armazenagem

Indicadores de desempenho para o setor de movimentação e armazenagem

Indicadores de desempenho para o setor de movimentação e armazenagem

Depois de entender o que são os indicadores de desempenho, saber o que levar em consideração para escolher bons indicadores de desempenho e conhecer alguns exemplos de indicadores de desempenho para o setor de transportes, chegou a hora de conhecer alguns exemplos para o setor de movimentação e armazenagem.

Depois do setor de transportes, este é talvez o mais conhecido dentro da logística. Envolve a parte de movimentação interna e a guarda dos produtos dentro do armazém. Fazer o controle efetivo destas atividades é, portanto, essencial para qualquer empresa que mantenha estoques de seus produtos.

Como destacado nas matérias anteriores, cada empresa deve adaptar os indicadores para suas necessidades particulares e nem todo indicador é apropriado para todas as empresas. Portanto, considere os exemplos abaixo com cautela e leia as matérias relacionadas abaixo se você deseja implantar algum destes indicadores de desempenho logístico em sua empresa.

Simpósio Armazenamento e Transporte de Produtos Perigosos

Simpósio Armazenamento e Transporte de Produtos Perigosos

Ocorre no dia 24 de fevereiro de 2011 em Fortaleza – CE o 1º Simpósio Armazenamento e transporte de Produtos Perigosos – Atacado e Distribuição, que visa orientar o Atacadista e Distribuidor sobre as responsabilidades assumidas na comercialização, armazenagem, expedição e transporte de produtos classificados como perigosos.

O público alvo são profissionais de empresas Atacadistas e Distribuidoras ligadas às áreas de logística, Gestão dos Produtos Comercializados, Análise de Viabilidade, Meio Ambiente e Segurança,  Segurança de Processos, Gerenciamento de Produto, Contratação de Transportadoras e de Operadores Logísticos e demais interessados.

O conteúdo do simpósio inclui:

Curso de Movimentação e Armazenagem

Objetivo
– Promover requisitos da habilitação técnica para as decisões sobre movimentação e armazenagem de produtos para reduzir custos de transportes produção, coordenar oferta e demanda, auxiliar o processo de produção e operações e colaborar no processo de comercialização;
– Demonstrar os efeitos benéficos do planejamento do sistema de armazenagem, que implica direcionar recursos que serão muitas vezes imobilizadas em galpões e instalações dependendo das características físicas dos produtos e materiais que serão utilizadas na manufatura e depois os itens prontos que serão comercializados.

Programa

Como deve ser planejado o estoque para o Natal

estoques logistica natal Em uma grande rede de varejo, a preparação para as vendas do final de ano visando os presentes de Natal começa muito antes do mês de dezembro. Logo depois de agosto as redes fazem suas previsões de vendas globais, estratificam por mercado, marca e produto para poder planejar a fabricação ou compra dos mesmos.

Esta previsão leva em conta não apenas o market share e dados históricos, mas também dados econômicos, pois nos últimos anos o Brasil tem tido uma migração da população de classes mais pobres para as classes com maior poder de consumo, especialmente para a classe C.

Os dados históricos de vendas são úteis para quantificar o aumento dos negócios em períodos sazonais como é o Natal (igualmente em datas comemorativas como carnaval, dia das mães, dia das crianças, dia dos pais, dia dos namorados, páscoa, etc).

O S&OP (Sales & Operations Planning) é o departamento responsável por unir todos estes dados com a área de vendas e produção para determinar um número em torno do qual toda a empresa deve trabalhar, para não haver distorções.

O que faz um coordenador corporativo de logística?

coordenador / coordenação de logísticaResponsável por boa parte da logística de uma grande organização, o coordenador corporativo de logística tem grandes responsabilidades em suas mãos (e nas mãos de sua equipe). Para entender melhor esta função, entrevistamos hoje Cleiton Lourenço, que atua na Seara Alimentos, uma empresa do grupo Marfrig.

Dentre outras informações, Cleiton destaca a importância da qualificação profissional através da educação, valoriza o mestrado como forma de aliar conhecimento prático com geração de conhecimento acadêmico e mostra que a logística não pode restringer-se apenas ao seu próprio departamento, mas precisa enxergar a empresa como um todo.

Como conselho àqueles que querem ingressar na área, Cleiton afirma: “buscar aprimoramento constante e isso inclui cursos extras, línguas, ter  liderança, determinação, enfim tudo que possa contribuir para o seu crescimento profissional”. Esta é a agitada vida do profissional de logística. Confira a entrevista na íntegra abaixo:

Acidentes com empilhadeiras

Estes vídeos tem um lado cômico e um lado trágico.

Mostram como é importante manter o treinamento e a atenção dos operadores de empilhadeiras. Mostram também como é importante ter o dimensionamento adequado das áreas de movimentação e armazenagem, pois não se pode correr riscos que acarretarão perdas de muitos milhares de reais. Veja estes dois exemplos abaixo e deixe sua opinião.

E o segundo vídeo logo abaixo:

Sistemas de transporte contínuos

Vi este vídeo no excelente blog Armazena e Movimenta e compartilho aqui também no Logística Descomplicada. Para maiores informações sobre os sistemas de transporte contínuos…

A logística do agronegócio

Os números não mentem: segundo dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), o ideal é que a capacidade total de estocagem seja 20% superior à safra. Entretanto, hoje, o Brasil consegue armazenar algo em torno de 133 milhões de toneladas de grãos, frente a uma produção que – neste ano – deve atingir um índice recorde de 144 milhões de toneladas, conforme estimativas do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Outro agravante, conforme os números da Conab, é a má distribuição geográfica dos silos existentes. De acordo com o levantamento da companhia, menos de 20% da capacidade de armazenagem do País está instalada dentro das propriedades rurais. Sendo assim, não apenas faltam silos, como os que existem não conseguem atender a demanda por, em sua maioria, estarem fora dos locais de produção.

Além disso, de acordo com o Ministro da Agricultura Reinhold Stephanes, em países desenvolvidos, mais de 50% dos armazéns são particulares, enquanto no Brasil esse volume atinge apenas 15%.

Curso – Formação básica para compradores

Confira novos cursos da área de logística, que começam em fevereiro de 2010.

Estes cursos são opferecidos pela Elimar Consultoria e incluem almoço, coffee breack, material didático, certificado e um livro. Todos são realizados em São Paulo e podem ser realizados in-company. Maiores informações no site da empresa.

Formação Básica para Compradores

Transmitir aos participantes os principais conhecimentos da função Compras, considerando os aspectos pessoais do Profissional de Compras, bem como as relações com os Clientes Internos, com a Diretoria e com Fornecedores e aspectos administrativos e funcionais do Departamento.

PROGRAMA

Pages