lixo

Logística reversa para o lixo eletrônico

Logística reversa para o lixo eletrônico

Com o avanço contínuo da tecnologia, nos vemos forçados a trocar nossos computadores e outros equipamentos num ritmo alucinante. Se você tem mais de 20 anos, provavelmente lembra dos walk man, aqueles aparelhos portáteis que tocavam fitas K7. Logo depois eles foram substituídos pelos disc man, que tocavam os CDs. Foi um salto na tecnologia e qualidade do som. Em seguida vieram os disc man que tocavam também CDs com músicas digitais (MP3). Em seguida foi a vez dos MP3 players, do tamanho de uma pilha. Hoje os celulares integram essa função (sem falar dos iPods e similares).

Com computadores a situação é a mesma, e certamente você consegue identificar outros aparelhos com vida útil tão curta: telefones celulares, vídeos-cassete, DVDs, blu-rays, etc.

Com tamanha quantidade de equipamentos sendo substituídos, uma dúvida deve surgir: o que fazer com tanto lixo eletrônico? Existe não somente plástico reciclável, mas também materiais metálicos e até ouro em alguns dos contatos desses equipamentos. A logística reversa atua, neste caso, como uma solução para dois problemas muito importantes: o problema ambiental, e o problema financeiro.

Não adianta negar, as empresas investem em logística reversa e cuidados com meio ambiente também por interesses econômicos. É possível economizar algum dinheiro em matérias-primas, ao mesmo tempo em que se satisfaçam as leis e se consegue uma boa imagem por isso, com a vantagem obtida através do marketing dessas ações.

Pensando nisso é que foi escrito o livro Logística Reversa como solução para o problema do lixo eletrônico – benefícios ambientais e financeiros.

Quanto tempo leva a construção de um prédio de 15 andares?

Um hotel na China, com 15 andares, foi construído em 2 dias. E está documentado em vídeo, que você encontrará abaixo.

Este hotel construído em tempo recorde parece ser frágil e muito simples, mas as especificações dele mostram o contrário: em testes estruturais foi mostrado que eles resiste a fortes terremotos (nível 9, de acordo com o vídeo – não está claro se é na escala Richter). Foi construído com materiais leves, e usou 6x menos material que uma construção tradicional. Esta construção tem 250kg/m² enquanto um prédio tradicional tem 1500kg/m². As paredes tem isolamento térmico e acústico e as janelas tem 3 camadas, a iluminação é feita por LEDs e ar é reaproveitado e tratado, sendo 20x mais limpo dentro do prédio do que fora!

Um dos grandes problemas das construções tradicionais, a quantidade de lixo gerada, neste caso é muito menor: apenas 1% do peso do prédio foi gerado em lixo, basicamente nas embalagens de produtos abertos no local.

Mas o mais impressionante de tudo pode ser visto no vídeo abaixo, a construção em tempo recorde, com muitos guindastes trabalhando ao mesmo tempo, dia e noite. Confira: