produção

Vacinas: produzindo mais, começando antes

produção de vacinasA temporada anual de gripe oferece algumas lições interessantes e várias observações para quem tem os olhos da gestão de operações. Dois grandes laboratórios se uniram para reduzir o lead time de produção das vacinas para a gripe, fato que ocorre todo ano no inverno do Hemisfério Norte. O Wall Street Journal (WSJ 8/out/2010) publicou que a Novartis se uniu ao Synthetic Genomics com o intuito de reduzir o tempo dedicado à pesquisa e produção das vacinas da gripe sazonal.

O processo tradicional leva em torno de 6 meses desde o momento em que a Organização Mundial de Saúde identifica o vírus mais ativo para o próximo inverno e o momento em que a vacina está disponível no mercado. Analistas afirmaram que a união das duas empresas pode reduzir drasticamente este tempo.

A ideia por trás da nova tecnologia é fazer um tipo de pré-processamento.

Como é feita a cerveja

Complementando a matéria que tratou da fabricação da cerveja e de como ela poderia ser mais barata e ter sua fabricação facilitada se utilizasse garrafas PET para o envasamento, veja este vídeo sobre o processo produtivo da cerveja.

O material está em inglês, então apronte seus ouvidos. Caso não fale inglês, procure entender os desafios de cada etapa, mostradas com bastante detalhes.

Gestão da produção e operações

Em mais um livro destinado ao gerenciamento da producão e operações, recomendo hoje a leitura de Gestão da produção e operações. Este livro combina teoria…

Entendendo o que são cadeias produtivas

cadeia produtiva em logísticaFalamos sempre em cadeia de suprimentos, cadeia de valor, cadeias produtivas, mas poucas vezes nos damos o trabalho de parar e pensar o que estas diferentes cadeias significam na prática. Hoje vamos desmistificar as cadeias produtivas, como elas se relacionam e o que elas têm a ver conosco, consumidores dos produtos finais.

Vamos imaginar um produto que todos vocês que estão lendo este texto estão usando: um computador. Ele é um exemplo típico de interligação de diferentes cadeias, países e segmentos. Provavelmente a tecnologia e os chips que seu computador possui foram desenvolvidos por anos de pesquisa no Vale do Silício, EUA; mas seu chip não foi produzido lá, essa produção foi terceirizada pra alguma fábrica na China. Muitas outras peças foram também produzidas em outras partes da China ou na Índia, Taiwan ou outro produtor asiático.

Livro: Administração da Produção e Operações

livro administracao da producao e operacoesA indicação de leitura de hoje é um livro muito completo para quem quer aprender mais sobre a administração da produção. Quem leu a Série Administrando a Produção que foi ao ar aqui no logística Descomplicada percebeu que a tarefa de integrar diferentes métodos e ferramentas pode ser uma tarefa dura na prática.

O livro Administração da Produção e Operações (Submarino ou Saraiva)consegue abordar diversos assuntos de maneira clara, conexa e pedagógica. Abordando desde o processo de tomada de decisões, passando pelas definições do sistema de produção e pela operação e controle do mesmo, este livro trata de previsão de demanda, controle de qualidade, pesquisa operacional, controle de estoques, processos enxutos (lean), dentre outros.Esta nova edição ressalta os aspectos mais essenciais da administração da produção e operações e contempla temas hoje indispensáveis, apresentados em três novos capítulos em relação à primeira edição: Gestão da cadeia de suprimentos, Filosofia de Controle Just in Time  e Gerência da Qualidade Total. Além disso traz exercícios resolvidos e questões para discussão.

Série: Administrando a Produção 1 – VMI e TOC

Em recentes matérias aqui no logística Descomplicada vimos que diferentes sistemas produtivos e diferentes estratégias são utilizados pelas empresas, e que a identificação e a escolha adequada destes elementos define a vantagem competitiva da organização e pode resultar em grande sucesso (ou fracasso).

Hoje iniciamos a Série Administrando a Produção: serão três matérias que visam explicar um pouco mais sobre alguns sistemas ou tecnologias utilizadas para administrar a produção e agilizar o sistema logístico.

Começamos hoje explicando os sistemas VMI (Vender Managed Inventory) e TOC (Teoria das Restrições). Na quarta-feira o próximo artigo abordará os sistemas Just in Time e Kanban. O último artigo desta série vai ao ar na sexta-feira e trará explicações sobre a Pesquisa Operacional e a Teoria das Filas.

Aproveite! Veja agora o que são e pra que servem o Vendor Managed Inventory e a Teoria das Restrições.

Comparando os diferentes sistemas produtivos e suas estratégias

Matéria de autoria de Leandro Callegari Coelho publicada originalmente no portal INBRASC.

Muito se fala no ambiente competitivo, mas pouco se tem discutido sobre os caminhos que as empresas escolhem para se destacarem dos concorrentes no mercado. A competição obriga as empresas a reverem seus posicionamentos estratégicos, e com isso, revisar suas estratégias de manufatura.

A escolha da estratégia mais adequada poderá ser determinante para o futuro da organização: seja ele o sucesso ou o fracasso. Com a escolha do sistema mais adequado, espera-se obter melhor desempenho, notadamente melhorando os seguintes critérios diferenciadores: qualidade, preço, time to market (tempo decorrido entre a concepção de um produto e a sua posterior disponibilização para o consumidor) e agilidade.

A escolha da melhor estratégia de produção pode levar a uma das quatro alternativas seguintes: (1) fábricas especializadas em uma única função (um produto ou um pequeno grupo de produtos similares), (2) produção enxuta (lean manufacturing), (3) customização em massa, ou (4) produção ágil.

Vamos avaliar cada uma destas estratégias, comparando-as com os processos de produção em massa, nos quesitos de objetivo, como o modelo atinge o objetivo proposto e suas principais características.

PCP – teoria e prática

A sugestão de leitura de hoje é da área do planejamento, programação e controle da produção: este livro de autoria de Dálvio Tubino, em sua…
Pages