Categorias
Carreira Gestão

Planejamento representa seriedade e profissionalismo

Podemos entender como empreendedor o indivíduo que inicia algo novo, que vê oportunidades que outros não veem, aquele que realiza antes, que sai da área do sonho, do desejo e parte para a ação.

O plano de negócio é uma valiosa ferramenta de planejamento, o mapa do percurso, que deve ser consultado constantemente. Mas, o que é um plano de negócio?

planejamentoO plano de negócio é um documento que descreve, por escrito, quais os objetivos de um negócio e quais passos devem ser dados para que esses objetivos sejam alcançados, diminuindo os riscos e as incertezas. Permite identificar e restringir os erros no papel, ao invés de se cometer no mercado, onde poderiam custar muito caro ou até inviabilizar o empreendimento.

Após decidir abrir uma empresa, o primeiro passo é planejar e organizar as ações, colocando no papel tudo que envolve o novo negócio.

Além de ter uma boa ideia, é preciso estudar o mercado, conhecer a concorrência, os clientes em potencial e os fornecedores. Também é importante avaliar o local aonde vai se estabelecer, com quem vai contar e quanto investir em marketing.

É recomendável ter experiência anterior no ramo, conhecer ou contar com a assessoria de quem tem conhecimentos sobre a legislação referente ao negócio, principalmente nas áreas trabalhista, fiscal, tributária e sanitária.

Mesmo a aquisição de uma franquia poderá acabar em fracasso se não for realizado um planejamento, um estudo da concorrência e do mercado. Buscar saber se o negócio atende as necessidades e desejos dos clientes é fundamental, para não correr o risco de fechar as portas nos primeiros meses de vida por insuficiência de clientes.

Aberto o negócio, é preciso estar atento para as mudanças e tendências do mercado. Bem como à legislação, à tecnologia e aos fornecedores. Além das estratégias dos concorrentes, de marketing e merchandising.

No setor de serviços, a área que mais oferece oportunidades para novos negócios, o grande desafio é a qualificação da mão-de-obra. O empreendedor que deseja abrir algo nessa área deve se preocupar com a qualidade dos serviços.

É importante as empresas entenderem muito bem as suas necessidades para atrair as pessoas com o perfil adequado. A chance de o empreendedor reter o profissional é maior se fizer a contratação certa. Para atrair talentos, as micro e pequenas empresas têm necessidade de competir com as grandes – que podem oferecer um conjunto de compensações e benefícios muito maior.

As principais armas para atração de talentos que as pequenas empresas e os empreendedores iniciantes contam são:

– Vender a causa da empresa;

– A oportunidade de ascensão na carreira profissional mais rapidamente;

– Relações mais personalizadas. Os funcionários têm acesso aos proprietários ou tomadores das decisões.

Algumas dicas para se manter uma boa relação com os colaboradores são:

– Permitir que os funcionários sintam que o seu trabalho é importante no dia a dia da empresa;

– Criar vínculos de confiança;

– Estar aberto para ouvir e dialogar;

– Reconhecer o bom desempenho;

– Promover atividades de integração; ­­

– Criar um ambiente de crescimento conjunto;

– Possibilitar carreira interna;

– Implementar a comunicação.

Na busca por racionalização, não importa as desculpas que se dê para o fracasso, quase todas elas têm como mãe a falta de conhecimento. O mundo dos negócios está cada vez mais complexo e as margens de lucro estão cada vez mais estreitas. É por isso que a preparação e a busca de informações são tão importantes para que as iniciativas dos empreendedores não se tornem um pesadelo.

O ato de planejar representa seriedade e profissionalismo. O plano de negócio pode ser o grande diferencial para um negócio dar certo.

Categorias
Carreira Geral

Estratégias de negociação

As negociações entre empresas visam obter recursos e vantagens que permitam a empresa manter-se competitiva no mercado em que atua.

Antes de ter a chance de negociar seus produtos, serviços ou ideias, o vendedor está sendo observado, e neste processo é muito importante os cuidados tomados para vender a si mesmo. Normalmente, a primeira impressão é a que fica, sendo muito difícil de ser mudada depois.

negociacaoPelo que somos avaliados? Ou, o que diz quem nós somos? A primeira leitura é realizada através da aparência em geral e acessórios utilizados. Tudo conta! Por isto, todo cuidado é pouco. Procure usar roupas e principalmente sapatos de boa qualidade. Também mantenha um bom corte de cabelo, pois as duas extremidades, a cabeça e os pés, são muito observadas. Também porte canetas, pasta, calculadora, relógio, folhetos, etc., de boa qualidade, pois eles dizem muito sobre quem e como somos, antes de abrirmos a boca para falar.

Além da impressão inicial, quais as maiores dificuldades dos negociadores? Entre as principais dificuldades podemos destacar:

– Não gostar de conflitos;

– Não ter informações suficientes;

– A má administração do tempo;

– Desconhecimento das técnicas;

– Falta de treinamento;

– E, principalmente, a falta de autonomia.

De posse dessas informações, os vendedores poderão fazer uma autoanálise para tornarem-se mais eficientes e eficazes nas negociações.

Uma boa dica para as empresas que atuam em serviços se saírem bem nas negociações é providenciarem meios para tornar os serviços tangíveis. Isto pode ser feito colhendo testemunho de clientes que atestem os resultados, marcando visitas a clientes que já utilizam os serviços e estão satisfeitos, ou criando vídeos com a apresentação de serviços sendo utilizados.

Outro importante cuidado que se deve ter para não colocar tudo a perder numa negociação é tomar algumas precauções na hora de fazer concessões:

– Evitar ser o primeiro a fazer concessões;

– Adiar a concessão o quanto mais possível;

– Não se sentir obrigado a retribuir “taco-a-taco” as concessões;

– Conceder vagarosamente;

– Reduzir o tamanho das concessões;

– E, aumentar o tempo entre cada uma delas.

Por fim, ao receber uma objeção ou crítica, por mais contundente que possa ser, manter a calma, controlando as emoções. Em uma discussão, o primeiro a ficar nervoso fica em desvantagem. Alguns compradores são orientados para pressionar o vendedor até abalar o seu emocional, a partir daí acham ser mais fácil manipulá-lo. Portanto, seja cauteloso, em negociações cautela e caldo de galinha não fazem mal para ninguém.

Categorias
Gestão Logística

O marketing da moda

Marketing é definido como um processo ou conjunto de ações que identifica necessidades e as transforma em produtos ou serviços. Descobre onde estão os clientes, analisa a melhor maneira de alcançá-los e satisfaz suas expectativas de forma lucrativa para a empresa. Pelo exposto, percebemos que marketing abrange um conjunto amplo de ações que não se resume somente à propaganda, como acreditam a maioria das pessoas.

Para compreender melhor o que é marketing se faz necessário esclarecer o que significa necessidade, desejo, benefício e satisfação.

Necessidade – É uma falta ou carência que os consumidores têm. Pode ser física ou psicológica.

Desejo – É a forma como uma necessidade é atendida.

Benefício – É tudo de positivo que um produto ou serviço gera de valor para o cliente.

Satisfação – Depende do desempenho percebido em relação ao esperado.

O composto de marketing é formado por quatro palavras chaves que começam com a letra “p” (Produto, Preço, Ponto e Promoção), de forma a facilitar a sua memorização.

Estes quatro elementos respondem às quatro questões básicas necessárias para a comercialização de produtos e serviços que são:

1. O que o cliente quer? (sua necessidade, produto/serviço)

2. Onde ele pode encontrá-lo? (Ponto de distribuição)

3. Como saberá que ele existe, para que ele serve e por que ele deveria comprá-lo? (Promoção)

4. Qual o seu preço? (Preço).

Já a moda lida com mudança, envolve novidade e inovação. É uma sucessão de tendências de pequena e curta duração. Tem ligação estreita com a criatividade e com o design e vem impregnada do significado e do ato de construir, formar, moldar e criar.

Moda é um fenômeno social de rápida difusão. É percebida como um movimento, um ciclo. Obedece uma obsolescência contínua e planejada. Tem um caráter imitativo, acrítico, efêmero e transitório. O que era admirado, imitado, promovido, distribuído, um dia torna-se ultrapassado.

Marketing da moda é a aplicação de uma série de técnicas que visam tornar mais transparente, para a empresa, as necessidades e desejos dos consumidores, de tal forma que a empresa possa responder com produtos e serviços de moda que os atenda plenamente ou que até mesmo os surpreenda.

O marketing da moda é responsável por assegurar, para a empresa e para os seus clientes, a obtenção do melhor proveito a alcançar por meio de planejamento, controle e gestão de um design criativo e vencedor.

Uma empresa voltada às vendas vende aquilo que pode fazer. Por sua vez, uma empresa voltada para o marketing pesquisa as necessidades e desejos do mercado e faz aquilo que pode vender.

Quando uma empresa de moda não leva a sério o conceito de marketing pode fracassar nos seus lançamentos e até ir à falência.

Categorias
Gestão Logística

Estratégias de marketing e vendas

Se a sua empresa está fazendo um bom produto ou prestando um excelente serviço e acha que não está vendendo como deveria, sabe o que está faltando para vender mais e melhor? Faltam estratégias eficazes de marketing e vendas, pois vender é mais uma questão de estratégias do que de técnicas.

Segmentação

Seus vendedores estão visitando as pessoas certas? Que segmento de clientes sua empresa se sente forte para servir? Acredite, a maioria dos vendedores não sabe separar o joio do trigo. Quem tem necessidade de nossos produtos? Qual é o perfil ideal de nossos clientes? Vender se torna muito difícil, senão impossível, quando tentamos vender o que não tem nada a ver com o negócio de nossos clientes ou quando eles não têm condições de compra. A primeira função de um Gerente de Vendas e dos Vendedores é, antes de sair na rua para vender, responder a pergunta: Quem compra os nossos produtos?

Base de dados

Quanto vale ter informações? Você dá importância à base de dados da sua empresa? Quais as informações que você tem dos seus clientes? Será que você tem todas as informações que você precisa sobre eles? Que tipo de informações você precisa ter? Se preciso, crie um cargo de assessor de base de dados e depois me informe se você não ganhou muito dinheiro criando esta nova função! Tem muita gente jovem torcendo pela oportunidade do primeiro emprego. Por que não contratar um estagiário? Poucos dirigentes fazem ideia do poder que é uma base de dados bem feita. Uma força em vendas quase sempre está alicerçada numa poderosa base de dados.

Relacionamento

Você visita os clientes todos os meses? Como está o seu relacionamento com eles? Faça algo pelos funcionários dos seus clientes e com certeza eles não vão te esquecer. Você tem que ter uma campanha agressiva para os funcionários. Para um dirigente, agradar os seus funcionários é o mesmo que agradar os seus filhos. Se possível, vá mais além, faça também algo pelos clientes dos seus clientes. Se você aumentar a demanda, toda a cadeia será beneficiada.

Internet

Muitos casamentos estão sendo feitos graças à internet. Quem disse que não dá para vender seus produtos via internet? Crie uma página em torno da sua empresa ou do seu nome. Alimente sua rede com dicas, assessorias e informações. As vendas que outrora se limitavam às visitas pessoais têm hoje no telefone e na internet dois poderosos aliados que vieram formar um tripé essencial. Leva mais vantagem quem, ao invés de combater as novas tecnologias, capta as suas vantagens e as usa em seu benefício. A internet traz as vantagens de agilidade e interatividade com baixos custos.

Indicações

Indicações facilitam o processo de venda. Você pede indicações para os clientes satisfeitos? Uma indicação não tem preço. O índice de fechamento de vendas nas indicações chega a 50%. Se você é um gerente, poderá multiplicar as vendas rapidamente, se tão somente, exigir de seus vendedores a entrega de pelo menos uma indicação junto com cada pedido ou contrato. Ninguém é bem sucedido sozinho. Temos que contar com informantes, pessoas que falem bem de nós e que nos indiquem bons clientes.

Testemunhos

Tenha sempre na sua pasta testemunhos de clientes satisfeitos. Não deixe seus vendedores saírem sem eles. Eles funcionam tão bem que as igrejas usam há séculos. Se o testemunho é verdadeiro, qual é o problema em utilizar? Organize uma biblioteca de testemunhos por segmento. Sempre que um cliente falar bem dos seus produtos ou serviços, filme ou peça para eles escreverem e assinarem.

Parcerias estratégicas

Em sua visão, terceirizar é uma oportunidade ou uma ameaça? Você poderia ter outras pessoas ou empresas vendendo para você? Será que você não poderia fazer uma aliança estratégica? Podemos fazer isso para vender os nossos produtos ou serviços? Quais os riscos? Quais os benefícios? Formar alianças é uma moderna forma de se diferenciar e se tornar mais competitivo.

Propaganda

Agência de publicidade não é só para empresas grandes. Também é para as pequenas e médias que querem se tornar grandes. Como você muito bem sabe, “quem não é visto não é lembrado”. Faça uso de mídias variadas: jornais, rádio, revistas, assessoria de imprensa, outdoor, etc., desde que elas atinjam o seu público-alvo. Se possível, contrate uma agência de publicidade. Não seja um pato, querendo fazer de tudo um pouco, sem apresentar qualidade em nada.

Siga corretamente este conjunto de orientações mercadológicas. Se persistir a falta de crescimento em vendas, um consultor experiente deverá ser consultado, pois é o futuro do seu negócio que está em jogo.

Categorias
Leitura Recomendada

Estratégias de logística e marketing

Enquanto o marketing planeja o relacionamento com o cliente e a posição da marca no mercado, a logística operacionaliza esse relacionamento. As duas áreas estão intimamente ligadas e alguns chegam a dizer que a logística evoluiu do próprio marketing. Assim, para criar boas estratégias logísticas é preciso pensar no impacto que elas terão no relacionamento com o cliente, quanto valor será oferecido aos consumidores.

Para entender melhor e desvendar os mistérios desta relação, indico hoje o livro Estratégias de Marketing, um dos mais completos na integração marketing-logística, contando com vários estudos de caso para ilustrar a relação.

O livro oferece abordagem prática e direta da análise, do planejamento e da implementação de estratégias de marketing nas corporações. O núcleo do modelo de planejamento estratégico de mercado é a análise das forças e fraquezas internas à organização e das oportunidades e ameaças externas a ela (a análise SWOT).

livro estratégia de marketingO livro começa incluindo o marketing na nova economia, discutindo as principais atividades, decisões e desafios do marketing dos dias de hoje. Uma vez definido o planejamento estratégico e suas implicações éticas e sociais, partimos para a coleta e análise das informações de marketing, avaliando os ambientes interno, externo e do consumidor. Quando toda essa base está criada, é possível então partir para a criação de vantagem competitiva e com foco estratégico, onde entra a famosa análise pela matriz SWOT.

É a partir deste ponto que o livro torna-se especialmente interessante para a área da logística. Um capítulo é dedicado à estratégia do produto, com análise das possíveis formas de diferenciação e o estudo do ciclo de vida dos produtos. O capítulo seguinte é destinado ao estudo de formação de preços, uma área totalmente dependente das opções logísticas empregadas desde a fabricação até a entrega do produto ao cliente. A seguir, o livro destaca-se ainda mais por oferecer um capítulo inteiramente para discussões sobre a Gestão de Cadeia de Suprimentos.

Complementam o livro exercícios e questões para discussão ao final de cada capítulo, bem como 14 estudos de caso para ilustrar todos os aspectos abordados nas mais de 500 páginas. Todos os casos ilustram como tirar proveito das forças da organização e como obter vantagem competitiva de maneira eficiente, considerando o planejamento e as estratégias de marketing.

O livro pode ser encontrado na Livraria Saraiva.

Categorias
Leitura Recomendada

Estratégia competitiva

No momento em que tratamos sobre indicadores de desempenho e sobre como escolher os melhores indicadores de desempenho para cada empresa, voltamos a destacar a importância da estratégia adotada pela empresa.

Assim como os indicadores devem ser escolhidos individualmente, olhando com cautela para cada caso, as estratégias também são únicas. Cada empresa deve escolher a sua, com muito cuidado depois de analisar suas habilidades, suas fraquezas, o mercado consumidor e os concorrentes. Só depois de analisar com critério esses elementos poderá decidir como vai competir. Essa será a estratégia competitiva da organização.

No entanto, definir a melhor estratégia competitiva não é uma tarefa tão simples quanto parece. Os conceitos básicos de administração estratégica que as empresas devem adotar a fim de enfrentar o desafio diário de competir com outras companhias no ambiente acelerado e global em que vivemos atualmente são bastante intrincados e complexos. Por isso, recomendo hoje a leitura do livro Estratégia Competitiva, onde são examinados, além de tópicos tradicionais da administração estratégica, outros assuntos importantes a fim de auxiliar no preparo do leitor para uma carreira gerencial bem-sucedida

Categorias
Comércio Exterior - COMEX Logística Transportes

A logística aduaneira como ferramenta estratégica – o transporte internacional

Este artigo faz parte de uma série de matérias abordando o processo de importação e como a logística pode e deve ajudar para fazer este processo ser mais simples, eficiente e lucrativo. A primeira matéria tratou da introdução deste processo de importação. Neste artigo você encontrará informações sobre o transporte internacional; a terceira e última parte mostrará como é feito o pagamento ao exterior e como é liberada a carga no Brasil.

logística aduaneira e transporte internacionalDe Aalessund (Noruega) até o porto de Santos, a carga pode viajar por até 3 semanas. Para maximizar o custo/benefício da operação é preciso utilizar um contêiner adequado ao tamanho e tipo de mercadoria. Em muitos casos um contêiner simples é suficiente, mas para produtos que sofrem corrosão no ambiente salino do mar é preciso utilizar contêineres especiais, assim como para produtos congelados/resfriados é preciso um contêiner com refrigeração.

Transportar bacalhau exige um equipamento refrigerado de 20’ para que a qualidade e o sabor da mercadoria não sejam comprometidos.  É possível carregar 1.000 caixas de 25 Kg cada, totalizando 25 toneladas de carga, ajustado na temperatura ideal, entre 2 e 4 graus centígrados.

Assim, nas condições ideais e com um produto de primeira linha, um único contêiner pode carregar até 300 mil dólares de um dos melhores peixes do mundo.

Desde o carregamento, passando pelo transporte interno até a chegada ao porto e o seu carregamento para o navio, o contêiner precisa estar ligado na energia para não haver oscilação de temperatura.

Isto requer caminhões capacitados para fazer esses percursos e é mais uma etapa em que um detalhe logístico pode afetar a qualidade e a integridade de todo um processo de classe mundial.

Categorias
Leitura Recomendada

Administração de vendas – do vendedor à estratégia empresarial

livro administração de vendasUma parte fundamental do processo logística são as operações de compras e vendas. Para que os produtos possam circular dos fornecedores rumos aos consumidores, é preciso que se compre matérias primas, bens de consumo, equipamentos e os próprios produtos.

Assim, não é de se estranhar que existam tantos estudos na área de vendas, na busca por fechar a melhor compra, ganhando alguns centavos e aumentando a competitividade. Já vi negociações durarem horas por conta de um centavo, pois o produto seria transportado aos milhares da China para o Brasil. Assim, se em cada produto o comprador economizasse US$ 0,01 isto se converteria em US$ 1.000 num único lote de 100 mil peças. O esforço valia a pena, e o comprador sabia disso (essa única negociação pagaria o seu salário!). Obviamente, o negócio devia ser bom para ambas as partes, o vendedor precisa saber até onde pode negociar o preço e a hora de parar.

Categorias
Leitura Recomendada

Estratégias de suprimentos

livro estratégias de suprimentosEstabelecer uma boa estratégia de suprimentos pode ser o grande diferencial de uma empresa. Assim como a gestão da cadeia de suprimentos, a estratégia de suprimentos é um esforço coordenado entre diferentes empresas (elos) para garantir uma relação sadia, produtiva e principalmente lucrativa para os envolvidos.

Identificando parceiros para os negócios e explorando os benefícios desses relacionamentos é possível mudar o foco para a redução do custo total, ao invés da redução apenas no preço. Para se ter uma noção dos resultados que são possíveis de serem alcançados quando se utiliza com sabedoria estes conceitos de estratégias de suprimentos, basta dizer que a Walt Disney Company obteve economias anuais de US$ 300 milhões, a Bell South melhorou seu resultado em mais de US$ 1 bilhão e a IBM atingiu economias sustentáveis de 5% em todo o portfólio de compras.

Categorias
Desempenho Gestão Gestão da Cadeia de Suprimentos Logística Supply Chain Management Transportes

Logística de transportes e distribuição – caso do Wal-Mart

A maior rede varejista do planeta, o Wal-Mart, planeja mais um importante passo rumo a excelência de seus serviços logísticos. Na década de 80 o Wal-Mart foi o pioneiro na implantação do sistema VMI – onde os estoques nas lojas do Wal-Mart eram controlados pelo fornecedor dos produtos (conheça mais sobre VMI nesta matéria).

Desta vez, o Wal-Mart quer ser o responsável pelo transporte dos produtos de quase todos os fornecedores para as mais de 4.000 lojas nos Estados Unidos. A idéia é assumir este transporte quando o Wal-Mart for capaz de realizar o mesmo serviço com custos menores, pois a rede tem escala suficiente para fazer o transporte de qualquer produto melhor que a maioria dos fabricantes o faz atualmente: desde comida para cachorro até cadeiras de jardim. “Isso permitirá liberar nossos fornecedores para fazer o que fazem de melhor: fabricar produtos para nós”, destaca o Vice-Presidente de Transporte Corporativo da rede. E com preços menores, as vendas tendem a aumentar.

Como fazer um sistema desse tamanho dar certo?