Gestão

Gerenciando a capacidade em UTIs

Gerenciando a capacidade em UTIs

Gerenciar o “fluxo de pacientes” é um dos aspectos mais desafiadores de qualquer unidade tratamento de saúde. Seja um hospital ou uma clínica, existe uma capacidade limitada de recursos mas aparentemente uma demanda interminável de pacientes, dos quais pelo menos uma parcela precisa de tratamento imediamente. Gerenciar a capacidade é então é uma tarefa crítica. Fazer este acompanhamento criterioso é ainda mais importante quando estamos falando das Unidades de Terapia Intensiva (UTI). As UTIs são feitas para tratar os pacientes mais doentes e é lá que qualquer hospital gasta muito dinheiro, muito rápido.

Um hospital que realiza a tarefa de gerenciar sua UTI muito bem é o Montefiore Medical Center, em Nova Iorque. O Wall Street Journal traçou o perfil muito interessante do que eles fazem (Critical (Re)thinking, 26/Mar/2011).

Gerenciar o fluxo de pacientes que entram e saem dos 78 leitos para tratamento médico e cirúrgico de adultos da UTI, e prever quem mais poderá precisar de um tratamento de alto nível de cuidados em qualquer dia requer um gerenciamento de precisão. Muitos hospitais não conseguem fazer isso eficientemente, mas o Montefiore faz – graças às inovações de Vladimir Kvetan, diretor de medicina de tratamento intensivo, ao longo da última década.

Gestão de projetos

Gestão de projetos

A gestão de projetos envolve a aplicação de conhecimentos técnicos para alcançar um conjunto de objetivos pré-definidos no prazo certo, com um custo certo e na qualidade desejada, através da mobilização de recursos técnicos e humanos. Mesmo que não utilize as técnicas mais adequadas, todas as empresas tentam fazer isto para alcançar seus objetivos.

O ambiente empresarial está cada vez mais  orientado a projetos, pois cada atividade passa a ter um responsável que tem um prazo e orçamento estipulados, recebe um conjunto de recursos (equipamentos, instalações) e pessoas no seu time para realizar a tarefa. Assim, ter conhecimentos técnicos sobre gestão de projetos passa a fazer a diferença entre o sucesso e o fracasso da gestão das operações do dia-a-dia empresarial.

O livro Gestão de Projetos oferece ao leitor diversas dicas para organizar e gerenciar equipes de projeto de forma eficaz com ferramentas de gestão extremamente úteis. O foco na comunicação ensina a documentar e comunicar com clareza os progressos do projeto tanto dentro como fora de sua equipe. A cobertura aprofundada das etapas de planejamento, determinação de cronograma e estimativas de custos vai prepará-lo para lidar com todos os aspectos da gestão de projetos com segurança.

Logística Humanitária

Logística Humanitária

Como aplicar nossos conhecimentos sobre logística empresarial para reduzir o impacto de desastres naturais

Em épocas de desastres ambientais como as chuvas e desmoronamentos que vivenciamos no Rio de Janeiro no início deste ano – ou em catástrofes como os terremotos do Chile e do Haiti no ano passado – percebemos que ajudas humanitárias são requisitadas em (e recebidas de) todas as partes do mundo.

Neste momento notamos que os conhecimentos que temos em logística empresarial e gestão da cadeia de suprimentos são válidos e podem ajudar a aliviar as dificuldades daqueles que estão nos locais afetados.

Semelhanças entre a logística empresarial e a logística humanitária

Antes de destacar as semelhanças entre os dois sistemas, vejamos de maneira simplificada o que a logística faz por uma empresa tradicional.

Começando pelos consumidores, a empresa percebe qual a demanda esperada para os próximos períodos baseada em informações provenientes do mercado consumidor. Esta demanda serve então de motor que impulsiona a produção de produtos, o agendamento da mão-de-obra e a compra de matérias-primas. Para atingir estas etapas é preciso fazer contato com fornecedores, avaliar os estoques e o fluxo financeiro além de coordenar o transporte das partes individuais entre cada elo.

Sob o ponto de vista da logística humanitária, podemos fazer analogias em todas as fases deste processo:

O que é e como calcular o estoque de segurança – com planilha para download

cálculo do estoque de segurançaPara muitos negócios, manter estoques dos produtos é fundamental. Você já imaginou um supermercado sem estoques? Eles precisam manter em estoques todos os produtos que os clientes possam desejar. Fora do varejo os estoques também têm um papel central: nas indústrias, é preciso ter estoques de matérias-prima para que a produção não seja interrompida.

No entanto, a busca por menores custos sempre empurra os estoques para baixo: queremos ter o mínimo possível de estoques, pois eles representam capital parado, em outras palavras, representam custos.

Para achar o equilíbrio perfeito, duas coisas são fundamentais: uma boa previsão da demanda e o cálculo apropriado para os tamanhos dos estoques, dentre eles, o estoque de segurança.

Um apagão de táxis às 4 da tarde?

Na semana passada os leitores votaram no site (no final da matéria sobre como tirar um passageiro de um avião) e escolheram ler sobre táxis nesta semana. Vote no final desta matéria sobre seu assunto preferido para a semana que vem!

apagão de taxisAparentemente é difícil encontrar um táxi entre 4 e 5 da tarde em Manhattan, Nova Iorque. Por quê? Porque este é o horário em que muitos táxis (os carros) trocam de motoristas. Por esta razão, este é um problema fascinante de gerenciamento de capacidade.

A primeira surpresa é que um número enorme de táxis são usados 24 horas por dia em dois turnos de 12 horas. Realmente, Nova Iorque nunca dorme.

Então, temos dois turnos de 12 horas e obviamente um motorista só pode fazer um desses turnos – é preciso escolher uma hora e local para trocar de motorista. O local é muito provavelmente uma garagem no bairo Queens (costumava ser em Manhattan, mas o aluguel ficou muito caro então se mudaram para o Queens). O horário, você já pode imaginar, seria durante um período de pouca demanda. Ou ainda poderia ser dividido de maneira que os ganhos dos dois motoristas fosse equilibrado (e levando em consideração que dirigir de dia é melhor do que dirigir a noite). Leve estas duas coisas em consideração e aparentemente às 4 da tarde é um bom momento para trocar os motoristas. Um deles pega o rush da manhã, o outro o rush da tarde.

O resultado, segundo o New York Times (NYT, 11/jan/11) é um amontoado de táxis vazios às 4 da tarde.

Gerenciando negócios internacionais

livro gestão de negócios internacionaisNa gestão de negócios internacionais, apenas os conhecimentos técnicos em logística, transportes e comércio exterior não são suficientes para garantir o sucesso da operação. Questões de ordem econômico-financeira, jurídicas, marketing, comunicação e até mesmo diferenças entre as culturas dos países podem influenciar e definir (positiva ou negativamente) no desenrolar do negócio.

Pensando nisso, e complementando o sorteio do livro sobre Logística Internacional que ocorrerá no dia 11/fevereiro (inscreva-se, ainda é tempo!) hoje a indicação de leitura é para o livro Introdução à Gestão de Negócios Internacionais.

O livro foi escrito com base na experiência de diversos professores em programas de graduação e pós-graduação e visa ser um instrumento introdutório para esta ampla área do conhecimento, abordando temas que normalmente não são estudados em conjunto, mas que podem ser o diferencial do sucesso do negócio.

A logística e os fundamentos da administração

livro fundamentos de administraçãoUm bom profissional de logística precisa conhecer muito além da própria logística. Mesmo que ele conheça as bases do transporte, da estocagem, da movimentação, da integração e tecnologia da informação – algumas das áreas da logística – ele não será um profissional completo se não conseguir colocar isto tudo em perspectiva com o resto da organização e do mercado.

Um bom profissional, aquele que pode chegar a ser um gestor, precisa conhecer também os fundamentos da administração. Não só os profissionais de logística, mas todo profissional de uma área mais técnica e específica precisa conhecer o que vai além das fronteiras do seu departamento.

Para ajudar os leitores do Logística Descomplicada a ter esta visão,

Sistemas de Transporte no Brasil e Logística Internacional

sistemas de transporte e logística internacionalNão é segredo que a matriz de transportes do Brasil não favorece meios econômicos e seguros de transportes, especialmente para as cargas enviadas a longas distâncias. Ainda usamos majoritariamente o modal rodoviário quando poderíamos ser mais econômicos utilizando as ferrovias ou hidrovias.

Para tentar mudar esta realidade é preciso conhecer em detalhes cada um dos modais, seus equipamente principais e como fazer a gestão das frotas. Somente a partir deste conhecimento poderemos utilizar plenamento a multimodalidade e aproveitar o que cada modo de transporte tem de melhor a nos oferecer.

Pages