Propostas dos candidatos à presidência para a área de logística

Entre aeroportos com atrasos, rodovias em péssimo estado, sistema de transporte ferroviário praticamente inexistente e portos operando próximos da capacidade, nos encontramos em período eleitoral. Muitas promessas e algumas perspectivas diferentes entre os principais candidatos.

JOSÉ SERRA DILMA ROUSSEFF MARINA SILVASem entrar na questão partidária ou de afinidade com um ou outro candidato (não quero fazer nenhum tipo de debate político, defendendo um ou outro partido/candidato), vamos analisar as propostas dos 3 principais candidatos ao cargo de Presidente da República no que toca as questões de logística, infra-estrutura e transportes.

Todas as informações foram retiradas dos sites dos candidatos e do programa de governo que foi entregue ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Os dados abaixo foram selecionados para dar a ênfase das propostas dos candidatos nas questões que afetam a logística, e não discutirei o mérito, capacidade nem viabilidade das propostas para não ser acusado de fazer propaganda para um ou outro candidato. Fica a critério do leitor fazer esta análise. Os documentos utilizados (os mesmos apresentados ao TSE) estão disponíveis para download no final desta matéria. A ordem de apresentação segue a ordem alfabética dos nomes, e analisaremos os 3 principais candidatos segundo as pesquisas de intenção de voto: Dilma Rousseff, José Serra e Marina Silva.

Depois de ler as propostas e analisar os documentos, responda a enquete ao final da matéria: Se a eleição fosse hoje, em quem você votaria?

Dilma Rousseff

(PT, PMDB, PDT, PSB, PR, PC do B, PRP, PTN, PSC e PTC)

A proposta da candidata aposta na elevação da taxa de crescimento econômico do país, e assim afirma que isso exigirá a conclusão das obras do PAC. Na seção de seu plano de governo destinada a “Infra-estrutura para impulsionar o desenvolvimento agrícola, industrial e comercial do país”, os pontos importantes para a logística são:

Dilma Rousseff candidata a presidência do Brasile) continuidade da reconstrução e ampliação da rede ferroviária, rodoviária, aeroportuária e da navegação costeira, melhorando as condições de vida da população e agilizando a circulação da produção;

f) ampliação das redes de silos e armazéns, que garanta a segurança alimentar da população e favoreça as exportações;
h) ampliação de portos e aeroportos, para atender às exportações e, sobretudo, aos desafios da realização da Copa do Mundo de Futebol e dos jogos Olímpicos e do crescimento exponencial do turismo nacional e internacional.

Há ainda uma seção destinada à “Melhor condição de vida nas cidades brasileiras”, onde destaco os seguintes itens:

a) fortalecimento e democratização da mobilidade urbana, por meio da ampliação de linhas de metrô, VLT e corredores de ônibus;

b) continuidade da melhoria e ampliação das redes ferroviárias;

g) incentivo à constituição de consórcios intermunicipais, especialmente para sistemas regionais de saneamento, segurança, saúde, transporte e desenvolvimento econômico;

José Serra

(PSDB, DEM, PTB, PPS, PMN e PT do B)

No documento do candidato José Serra há um discurso que ele fez, que resume as idéias e propostas do candidato. Reproduzo abaixo o trecho que resume as intenções e as idéias dele para nossa área.

José Serra candidato a presidência do BrasilLembro que os investimentos governamentais no Brasil, como proporção do PIB, ainda são dos mais baixos do mundo em desenvolvimento. Isso compromete ou encarece a produção, as exportações e o comércio. Há uma quase unanimidade a respeito das carências da infra-estrutura brasileira: no geral, as estradas não estão boas, faltam armazéns, os aeroportos vivem à beira do caos, os portos, por onde passam nossas exportações e importações, há muito deixaram de atender as necessidades. Tem gente que vê essas carências apenas como um desconforto, um incômodo. Mas essa é uma visão errada. O PIB brasileiro poderia crescer bem mais se a infra-estrutura fosse adequada, se funcionasse de acordo com o tamanho do nosso país, da população e da economia.

Um exemplo simples: hoje, custa mais caro transportar uma tonelada de soja do Mato Grosso ao porto de Paranaguá do que levar a mesma soja do porto brasileiro até a China. Um absurdo. A conseqüência é menos dinheiro no bolso do produtor, menos investimento e menos riqueza no interior do Brasil. E sobretudo menos empregos.

Na economia, meu compromisso é fazer o Brasil crescer mais e mais rapidamente. Vamos abrir um grande canteiro de obras pelo Brasil inteiro, como fizemos em São Paulo. Estradas, portos, aeroportos, trens urbanos, metrôs, as mais variadas carências na infra-estrutura serão enfrentadas sem os empecilhos das ideologias que nos impedem de dotar o Brasil das do capital social básico necessário. É a falta de infra-estrutura que cria gargalos para o crescimento futuro e ameaça acelerar a inflação no presente.

Marina Silva

(PV)

As propostas da candidata Marina Silva começam por “Reduzir o endividamento do setor público”:

a. Embora cerca de 39% do PIB transite pelo nosso setor público (36% PIB de carga tributária mais 3% PIB do déficit -nominal), a capacidade de investimento em capital fixo do Estado brasileiro não alcança 2% do PIB.

E seguem propondo “Infraestrutura para economia sustentável”:

Marina Silva candidata a presidência do BrasilA infraestrutura é base fundamental para sustentação do crescimento e desenvolvimento econômico. A forma como é planejada “e constituída tem enorme impacto na distribuição geográfica do desenvolvimento, na “qualidade” de vida da população e nos impactos ambientais. Na transição para uma economia de baixo carbono o planejamento da infraestrutura deve ter foco em uma infraestrutura que seja eficiente e sustentável no uso dos recursos naturais.

No sistema de transporte a ênfase deve ser dada às ferrovias, às hidrovias e aos sistemas híbridos combinando biocombustíveis e eletricidade.

Há também um foco na logística urbana, especialmente voltada para os grandes eventos, como destaca a seção “Preparação para os grandes eventos”:

A realização de grandes eventos, como a Copa do Mundo, as Olimpíadas e a Convenção Internacional Rio + 20, deve ser encarada como uma importante oportunidade para projetar a imagem de um país que tem na sustentabilidade o eixo central de seu desenvolvimento para o mundo, ao mesmo tempo que deixará uma ampla gama de investimentos em infraestrutura urbana como legado para a melhoria de qualidade de vida dos brasileiros.

Você pode fazer o download dos documentos utilizados para pesquisa neste post:

Programa de governo de Dilma Rousseff

Programa de governo de José Serra

Programa de governo de Marina Silva

[poll id=”13″]

O presente levantamento não se trata de pesquisa eleitoral, descrita no art. 33 da Lei nº 9.504/97, mas de mero levantamento de opiniões, sem controle de amostra, o qual não utiliza método científico para sua realização, dependendo, apenas, da participação espontânea do
interessado.

* A elaboração deste artigo teve a participação de Ludmar Rodrigues Coelho – administrador de empresas e pós-graduado com MBA Executivo em gestão empresarial pela UFSC e MBA Executivo em Negócios Financeiros pela FGV-RJ.

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).