Mudanças de moeda no Brasil

Mudanças de moeda no Brasil

O Brasil já teve 9 moedas. Do real (singular de réis), cujo símbolo era simplesmente a letra R e que vigorou do período colonial até outubro de 1833, ao real de FHC – R$ -, o brasileiro enfrentou a temida hiperinflação e a angustiante turbulência da recessão. Foram 6 planos econômicos só nos últimos 25 anos. Todos eles tiveram a mesma finalidade: controlar o faminto dragão da inflação. Os 5 primeiros falharam. O Plano Real permanece em vigor, mas tem pela frente uma série de desafios, para que o país consiga navegar em águas calmas.

O primeiro dinheiro a circular no Brasil foi a moeda-mercadoria, que foi o açúcar, que em 1614 passou a valer como dinheiro por ordem do governador Constantino Menelau.  As primeiras moedas metálicas – de ouro, prata e cobre – chegaram com o início da colonização portuguesa. A moeda portuguesa, o real, foi usada no Brasil durante todo o Período Colonial. Assim, tudo se contava em réis – plural popular de real.

cédula de 1 cruzeiro república anversoComo vimos acima, nossa moeda sofreu muitas variações de nomes e símbolos, mudanças necessárias para a implantação de Planos Econômicos para que se pudesse ao menos temporariamente conter a inflação, o que de fato só foi realmente controlada depois de muitos planos econômicos e com a introdução do Plano Real em julho de 1994.

Para melhor entendermos os nomes das muitas moedas brasileiras, segue abaixo um quadro com as datas em que os Planos econômicos foram adotados e a consequência do mesmo na moeda:

[table id=30 /]

Tabela de conversão das moedas com as mudanças dos padrões monetários brasileiros.

[table id=29 /]

Veja abaixo uma galeria de imagens com as diferentes cédulas já existentes no Brasil. Todas as imagens foram obtidas do site do Banco Central do Brasil.

Fontes: DIEESE e Banco Central do Brasil.

 

[nggallery id=17]

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Ludmar Rodrigues Coelho é administrador de empresas e possui pós-graduações em MBA Executivo em gestão empresarial pela UFSC e MBA Executivo em Negócios Financeiros pela FGV-RJ.