Você fez faculdade, mas o mercado exige experiência – como equilibrar a equação?

Você fez faculdade, mas o mercado exige experiência – como equilibrar a equação?

A situação é uma verdadeira faca de 2 gumes: por um lado, você se esforçou nos estudos e concluiu os cursos adequados; por outro, o mercado exige experiência e não enxerga o seu potencial.

estudos-ou-experienciaMuitos profissionais que terminam a faculdade sem ter feito um estágio encontram certa dificuldade na hora de procurar um emprego. Além dos cursos, o mercado exige experiência, ao menos através de estágios. Por isso eles são tão importantes no processo de formação do profissional, e muitos cursos de graduação colocam o estágio como obrigatório, pois mostram ao aluno a realidade de uma empresa, como as coisas funcionam na prática, e muitas vezes como as coisas que ele viu na teoria não funcionam na prática – dentro da empresa há diferentes interesses, outras prioridades e variáveis sem fim para “bagunçar” a teoria pura e simples ensinada nos bancos escolares.

Vamos começar vendo a situação da empresa: ela quer garantias de que o futuro contratado sabe fazer na prática aquilo que ele deveria ter aprendido. A vida de estudante oferece algumas flexibilidades que o mundo profissional às vezes não comporta: horários desregrados, rotina, hierarquia, normas, procedimentos – alguém que nunca teve chefe nem se submeteu a horários pode ter dificuldade (compreensível) em adaptar-se a essa nova realidade.

Para o recém-formado, não basta conformar-se com a situação, pois isso não lhe dará a experiência necessária. Os programas de trainee são uma ótima opção, pois além de pagarem bem, darem ótima experiência e pesarem muito no currículo, não exigem experiência dos candidatos.

Outra possibilidade é entrar numa empresa através de um estágio voluntário – a empresa pode conferir o seu potencial e você ganha experiência. É uma relação ganha-ganha que deve ser considerada por aqueles que têm a possibilidade de trabalhar algum tempo sem receber um salário.

Não desanime e busque destaque em outras áreas! Mais cursos, mais línguas, mais habilidades de informática. Depois de nossa matéria com o modelo e exemplo de currículo, recebi algumas perguntas que valem a pena serem compartilhadas aqui, pois dão mais peso ao CV e aumentam suas chances:

– você pode mostrar que teve outras experiências durante a faculdade, sem precisar ter feito estágio: aulas de monitoria mostram sua capacidade de interagir e ensinar; participação em empresas júnior são praticamente um estágio autorregulado; outras atividades que dependam de liderança como líder de turma ou chefe de centro acadêmico também são vistos com bons olhos;

– se você recebeu algum prêmio ou reconhecimento, lembre-se de incluí-lo no seu currículo: algumas faculdades oferecem semestralmente (e certamente na formatura) um reconhecimento aos melhores alunos; prêmios por apresentações em congressos/eventos ou por artigos selecionados também demonstram seu potencial em áreas diferentes; tudo isso pode (e deve) servir para dar destaque para você.

Por fim, saiba que existem vantagens em contratar um profissional sem experiência, se ele demonstra ter grande potencial: pegar um profissional “virgem” e moldá-lo conforme as necessidades da empresa é um tesouro, pois ele não tem vícios, não terá dificuldade em mudar de cultura, regras e sistemas.

Veja mais matérias na série especial sobre carreira e profissão na área de logística.

Para não perder nenhuma matéria, você tem várias opções para receber as notícias da maneira que achar mais conveniente: feed, email, Twitter… escolha seu jeito preferido de receber todas as atualizações do site automaticamente.

Gostou dessa matéria? Doe qualquer valor e ajude a manter o Logística Descomplicada gratuito:

Leandro C. Coelho, Ph.D., é Professor de Logística e Gestão da Cadeia de Suprimentos na Université Laval, Québec, Canadá. Conheça mais no menu Sobre (acima).