riscos

Terremotos, vulcões e outros riscos para as cadeias de suprimentos

Terremotos, vulcões e outros riscos para as cadeias de suprimentos

Você lembra do vulcão da Islândia que em abril de 2010 lançou cinzas na atmosfera e fechou o espaço aéreo europeu, causando atrasos e prejuízos para milhares de pessoas? Se você quer lembrar desta história, veja nossa matéria daquela semana Vulcão, caos aéreo na Europa e a logística. Não foram apenas pessoas em férias que tiveram sua rotina afetada. Como você pode imaginar, muitas empresas sofreram com os atrasos e algumas pararam sua produção por falta de matéria-prima.

No terremoto que abalou o Japão na última sexta-feira (11/mar/2011), a situação não foi diferente. Além das vidas perdidas, houve muitos danos materiais além de aeroportos e estações de trem fechadas. Grandes fábricas de carros suspenderam suas atividades em decorrência da catástofre. O mercado norte-americano deve sofrer um desabastecimento de alguns modelos da Toyota em função desta suspensão.

Uma das tendências dos últimos 20 anos é de buscar fornecedores no mundo todo e comprar de poucos deles. A justificativa é muito boa. Ao escolher fornecedores ao redor do mundo é possível encontrar preços mais baixos, tecnologia melhor e as melhores técnicas. Ao comprar de poucos fornecedores você evita variação dos produtos e pode concentrar-se em melhorias, tanto no design do componente quanto no seu processo de produção. Mas essa estratégia também significa tornar-se mais vulnerável a riscos tão peculiares (e improváveis) quanto um vulcão ou um grande terremoto.

Gerenciamento de riscos logísticos

Por Paulo Sérgio Gonçalves *

gestão de riscos logísticosDepois do fatídico onze de setembro o mundo sofreu uma grande transformação. Em primeiro plano a paranóia de um ataque terrorista iminente se concretizou com a destruição das torres gêmeas símbolo do capitalismo e da pujança dos Estados Unidos.

Deixando de lado essa face mórbida, doentia e de pouco conteúdo humano desses verdadeiros fanáticos; todos nós percebemos que as mudanças ocorridas após o onze de setembro causaram grande impacto nas operações globais das empresas e por via de conseqüência também acabaram por atingir as pessoas.

Estratégias operacionais no estilo just-in-time foram paralisadas a partir do momento em que os EUA simplesmente impediram, por medida de cautela e proteção, que qualquer aeronave levantasse vôo e a vigilância nos aeroportos, portos e rodovias intercontinentais passou a ser severa e demorada, numa verdadeira operação estilo “pente fino”.

Gestão estratégica de estoque e armazenagem

Este curso de dois dias abrange com propriedade diversos princípios da moderna gestão de estoques e armazenagem de materiais, tendo por base inúmeros estudos de casos reais, propondo a aplicação de técnicas práticas e efetivas, que vão muito além da teoria acadêmica clássica. Novos paradigmas são avaliados e antigos dilemas explorados, possibilitando ao profissional de logística maior visibilidade e uma percepção mais clara dos desafios e dos meios para alcançar resultados e vantagens competitivas.

O participante terá mais subsídios para analisar a situação atual de seu sistema de gestão e de seu depósito, sendo capaz de conceber estratégias, políticas e projetos efetivos, possibilitando um balanceamento dos estoques de forma objetiva e segura, bem como meios para armazenar estes materiais de forma produtiva.

Os temas que serão abordados neste treinamento são:

Curso de Especialização em Logística

As dicas de cursos para 2010 começam desde já!

Conheça um pouco mais sobre o curso de pós-graduação em nível de especilização em logística oferecido pelo IMAM. Trata-se de um curso de 400h, com duração de 18 meses, incluindo visitas à empresas.

Dentre os assuntos abordados neste curso estão:

– Fundamentos da Logística
– Gerenciamento de Compras e Suprimentos
– Gestão das Relações Humanas
– Gestão de Estoques
– Logística de Produção

Os 7 riscos das cadeias de suprimentos

Matéria publicada na edição 12 de setembro de 2009 da Revista MundoLogística:

Gerenciamento de riscos: os 7 riscos de uma cadeia de suprimentos – Você sabe quais são os principais riscos logísticos em sua cadeia de suprimentos?

Autor: Leandro Callegari Coelho.

Os acontecimentos mais recentes na economia mundial suscitam algumas dúvidas referentes à análise de risco em diversos segmentos industriais. Como é possível que alguns dos maiores bancos do mundo chegassem à situação atual, com inúmeras falências? Como as maiores indústrias automobilísticas do planeta, com seu poderio de conhecimentos e tecnologias sem fim, encontram-se às avessas para pagar suas contas? Se mesmo estas empresas sofreram com riscos inesperados, vamos tentar desvendar os maiores riscos logísticos para as cadeias de suprimentos, com enfoque na situação brasileira.