. Se este tempo for alto, significa que deve-se melhorar o processo de manuseamento dos lotes e daqueles que lidam com a carga e descarga.

Percentual de cargas rastreáveis: calcula-se este indicador dividindo o número de cargas transportadas com rastreamento pelo número total de cargas enviadas em um período. Este indicador mede o grau relativo de sofisticação do transportador.

Coletas pontuais: calcula-se dividindo o número de coletas feitas na hora combinada pelo número total de cargas enviadas num período. Com isto pode-se avaliar o desempenho do transportador, visto que ele afeta a performance de sua empresa e a satisfação de seu cliente.

Com estes indicadores em mãos, escolha os mais importantes para o seu caso, ajuste-os se for necessário e passe a monitorar os seus processos relacionados ao transporte.

Acompanhe também os outros indicadores apresentados no site nas matérias relacionadas (abaixo) aos indicadores chave de desempenho.

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).