garrafa

A história da água engarrafada – uma visão logística

Em tempos em que a logística reversa é tão falada, um dos itens mais consumidos, desperdiçados e reciclados são as garrafas plásticas. Você já parou pra pensar na quantidade de garrafinhas que consome por semana?

Sem entrar nas questões financeira, política (lobbies e pressões governamentais e empresariais) ou de saúde (qualidade da água encanada versus da água engarrafada), gostaria de ver a questão” logística da coisa”.

O vídeo tem um viés muito forte e é preciso acompanhá-lo com uma visão bem crítica para não se deixar levar por argumentos fracos, mas a questão logística mostrada como pano de fundo é muito interessante.

Cerveja de plástico: se as bebidas viessem em garrafa PET, o preço seria menor

Veja também um vídeo sobre o processo de fabricação da cerveja

Por: InfoMoney*

garrafas pet e a relação com a cervejaSe as cervejas fossem envasadas em garrafas do tipo PET, o preço dessas bebidas seria muito menor para o consumidor, é o que afirma o presidente da Afrebras (Associação dos Fabricantes de Bebidas do Brasil), Fernando Rodrigues de Bairros.

“O processo interno dela [garrafa PET] é mais barato que o do vidro”, explica. O processo realmente é mais simples, já que o próprio fabricante tem a chance de desenvolver a embalagem tendo uma fôrma e um soprador de ar quente, o que reduziria o custo de produção.

Marcelo Cerqueira, presidente da Abradeg (Associação Brasileira de Degustadores de Cerveja), reitera que “as microcervejarias sofrem impactos com o efeito da escala produtiva, pois possuem, por exemplo, um maior custeio da operação e logística de distribuição, o que afeta o preço”.